O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, disse nesta quinta-feira (24) que as curvas de contágio e mortes em decorrência do novo coronavírus tendem ao “final” no máximo no começo de outubro e que então viveremos uma “nova forma de tocar a vida”.

Pazuello também voltou a afirmar que “todas as opções estão abertas”, em relação à vacina para a Covid-19 –um dia após novos resultados promissores da vacina Sinovac.

O ministro afirmou que sua pasta trabalha no contrato com a vacina AztraZeneca –parceria da Fio Cruz com a Universidade de Oxford–, mas que acompanha o desenvolvimento das demais imunicações.

Também nesta quarta, o governo liberou R$ 2,5 bilhões para que o Brasil ingresse na Covax Facility, aliança internacional por vacinas contra a Covid-19. As declarações de Pazuello foram feitas durante reunião com secretários de Saúde de estados e municípios. O ministro comentou a apresentação de secretários da pasta a respeito da evolução epidemiológica da doença no país.

“As curvas tendem ao final ainda no final de setembro, começo de outubro, em praticamente todos os estados do país. E nós teremos a partir daí uma nova forma de tocar a vida”, disse o ministro, que foi efetivado no cargo no dia 14 deste mês, após três meses como interino. “E essa nova forma é retomar nossas atividades de forma inteligente, com os cuidados necessários, com as medidas preventivas, as medidas de afastamento social, que a gente observa em praticamente todos os lugares”, completou.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar