Alterado, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB) atacou o jornalista Rodrigo Constantino, da Jovem Pan, durante uma participação ao vivo na emissora paulista na manhã desta terça-feira (2).

Postado por Marcos Lima Mochila

.

Constantino criticou uma fala de Doria que acusava a prefeita de Bauru, Suellem Rossim, de ser “negacionista” e de fazer “vassalagem” com o presidente Jair Bolsonaro. “Vassalo, talvez, seja o próprio governador em relação ao regime chinês”, disse Constantino.

“Não há ciência por trás desse lockdown todo, isso é fato. O governador gosta muito de monopolizar a fala da ciência, da preocupação com a vida, sendo que ele só pensa em 2022. É por isso que ele ficou tão irritado, porque a prefeita foi se reunir com o presidente Bolsonaro, que é seu ‘arqui-inimigo’. Ele quer se colocar como antípoda do presidente da República e está politizando a pandemia desde o começo. São Paulo como um todo, que é o estado gerido por João Doria, é pior em termos resultado de óbito por milhão do que o país. Como é que esse sujeito ainda tem a cara de pau de ficar dando tanta lição de moral em nome da ciência pro resto da nação? Isso é o que eu não entendo”, defendeu Constantino.

Doria ligou diretamente para a direção da emissora e pediu direito de resposta. Porém, ao entrar no ar, o governador começou a atacar Constantino, chamando-o de “negacionista”, “ideólogo do Bolsonaro”, “defensor de um governo homicida”. Disse ainda que Constantino “defendeu um estupro nas redes sociais, foi demitido da Rádio Jovem Pan e lamentavelmente voltou”.

Os insultos não pararam. Doria acusou Constantino de ser um “pseudojornalista” e defensor do “terraplanismo e da ideologia”. Em poucos segundos, a conversa entre o governador e o jornalista virou um acalorado bate-boca.

Ao final, Doria disse lamentar que a rádio Jovem Pan “abra espaço para uma pessoa como essa”, referindo-se a Constantino.

“Se ele fala como cidadão, ótimo. Se ele fala como governador ele tem alguns instrumentos para pressionar, né? Porque ele está pedindo a minha cabeça no ar. Isso não é debate, isso não é democracia. Isso é a figura autoritária de um governador decadente tendo que apelas porque eu apresentei aqui fatos que mostram que ele não tem lugar de fala pra bancar o homem que salva vidas e que segue a ciência. O estado dele está precisando um pouco mais de gestão”, finalizou Constantino.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar