IMG-20190416-WA0010

Censurado
Por Arthur Cunha
Estamos em 2019, mas pasmem! Os deuses do serviço público (acima da categoria dos famigerados semideuses) nos remetem aos piores dias da Ditadura Militar, com seu AI5, que suspendeu as liberdades individuais no Brasil. Pois dessa vez eu sinto dizer que quem está fazendo esse papel menor é nada menos que o Supremo Tribunal Federal. Por meio do ministro-Deus Alexandre de Moraes, o STF censurou uma matéria da Revista Crusoé reproduzida também em O Antagonista, que ligava outro ministro-Deus, Dias Toffoli, somente o presidente do corte, às propinas da Odebrecht.

IMG-20190416-WA0008

Alexandre Moraes mandou um oficial de Justiça à redação de O Antagonista levar uma cópia da decisão. O censor, ops, oficial de Justiça ainda intimou os autores da reportagem a prestarem depoimento em até 72 horas. Se ninguém avisasse que a Ditadura acabou, eu acharia que ainda estamos naquele tempo. E olhe que quem leva a pecha é Jair Bolsonaro.

Antes que algum semideus do Judiciário pernambucano me censure, eu vou tratar logo da denúncia feita pela revista. A matéria intitulada “O amigo do amigo do meu pai” cita um documento que consta nos autos da Operação Lava Jato, no qual Marcelo Odebrecht responde a um pedido que queria saber a identidade do codinome. Segundo Odebrecht, o apelido se refere a Dias Toffoli – aquele mesmo que recebe mesada de R$ 100 mil.

Que precedente bárbaro abriu o Supremo Tribunal Federal. A mais alta corte do país – logo ela! – lança uma ameaça dessa magnitude ao Estado Democrático de Direito. É o tipo de coisa que só acontece no Brasil. Nós vivemos na ilha da fantasia mesmo. Que promove esse tipo de censura, do que mais é capaz. Isso é apenas a ponta do iceberg do Judiciário. Se procurarmos mesmo a fundo, a podridão vai nos engolir. É, sem dúvida, o poder mais sujo. E o é, também, porque posa de bastião da moral. Uma hipocrisia que episódios como o de hoje jogam luz em cima.

Canetada relâmpago – Em uma canetada, o ministro Alexandre de Moraes conseguiu censurar a Imprensa e tirar do ar, em tempo recorde, uma matéria jornalística baseada em fatos. Não há outra palavra: isso é censura mesmo. Das mais descaradas! Que serviu, inclusive, para cercear o debate. Não é mistério para ninguém a estreita ligação do presidente do STF com o petismo e as podreiras petistas, como relação para lá de perniciosa com a Odebrecht. Toffoli acha o que? Que censura vai apagar isso da memória do povo? Vai não, fera!

Sem boquinha – Uma ação popular impetrada na Justiça Federal de São Paulo tenta barrar a concessão de passaporte diplomático ao bispo da Igreja Universal do Reino de Deus Edir Macedo, e à sua mulher, Ester Eunice Rangel Bezerra. Quem assina o pedido para que o passaporte seja rejeitado ao dono da TV Record é o advogado Ricardo Amin Abrahão Nacle. A boquinha é antiga; os filhos de Lula também já se beneficiaram. O próprio Edir Macedo já havia recebido o documento nos governos Lula e Dilma.

Orçamento Impositivo – A Comissão de Constituição e Justiça da Câmara Federal aprovou, ontem, o relatório que cria o Orçamento Impositivo – a matéria será apreciada no Plenário da Casa. O motivo mais relevante da proposição é tornar obrigatória a execução de emendas de bancadas estaduais. Passada essa pauta, o debate sobre a admissibilidade da reforma da Previdência será retomado.

IMG-20190416-WA0009

FBC forte – O líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho, tem mostrado cada vez mais força junto ao presidente Jair Bolsonaro. Depois de levar, sexta passada, o ministro Gustavo Canuto (Desenvolvimento Regional) à Petrolina para anunciar ações de segurança hídrica e pavimentações, o emedebista assegurou a ida de outra ministra à sua terra. Tereza Cristina (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) debateu, ao lado do prefeito Miguel Coelho, ontem, assuntos ligados à pesquisa, tecnologia, redução da burocracia e da carga fiscal para fortalecer a fruticultura da cidade.

Drops

CANDIDATURA – A oposição em Gravatá ensaia lançar o vereador Marcelo Motos na disputa contra o prefeito Joaquim Neto, ano que vem. Marcelo disputa espaço no bloco de forças com o ex-candidato a prefeito em 2016, João Paulo. O escolhido vai ter que suar a camisa para ganhar do atual prefeito, que sabe fazer eleição na cidade.

SEM CONCURSO – Ontem, o secretário-adjunto de Fazenda nacional, Esteves Colnago, revelou que não há previsão de concurso público no projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2020.
“A premissa neste momento é a não realização de concurso público”, disse, com toda a razão.

SE POSICIONA, BOLSONARO – Falei, ontem, do climão que está instalado no PSL pelo fato de Jair Bolsonaro não ter se posicionado sobre a questão do ministro Marcelo Álvaro Antônio (Turismo). Pois até agora nada! O parlamentar, o mesmo do Laranjal do PSL, teria ameaçado de morte a deputada Alê Silva.

Uma pergunta: eu nunca vi tão mergulhada quanto essa oposição de Pernambuco?

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar