O deputado federal Lula da Fonte e o deputado estadual Romero Sales Filho, solicitaram junto a associação das escolas particulares de médio e pequeno porte (AEPP) para conseguir um novo prazo para adequação estrutural das unidades de ensino, a princípio definido para o próximo mês de fevereiro. O assunto foi pauta da reunião com a secretária de Educação do Estado de Pernambuco, Ivaneide Dantas. Ao lado dos deputados e dos representantes das escolas, também esteve presente o presidente da Associação do Bairro de Dois Unidos e suplente de vereador do Recife, Toinho da União.

“As novas exigências para o recadastramento são necessárias e visam garantir uma estrutura adequada, mas não podemos deixar de ressaltar e compreender que a pandemia dificultou as adaptações exigidas, e a falta de recadastramento não só prejudicaria os alunos, mas também levaria a demissões de profissionais em mais de duas mil escolas de Pernambuco. Estamos empenhados em, juntos, alcançarmos uma solução que beneficie a todos. Essa pequenas escolas garantem mensalidades de 120 a 200 reais, e também descentralizam a rede pública, consequentemente, diminuindo a evasão.”, disse o deputado federal Lula da Fonte.

Tânia Campos, representante das 200 escolas da AEPPE, explicou que a pandemia dificultou a realização das adequações estruturais e ressaltou que o não recadastramento das escolas para o próximo ano letivo representa além de prejuízo para os alunos, a demissão dos profissionais contratados. “E mais, muitos desses alunos não têm condições de ir para escolas mais caras, ou seja, vão acabar aumentando a demanda da rede pública de ensino”, disse a gestora.

Foto: Paulo Paiva

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar