O presidente da República deixou em aberto quatro pastas do Governo Federal – Minas e Energia, Secretaria de Governo, Desenvolvimento Regional e Saúde

Por Rhaldney Silva

Postado por Marcos Lima Mochila

.

O atual presidente do Senado, Davi Alcolumbre, pode ser o próximo ministro do Governo Bolsonaro em 2021. Segundo informações, o presidente da República deixou em aberto quatro pastas do Governo Federal para Alcomlumbre – Minas e Energia, Secretaria de Governo, Desenvolvimento Regional e Saúde.

O assunto foi tratado nesta quarta-feira, 30 de dezembro e Bolsonaro reforçou o convite para que Davi integre a equipe do primeiro escalão do governo.

Segundo o Site Congresso em Foco, Um interlocutor do convívio diário com o presidente do Senado vê o senador mais próximo da Secretaria de Governo, responsável pela articulação política entre o Planalto e o Congresso. Nesse arranjo, o atual ministro, general Luiz Eduardo Ramos, poderá ser remanejado para outra função no governo.

Outro ministério que também seduz Davi é o do Desenvolvimento Regional, hoje comandado por Rogério Marinho, que tem favorecido a política de Bolsonaro com investimentos em obras de infraestrutura e protagonizando duelo com o ministro da Economia, Paulo Guedes. Marinho e Ramos, no entanto, são bem avaliados pelo presidente, o que o obrigaria a rever o posicionamento de duas peças importantes de seu tabuleiro.

Desfecho

O STF (Supremo Tribunal Federal) decidiu neste domingo, dia 06 de dezembro, vetar a possibilidade de reeleição dos atuais presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), para os respectivos cargos. A decisão foi feita em plenário virtual. Entenda os votos:

Restavam os votos dos ministros Luís Roberto Barroso, Edson Fachin e do presidente Luiz Fux . A ADI 6.524 foi protocolada pelo PTB. A votação começou na sexta-feira, 4 de dezembro, e se estende até o 14 de dezembro.

Os votos já estavam apalavrados entre os ministros. Deveriam vir na sequência do relatório de Gilmar, que era favorável para as reeleição de ambos. A forte reação nas redes sociais e na mídia tradicional contra a liberação das reeleições ajudou para que tudo mudasse o julgamento.

A decisão é uma vitória para o presidente Jair Bolsonaro, porque pavimenta o caminho para o Planalto ter um aliado no comando dos deputados e dos senadores a partir de fevereiro de 2021.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar