Luís Roberto Barroso assume a presidência do STF com o desafio de melhorar as relações entre o Judiciário e o Legislativo após polêmicas como o marco temporal das terras indígenas. Rosa Weber, em sua gestão, enfrentou críticas do Congresso por pautas como o porte de maconha e descriminalização do aborto. Barroso, entusiasta dessas questões, planeja focar inicialmente em pautas econômicas.

O Palácio do Planalto vê oportunidades nisso, como no caso dos precatórios. Ele buscou aproximação com Gilmar Mendes para melhorar as relações interinstitucionais. Barroso, de 65 anos, é doutor em direito público, professor e ex-presidente do TSE, liderará o STF até setembro de 2025.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar