Lá vem os Papangus de Bezerros, encantando o carnaval pernambucano, com a exposição “Uma Viagem na História dos Papangus”. E a cidade escolhida para acolher esse lindo evento foi Recife, berço cultural do nosso Estado e que atrai, diariamente, turistas do mundo inteiro. A exposição, que é uma realização da Prefeitura de Bezerros, através da Secretaria de Turismo e Cultura, é aberta ao público, totalmente gratuita e acontece nos meses de janeiro e fevereiro deste ano, na Galeria 180 Arts que fica localizada no Recife Antigo.
“O carnaval de Bezerros é do tamanho do mundo. Por isso, através dessa exposição, nós queremos mostrar um pouquinho das riquezas culturais e dos grandes talentos que existem em nosso município. Afinal, são eles que nos ajudam a contar a nossa história. A Folia do Papangu está no nosso DNA e poder expor um pouco de quem nós somos é, sem sombra de dúvidas, uma riquíssima oportunidade de mostrar quem faz Bezerros acontecer do sítio à cidade. Convido todos aqueles que amam nossa cidade para visitar a exposição, conhecer quem somos e se apaixonar ainda mais pela Terra do Papangu”, destacou a prefeita de Bezerros, Lucielle Laurentino. 
O lançamento oficial da exposição será no dia 14 de janeiro (sábado), às 14h, com participação do “Bloco do Papangu” e da Centenária Banda Musical Cônego Alexandre Cavalcanti que vão fazer a festa dos foliões pela Rua Bom Jesus até a Galeria 180 Arts, local onde ocorre a exposição. O espaço cativante e bem centralizado (próximo ao Marco Zero, Centro de Artesanato de Pernambuco, Paço do Frevo, Torre Malakoff e Cais do Sertão) foi carinhosamente pensado para acolher todos que desejarem conhecer um pouco mais sobre nossa história e riqueza cultural. 
Segundo Monique Gabrielle, coordenadora de aparelhos e incentivo à cultura de Bezerros e expositora responsável pelo evento, o desenvolvimento do projeto cultural teve como base estudos em livros, jornais, revistas, artigos e fotos que retratam a história do Papangu de Bezerros. “Colocamos a população bezerrense dentro da sua própria história, sentimos de perto a emoção de ser um Papangu e o brilho em seus olhos ao relembrarem os antigos carnavais. O Papangu é nossa herança cultural, herança essa, que devemos passar para as novas gerações. Nosso maior desafio é manter viva a história do nosso povo. Será uma viagem linda, um reencontro de todos os mascarados. Como é emocionante fazer parte da construção desse projeto tão importante para nossa cultura”, argumentou Monique.
A identidade visual foi concebida pelo design gráfico bezerrense Eduardo Lemos, trazendo uma linguagem jovem e com cores vivas. Para a curadoria da exposição, foram escolhidos três amantes da cultura bezerrense: Sueli Silva, Robeval Lima e Vamberto Carvalho. O olhar sensível da câmera ficou por conta do cinegrafista Ismar Santos, que junto ao time, deu vida ao documentário “Uma Viagem na História dos Papangus”. 


O secretário de Turismo e Cultura do município, Bruno Clisman, enfatizou a contribuição turística e cultural do evento para a história do carnaval bezerrense. “Bezerros é um celeiro de cultura, arte, gastronomia e turismo ecológico. Falar de Bezerros é trazer à tona, toda alegria e mais de 100 anos de história do Papangu e seus carnavais que se tornaram referência no Brasil ao longo dos anos. Tenho muito orgulho de seguir fomentando a cultura da nossa cidade e cada vez mais fazer com que o nosso eixo de desenvolvimento local perpasse por esse conjunto de itens que fomentam a economia criativa de nossa cidade”, pontuou. 

Conforme a organizadora da exposição, o evento cultural será dividido em seis nichos, sendo que cada etapa contará a evolução do Papangu de Bezerros ao longo dos anos. Confira quais são os nichos que representam o anfitrião da maior e melhor folia do interior do Brasil: a Folia do Papangu.

PRIMEIRO NICHO: O visitante encontrará a história do papangu dividida em seis fases. 

A primeira fase relata que o Papangu surgiu por volta de 1881. Nesse período, os mascarados alegravam as festas dos senhores de engenhos, saiam pelas casas vizinhas e se divertiam comendo angu (massa consistente de farinha de milho – fubá). O famoso angu era servido puro ou com carne de bode, de galinha, de boi ou até com leite. Em grupo com, no máximo, cinco pessoas, os mascarados eram anunciados pelas crianças que, com medo, gritavam “lá vem o papa angu” e corriam para dentro de casa. Com o passar do tempo, a brincadeira terminou virando uma tradição, passando de pai para filho. Esse momento será recontado através da evolução das máscaras do Papangu. 

A segunda fase irá falar da máscara confeccionada com papel de embrulhar charque, feita de uma forma simples, sem qualquer beleza estética. A terceira fase conta o surgimento da máscara de tecido, inicialmente produzida com fronha de travesseiro. Na quarta fase, temos um pouco de cores, a partir da máscara de papel colê. O famoso cabeção entra na quinta fase, levando alegria em seus traços, e, por fim, todo encantamento da sexta fase, com as máscaras de papel machê, mais tradicionais nos dias de hoje.

SEGUNDO NICHO: Será um painel com máscaras, onde o visitante poderá tocar, conhecer e tirar foto com os adereços.

TERCEIRO NICHO: Será um painel com jornais e revistas que retratam o carnaval de Bezerros ao longo dos anos. O espaço também homenageará a imprensa brasileira, que foi peça fundamental para os papangus serem conhecidos nacional e internacionalmente. O visitante poderá vestir-se com uma roupa de papangu e tirar foto, sendo o protagonista da capa do jornal. 

QUARTO NICHO: Terá seis manequins, cada um vestido com a roupa e a máscara que representa cada uma das fases de evolução do Papangu.

QUINTO NICHO: Um espaço reservado aos nossos artesãos, pessoas importantes na construção da história. É na arte de cada um que construímos nosso celeiro artesanal e nossa cultura se tornou mundialmente conhecida. Mais de 20 artesãos irão expor suas obras que serão comercializadas. Aqui, o Papangu será representado através das máscaras, xilogravuras, quadros, camisas, chaveiros, bonecos, entre outros itens do grande celeiro de encantos e belezas produzidas no município. 

SEXTO NICHO: Espaço dedicado para a realização de oficinas de máscaras e xilogravuras. No ambiente, também será exibido o documentário “Uma Viagem na História dos Papangus”, que conta a história e a importância do Papangu para a cultura de Bezerros. Está prevista a participação dos Patrimônio Vivos de Pernambuco, Lula Vassoureiro e J. Borges. Além do renomado artista plástico Robeval Lima e a empreendedora Socorro Nunes, conhecida pela culinária regional. 

Os carnavalescos Carlos Roberto e Cláudia Dias, que durante anos tiveram suas fantasias estampadas nas capas de jornais, os grupos culturais Folcpopular e Papanguarte, que levam a cultura bezerrense através da dança para os quatro cantos do Brasil, e a Banda Mirim Zenóbio Torres, formada por crianças do município, também estarão presentes. O momento será acompanhado pela expositora Monique Gabrielle.

PROGRAMAÇÃO LEITURA CULTURAL 

No dia 12 de fevereiro de 2023, a partir das 16h, haverá a participação da escritora Tita Brayner, trazendo para a criançada uma linda leitura do seu livro “O Reino Encantado de Cascudo”. A obra traz a magia dos contos de fadas para a “Terra do Papangu”, pois o protagonista nos coloca no meio do enredo, junto com a personagem principal. 

Um menino vai mergulhar no imaginário, tal como “Alice no País das Maravilhas”, e se juntar a outros personagens do folclore brasileiro como o Caipora, o Zé Pereira, a La Ursa, os Zambiapungas, que se misturam aos personagens reais como J. Borges e Lula Vassoureiro. Juntos, todos eles vão explorar o mundo do Papangu.

PROGRAMAÇÃO DAS OFICINAS 

A Galeria 180 Arts funciona de domingo a sexta-feira, no horário das 10h às 18h. A exposição é aberta ao público e totalmente gratuita. Dentro da programação, também haverá oficinas de máscaras e xilogravuras, sendo que as pessoas interessadas devem pagar uma taxa (entre R$ 40 e R$ 140), no momento da inscrição. Mais informações através dos telefones (81) 9-9752-6310 e (81) 99953-8601 – Galeria 180 Arts ou Prefeitura de Bezerros  (81) 3728-6700 e Secretaria de Turismo e Cultura (81) 3728-6706.

TEXTO: Monique Gabrielle / Gabriel Galvão / Izaias Néu.
FOTOS: Moyra Nascimento.
ARTE: Eduardo Lemos.

Confira link com programação completa: https://www.instagram.com/p/Cm-Nzp2ugpU/

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar