É comemorado neste dia 1º de novembro o Dia Mundial do Veganismo, tema cada vez mais crescente no Brasil. Segundo a Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB), a quantidade de veganos no país já chega a 7 milhões, dentre os 30 milhões que possuem alimentação vegetariana. Diante da expressão cada vez mais relevante do veganismo no mundo, a pró-reitora dos cursos da pós-graduação da Wyden e mestre em nutrição, Marcela Miranda, destaca a importância desta data.

“Neste dia dá-se muito mais visibilidade às pessoas que se dedicam em olhar para a situação mundial atual e conscientizar sobre muitos problemas que o mundo está enfrentando em relação ao nosso suprimento de alimentos e seu impacto no meio ambiente. Assim, o Dia Mundial do Veganismo incentiva as pessoas a entender por que o veganismo é importante, conscientizando a todos sobre os benefícios do veganismo e como ele também é uma abordagem sustentável ao meio ambiente”, ressalta.

A docente enfatiza que o veganismo é um estilo de vida e explica como é a dieta dos veganos no dia a dia. “O veganismo é uma filosofia e um modo de vida que procura excluir todas as formas de exploração e crueldade com animais para alimentação, vestuário ou qualquer outro propósito. Em termos dietéticos denota a prática de dispensar todos os produtos derivados total ou parcialmente de animais. Na prática, significa não comer nenhum produto de origem animal, portanto, não comer carne, laticínios, ovos, peixe, marisco, mel, insetos, gelatina ou outros produtos derivados de animais, não usar lã, couro, pele ou seda, não usar produtos testados em animais e não usar animais para entretenimento ou esporte nem apoiar locais que o façam”, afirma.

A especialista complementa falando dos alimentos consumidos por eles. “Os veganos comem apenas alimentos vegetais e fungos (cogumelos, leveduras). Isso inclui frutas e legumes, leguminosas (feijão, ervilha, grão de bico, lentilha, soja e produtos feitos a partir deles, incluindo tofu. Grãos integrais (pão, macarrão, aveia, arroz, quinoa, tortilhas), nozes e sementes. Eles também podem comer uma grande variedade de produtos processados, já disponíveis no mercado, como hambúrgueres e salsichas veganas, queijo vegano, iogurte, sobremesas, biscoitos, pizza vegana e muito mais”, destaca.

Por fim, a mestre em nutrição explica a diferença entre veganos e vegetarianos, uma dúvida muito frequente nas pessoas. “A principal diferença entre dietas veganas e vegetarianas está no quanto as pessoas aderem a esses estilos de vida, restringem os alimentos que comem e limitam o consumo de outros bens. Em termos de alimentos, os veganos não apenas eliminam carne e aves de sua dieta, mas removem todos os produtos e subprodutos de origem animal, incluindo ovos, queijo ou outros laticínios, gelatina e frutos do mar. Isso os deixa com uma dieta tipicamente composta por frutas, vegetais, grãos integrais, nozes, sementes, feijões e legumes. Por outro lado, uma dieta vegetariana é um pouco menos restritiva, ou seja, normalmente os vegetarianos eliminam o consumo de carne enquanto ainda permitem certos produtos de origem animal, como ovos, laticínios e, às vezes, peixe”, conclui.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar