Nos últimos dias, a cidade registrou um aumento significativo no número de casos de Covid-19

Presidente Bolsonaro ao lado do ministro da saúde Eduardo Pazuello (Foto: Tony Winston/MS)

Por Ricardo Lélis  –  Agência Brasil

Postado por Marcos Lima Mochila

.

O governo federal está enviando 30 mil metros cúbicos de oxigênio para Manaus como auxílio ao atendimento hospitalar da capital amazonense. Nos últimos dias, a cidade registrou um aumento significativo no número de casos de Covid-19, além do surgimento de uma nova mutação do coronavírus.

Com a alta no número de casos graves, os serviços de saúde estão com dificuldades de atender a forte demanda de pacientes que precisam de atendimento de urgência e emergência. Durante a live do presidente Jair Bolsonaro realizada na noite desta quinta-feira, 14 de janeiro, o ministro da Saúde Eduardo Pazuello falou sobre o aumento do número de casos de Covid-19 em Manaus.

O ministro também ressaltou que Manaus é uma cidade distante, em meio à região amazônica, que, por isso, qualquer auxílio do governo ao município enfrenta dificuldades logísticas. Pazuello contou que as Forças Armadas estão auxiliando no transporte do oxigênio à capital do Amazonas.

Ainda segundo o ministro, a demanda por oxigênio em Manaus aumentou seis vezes por causa do aumento de casos de Covid-19 na cidade.

Câmaras frigoríficas em cemitérios

A prefeitura de Manaus instalou duas câmaras frigoríficas no cemitério público Nossa Senhora Aparecida, conhecido como Cemitério do Tarumã. O objetivo é manter conservados os corpos de vítimas de Covid-19 que morrerem na cidade e que aguardam vaga para serem enterrados.

As câmaras têm capacidade para armazenar até 60 caixões e começaram a ser utilizadas desde a quinta-feira, 14 de janeiro.

No domingo, o secretário Municipal de Limpeza Urbana (Semulsp), Sabá Reis, informou que Manaus não voltaria a ter enterros em valas comuns diante do aumento de sepultamentos. A Secretaria responsável por administração de cemitérios disse que câmaras frigoríficas seriam instaladas para sepultamentos serem feitos “sem pressa”.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar