Prezados leitores, vimos anunciar que o Grupo Revista Total foi vítima de uma tentativa de ataque através de uma representação eleitoral formulada pela COLIGAÇÃO VITORIA MERECE RESPEITO, sob a alegação de que estaríamos realizando propagandas eleitorais em desconformidade com a lei. Repudiamos toda e qualquer espécie de conduta dessa natureza. Somos um meio de comunicação que trabalha com o fim comunicativo e social, sem alinhamento partidário.

Nosso jurídico, capitaneado pelo escritório de advocacia de Dr Rafael Torres, estará adotando todas as providências legais na expectativa de coibir essa maligna representação.

A Revista Total, em respeito aos seus milhares de leitores, por todo o Brasil, comunica que está procedendo a retirada da matéria intitulada “REVISTA TOTAL ENCERRA ESTUDOS TÉCNICOS EM VITÓRIA DE SANTO ANTÃO”, publicada no último sábado, 24 de outubro de 2020, às 15h:31, conforme link https://blogrevistatotal.com.br/page/2/.

O procedimento se dá, em virtude de o Grupo Total ter sido comunicado de processo eleitoral movido pela Coligação VITÓRIA MERECE RESPEITO, através dos advogados Felipe da Costa Lima Moura e Oswaldo Otavio Oliveira da Cruz Gouveia, seus representantes, conforme Processo de Nº: 0600565-77.2020.6.17.0018, da 8ª Zona Eleitoral de Vitória De Santo Antão (PE), acusando a matéria de eleitoral, tipicamente caracterizada como pesquisa eleitoral ilícita e criminosa, nos termos da Lei das Eleições e da Res/TSE n. 23.600/19.
No processo, é ressaltado que “o 2º representado, diz: ‘não se tratar de pesquisa, mas de um trabalho que trouxe da Europa. Diz ser um trabalho realizado por todos os membros das equipes de repórteres dos veículos do Grupo TOTAL, além de outros colaboradores que são convidados. Diz que o Trabalho consiste em verificar junto a vários segmentos da sociedade local, a popularidade dos candidatos, bem como, sobre os apoios recebidos pelos mesmos, junto a: Lideranças Políticas; Comunitárias; Empresariais; Coligações Partidárias e Eleitores. Mas, diz que isso não é pesquisa, é apenas um levantamento de Informações sobre esses Grupos de Pessoas’. Por fim, em sede liminar requer que seja determinado a concessão da Tutela Provisória para que o DIRETOR-PRESIDENTE MARCELO MESQUITA, retire INCONTINENTE do BLOG DA REVISTA TOTAL, a matéria denominada ESTUDOS TÉCNICOS, onde garante que aglailson júnior vencerá paulo roberto com no mínimo 4 mil votos de diferença, ante o caráter ilícito dessa matéria, aqui objeto da presente representação. É o que se tinha a relatar, decido: A Justiça Eleitoral, que tem a função precípua de zelar pela normalidade e legitimidade das eleições, coibir praticas abusivas, e sancionar com rigor tais práticas abusivas, de modo a evitar sua disseminação.

O diretor-presidente do Grupo Total, Marcelo Mesquita, declara que o veículos de comunicação do grupo são exclusivos para a produção de conteúdo e que os Estudos Técnicos a que se refere REALMENTE NÃO SE TRATAM DE PESQUISAS, uma vez que a empresa de comunicação NÃO É UM INSTITUTO DE PESQUISA e que tais estudos, realizados desde 2006, são efetivamente feitos com procedimento de conversas com a população, sem utilizar nenhum impresso para respostas, uma vez que não faz consulta de intenção de votos, apenas ouve e tira suas conclusões.
A credibilidade que é dada a esse trabalho é pelo resultado das eleições, em que a Revista Total vem, REALMENTE, desde 2006, conquistando um grande índice de acertos, o que faz com que seja sempre consultada sobre seus prognósticos, em todo o Estado, por políticos, formadores de opinião, blogueiros e tantos outros que militam no segmento da Política, como poderá ser demonstrado no grande número de e-mail e mensagens que recebemos, solicitando remessa das listas que são publicadas.
Por outro lado, a Revista, enquanto veículo de comunicação, está aberta à veiculação de quaisquer matérias, com a exposição das opiniões de quem utilize eu espaço, no entanto, o diretor-presidente, enquanto cidadão, tem a liberdade de expressar seus pensamentos e os prognósticos referendados nas conversas que realiza com a população, desde que a Justiça – que será sempre respeitada pelo Grupo e por todos que dele fazem parte -, não o proíba de tal.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar