Há quem diga que candidato a vice não soma nada, só não pode atrapalhar. Marco Maciel, o vice-presidente dos sonhos de qualquer postulante ao Planalto, contrariou esse conceito vago e equivocado. Somou, e muito! Pode até não ter agregado votos, mas gozou a vida inteira de uma unanimidade entre os partidos e lideranças políticas, nunca contestada. Além de agregar valores éticos e morais, Maciel se revelou com o tempo num dos maiores articulistas, bombeiro, apagador de incêndios na seara conturbada da política brasileira.

Bem que poderia ter feito escola, mas infelizmente a política brasileira, com o passar do tempo, está ficando cada vez mais empobrecida, um grande deserto de lideranças. No caso do Recife, os candidatos a prefeito nas eleições deste ano encerraram, ontem, por força da lei, a escolha dos seus vices. De todos, o mais feliz foi Mendonça Filho. Candidato pelo DEM, o ex-ministro da Educação escolheu a deputada estadual Priscila Krause para compor a sua chapa.

Nota mil! Além de competente e vigilante no combate à corrupção que campeia no Recife, Priscila tem a cara do Recife, um quadro sem mácula, nunca envolvida em processos não republicanos. Valoriza e exerce a política da cidadania, do combate ao bom combate. Tem aprovação da sociedade e uma folha de serviços prestada ao Estado, com destaque para o Recife, cidade que aprendeu a amar com o pai, o ex-prefeito e ex-governador Gustavo Krause.

Priscila já disputou a Prefeitura do Recife, mas sem sucesso. Suas votações para a Câmara de Vereadores sempre foram cada vez mais surpreendentes, crescentes, com forte inserção no chamado voto de opinião. Deputada em segundo mandato, Priscila assumiu, desde a instalação da pandemia, uma postura corajosa e ousada nas investigações paralelas ao que a Polícia Federal descobriu envolvendo desvios de recursos federais para a pandemia.

Há quem diga, por fim, que Mendonça fez uma chapa pão com pão (jargão dado a uma chapa com candidatos do mesmo partido), mas isso é outra grande besteira. Se os demais partidos da aliança do democrata, como o PTB, PSDB e PL, aprovaram o nome de Priscila e não exigiram participação na chapa, não há estresse. Ela soma e pode ajudar substancialmente o projeto majoritário de Mendonça.

Quem não leva queda? – De Mendonça Filho ao discursar, ontem, na sua convenção: “Vamos percorrer os quatro cantos da cidade, levando nossas propostas, mostrando que é possível mudar. Chega de aventura, chega de experimentação. Aqui não é espaço para estágio não. Todo mundo cumpre etapa na vida. Eu comecei cedo, mas eu fui subindo degrau a degrau e levei muitas quedas. E as quedas foram boas para mim. Quem não leva queda? Só filhinho do papai e da mamãe. Aí não leva queda. Acaba super protegido, tem tudo ao seu lado, tem um cerco, tem governo, tem palácios. Tem tudo, mas não tem domínio da decisão do povo. E o povo vai tirar essa turma que está no poder”.

Blog do Magno Martins

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar