Foi a vez dessa gente tão querida de Marinês prestar homenagem a ela, que nascida como Inês Caetano de Oliveira, se tornou a nossa querida e saudosa Marinês, A Rainha do Xaxado. Nasceu em São Vicente Férrer, Pernambuco e, desde muito cedo, mudou-se para Campina Grande, interior da Paraíba. A partir de lá, construiu sua carreira musical como cantora de forró, baião e xaxado, deixando o seu legado não só para o Nordeste e para o Brasil, mas alcançando o mundo. Foi cantora, apresentadora e bacharel em Direito.
A artista acumulou fãs pelo país e ficou conhecida por homenagear em suas canções a sua cidade natal, mas também em Campina Grande. Por ocasião do seu falecimento, Marinês foi lembrada por diversas personalidades do mundo artístico, que lamentaram sua partida aos 73 anos.

Esta semana, seu filho Celso Othon, recebeu Votos de Aplausos em nome da artista. A homenagem aconteceu na Câmara Municipal de São Vicente Férrer, e contou com a presença do Prefeito Marcone Santos, do Presidente da Câmara, vereadores e autoridades locais. Celso Othon foi recebido pelo prefeito, Marcone Santos, que na ocasião, discursou exaltando os relevantes serviços prestados da cantora para com a cidade. “Como gestor deste município, me sinto lisonjeado em poder fazer parte desse momento desse tão importante, que é homenagear alguém que sempre teve orgulho de trazer e levar o nome da nossa cidade aos quatro cantos desse país. Marinês deixou claro seu amor e seu respeito por São Vicente”, destacou o prefeito Marcone Santos. Junto a Celso Othon, também estavam presentes a nora e a neta de Marinês.


“Sinta-se em casa. O amor de Marinês é muito além do que a gente poderia imaginar. Marinês fez questão de passar para os seus filhos e para aquelas pessoas que conviviam com ela o quanto ela amava essa cidade, esse município”, completou o prefeito Marcone Santos, que foi aplaudido pelos presentes na Câmara de Vereadores do município. A cantora Marinês, falecida em 2007, recebeu homenagem póstuma em solenidade emocionante.

Na música “Rainha do Xaxado”, ela canta: “Sou rainha do xaxado, Só entra no meu reinado quem primeiro xaxear”. E assim, em agradecimento ao legado da cantora, São Vicente Férrer trouxe o seu reinado à cidade através da solenidade. Na letra da obra, “Eu chego lá”, ela cantava: “Eu vim aqui só pra lembrar/Que ninguém vai poder nesta vida/Vencer sem lutar!”. Assim, no seu discurso de agradecimento, Celso Othon, filho de Marinês, agradeceu. “É muito grande a emoção de estar aqui, retornar a São Vicente Férrer, que é uma cidade de muito carinho com a minha mãe.” Num tom emocionado ele replicou as palavras de Marinês: “Minha mãe… minha mãe já dizia: eu sou de São Vicente Ferrer, terra da banana!” e ressalta a luta dela.

No cancioneiro de Marinês, da obra, “Eu chego lá”, a frase: “Pois, a Vitória é uma semente semeada no chão!” previa a dimensão que a carreira artística dela tomaria. Segundo o filho dela, Marinês foi a primeira mulher a cantar forró, Marinês nos anos 50 enfrentou barreiras num mundo musical em que era totalmente dominado pelos homens… Ela quebrou barreiras! “Quando veio aquela mulher guerreira que saiu de São Vicente Férrer e foi para Campina Grande e gostou da música. Enfim, de tantos preconceitos para uma época que não era tão divulgada ainda, e que então ela realmente quebrou barreiras e hoje, graças a Deus, temos várias cantoras nacionais que representam o nosso Nordeste, que representa Pernambuco, Paraíba de um modo geral”, completou Celso Othon.

O Prefeito Marcone Santos, no seu discurso suplicou “que a gente possa sempre conduzir e levar a memória de Marinês não só aos jovens de hoje, mas sim que ela permaneça viva pela tradição, pela cultura, não só por ser Rainha do Xaxado, mas, por ser essa mulher que foi sempre vibrante pela cultura nordestina.”

Desta feita, a obra de Marinês ecoa nos corações dos seus fãs, onde plantou flores e deixou o seu eterno perfume. Quem se identifica com o talento irrefutável da artista de voz afinada e extremamente afinada, ouve a boa música, como um canto forte de liberdade, alegria, força e esperança. Gilberto Gil dizia que Marinês é a grande Mãe da Música Nordestina, “o Luiz Gonzaga de Saia”. A artista se despediu da vida no Recife, em maio de 2007, fincou suas raízes no Nordeste e levou no coração uma legião de apaixonados, inclusive a sua cidade natal, São Vicente Férrer.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar