Por Aristóteles Veloso
Docente do UniFavip Wyden, Mestre e Doutor em Sociologia

A atividade diplomática é uma atividade fundamental dos países ao redor do mundo. É pela diplomacia que estes estabelecem suas relações com os outros países. Em nosso mundo globalizado a diplomacia se apresenta como uma estratégia de importância fundamental no estabelecimento e desenvolvimento dos diversos contatos e tratativas de natureza política, econômica e cultural, de forma pacífica entre os governos de diferentes Estados. É pelas vias diplomáticas que evidenciamos um progresso em nossas relações internacionais, pois é pela diplomacia que buscamos resolver de forma pacifica os conflitos que possam aparecer.

Aqui no Brasil, o dia 20 de abril é o dia escolhido para celebrarmos o Dia do Diplomata. A escolha do dia é uma homenagem ao patrono da diplomacia brasileira, o Barão de Rio Branco, nascido em 20 de abril de 1845. Esse reconhecimento se dá pelos esforços do Barão para a profissionalização e qualificação da atividade diplomática no Brasil. Para desempenhar importante função, o diplomata deve estar apto a liderar, organizar ou participar de reuniões internacionais, negociando e defendendo os interesses do seu país fortalecendo os laços de amizade e cooperação com seus múltiplos parceiros externos.

Nossos diplomatas são responsáveis também pelo atendimento consular no exterior, a acolhida e acompanhamento de demandas de brasileiros e brasileiras no exterior, prestando serviços consulares. A quem tiver interesse em se candidatar a carreira diplomática, alguns requisitos são necessários, entre eles, ter sido aprovado no concurso público para o cargo, ser brasileiro nato, estar no gozo dos direitos políticos, em dia com as obrigações eleitorais, com as obrigações do Serviço Militar, no caso dos candidatos do sexo masculino, apresentar diploma de conclusão de curso de graduação de nível superior, ter idade mínima de 18 anos e, por fim, apresentar aptidão física e mental para o exercício das atribuições do cargo.

Os futuros diplomatas ingressam na carreira por meio do Concurso de Admissão à Carreira de Diplomata (CACD) que exige do candidato um vasto conhecimento em história, geografia, direito, línguas estrangeiras, política internacional, economia entre outros. Esse processo é constituído de três fases, a primeira fase é constituída por prova objetiva, a segunda fase contará com provas escritas de língua portuguesa e de língua inglesa e a terceira fase de novas provas escritas de caráter eliminatório e classificatório. A aprovação no concurso habilita o candidato a ingressar no cargo e a matricular-se no Curso de Formação de Diplomatas do Instituto Rio Branco. Após anos de estudo e treinamento no Instituto Rio Branco, o candidato estará apto a exercer suas funções de diplomata e contribuir na salvaguarda dos interesses do Brasil no exterior e nas diversas arenas públicas e privadas a nível internacional.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar