Em 2022, localidade em Jaboatão dos Guararapes foi palco de uma das maiores tragédias ocasionadas por chuvas em Pernambuco.

O Governo de Pernambuco abriu o processo licitatório para contratação de empresa de engenharia para executar as obras de contenção de encostas e urbanização de Jardim Monte Verde, em Jaboatão dos Guararapes. O serviço, orçado em R$ 48,9 mihões, tem o objetivo de preparar a localidade para fortes chuvas, de forma a evitar novos desastres. As enxurradas de 2022, uma das maiores tragédias registradas em Pernambuco, vitimaram mais de 20 pessoas no local. A licitação, que foi publicada no Diário Oficial desta terça-feira (16), prevê a abertura das propostas de habilitação técnica e de preços. A contratação é esperada para meados de março e a obra tem prazo de 18 meses.

A contenção das encostas no Jardim Monte Verde atende uma demanda histórica da população e foi anunciada durante as escutas do Ouvir para Mudar, em 2023. “Temos urgência na execução dessas obras porque precisamos preservar o direito de habitação das famílias que residem na região e evitar desastres decorrentes da falta de infraestrutura e preparo para receber águas em grandes quantidades”, afirma a governadora Raquel Lyra.


A secretária de Desenvolvimento Urbano e Habitação do Estado, Simone Nunes, lembra que a urbanização de Jardim Monte Verde acontecerá com recursos do Estado, em uma região limítrofe entre os municípios do Recife e Jaboatão. “As estatísticas mostram que o número de mortos em desastres climáticos acontece nessas zonas adjacentes dentro do território metropolitano. São regiões onde há dúvidas sobre se o lugar pertence a um município ou a outro. São locais desassistidos e esquecidos”, destaca Simone.

Técnica e desenvolvimento urbano

Os trabalhos em Jardim Monte Verde serão realizados em três frentes: Chapada do Araripe, Alto Santa Izabel e Alto do Parnaioca. A técnica a ser utilizada é a de enrocamento, que consiste na contenção de encostas com pedras argamassadas. Além de preservar a estabilidade dos maciços de terra, o revestimento rochoso será instalado com infraestrutura para canalização adequada das águas pluviais.

O projeto prevê a urbanização das áreas com a instalação de equipamentos como pequenas praças, brinquedos e bancos de lazer, projetados para se harmonizar com o relevo da região e proporcionar prazer e tranquilidade para a continuidade das habitações.

A atuação do Estado vai se dar além das obras. A iniciativa prevê também um plano de assistência social para educar as pessoas a não expandir suas habitações para áreas impróprias para habitação. Além do cunho de preservação de vidas, a obra tem uma marca educacional.

Fotos: Divulgação/Seduh.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar