O presidente Jair Bolsonaro comentou o anuncio que Ministro da Justiça, André Mendoça, fez a respeito novo concurso para mais 2.000 vagas para a Policia Federal.

Bolsonaro celebrou os novos tempos do País sem corrupção: “Com orgulho digo: estamos há 18 meses sem qualquer denúncia de corrupção. Isso tem incomodado parte da imprensa e os derrotados de 2018.”

O mandatário brasileiro reforçou que: “A Polícia Federal goza de total liberdade em sua missão. Nunca interferi, e nem poderia, em absolutamente nada.”

Leia abaixo todo o texto:

COMBATE À CORRUPÇÃO/A VERDADE:

– O maior programa combate à corrupção foi executado por mim ao não lotear cargos estratégicos, como por exemplo as presidências das estatais.

– A Polícia Federal goza de total liberdade em sua missão. Nunca interferi, e nem poderia, em absolutamente nada.

– No corrente ano a PF contará com mais 600 profissionais, bem como o novo Ministro da Justiça anunciou novo concurso para mais 2.000 vagas.

– Com a troca do Ministro da Justiça, como por um passe de mágica, várias e diversificadas operações foram executadas. A PRF, por sua vez, quase triplicou a apreensão de drogas com o novo ministro.

– Qualquer operação, de combate à corrupção ou não, deve ser conduzida nos limites da lei, e assim tem sido feito em meu Governo.

– Quanto as operações conduzidas por outro Poder quem responde pelas mesmas não sou eu.

– Com orgulho digo: estamos há 18 meses sem qualquer denúncia de corrupção. Isso tem incomodado parte da imprensa e os derrotados de 2018.

Fonte Por DF Mobilidade

Num cenário no qual o PSB se complique e perca a eleição no Recife, 2022 tende a configurar um quadro interessante em termos de renovação de quadros no Estado para a disputa ao Governo. Sendo reeleito em Jaboatão, conforme se vislumbra, o prefeito Anderson Ferreira (PL) será o primeiro a botar a cara no jogo como pré-candidato a governador. Da mesma forma, a tucana Raquel Lyra, em Caruaru, e o emedebista Miguel Coelho, em Petrolina.

Caiu no colo de Raquel, aliás, um cenário extremamente favorável a sua reeleição. Candidato aparentemente mais forte para fazer o enfrentamento, o deputado estadual José Queiroz (PDT) deve jogar a toalha. A pandemia engessou o seu projeto. Político forjado nas ruas, Queiroz não põe nem o pé na calçada da sua casa temendo o vírus da morte. Não tem perfil, por outro lado, para administrar uma campanha pelas redes sociais como será esta, imposta pela pandemia do coronavírus.

Considera também nome de grande densidade eleitoral, o deputado Tony Gel, do MDB, está inelegível em razão de uma decisão recentemente tomada pelo Tribunal de Contas por causa de aumento de salário dado ao seu secretariado quando prefeito. Restam como adversários o delegado Erick Lessa (PP), um dos mudos da Assembleia (nunca vi um pronunciamento dele), e o jovem Raffiê Dellon, ex-dirigente da Ciretran, filiado ao PSD, cria do deputado federal André de Paula.

Pelo visto, a oposição não fará sequer uma cosquinha de leve para impedir a reeleição de Raquel. Quanto a Jaboatão, o cenário parece tranquilo para Anderson, mas diferente de Caruaru, Jaboatão se insere num bolsão de miséria da Região Metropolitana com um voto flutuante incerto, que muda na direção que o vento leva. Petrolina é um caso atípico. Além de ser hoje um dos gestores mais aprovados do Estado, Miguel Coelho não tem, hoje, adversário.

Os mais fortes são Odacy Amorim e Júlio Lóssio, o primeiro abrigado numa legenda que não tem mais voto de opinião, o PT. O segundo, com os bens indisponíveis, mas sem impedimento legal. Falta a Lóssio, hoje abrigado no PSD, o visgo para atrair aliados. Andorinha sozinha não faz verão. Em Petrolina tem, por fim, a candidatura do vereador Gabriel Menezes, do PSL, igualmente solitário, mas com discurso corajoso, denunciando o que julga errado na gestão municipal.

Mas o fato é que 2022 pode ser o começo de uma renovação na política estadual, tendo em campanha três prefeitos que podem renunciar dois anos e meio de mandato pela frente para tentar despachar no Palácio do Campo das Princesas a partir de janeiro de 2023. Pernambuco é um Estado que não se renova tem muito tempo. A Bahia perdeu ACM, o Toninho Malvadeza, mas tem hoje um governador muito bem avaliado, o petista Rui Costa, e o melhor prefeito de capital, ACM Neto (DEM), segundo o Datafolha. Ali, eles brigam para fazer mais e melhor pela Bahia. E aqui? Nem precisa responder.

Mais forte – Dos três nomes, o que, aparentemente, leva mais vantagem no jogo de 2022 é Anderson Ferreira, não apenas por ser gestor de Jaboatão, segundo colégio eleitoral do Estado, dentro do contexto do voto urbano da Região Metropolitana, mas por representar um grupo, o dos Ferreira, que investe fortemente nas eleições municipais de novembro de olho na eleição para governador, dois anos depois. E investe, sobretudo, na RMR. Favorito em Camaragibe, o ex-prefeito Jorge Alexandre, do SD, por exemplo, já aderiu ao grupo, isso sem falar em dezenas de municípios no Agreste, Sertão e Zona da Mata

Nariz empinado – Por estar mais próxima do Recife, do voto urbano, Caruaru pode ser uma bela vitrine para Raquel Lyra em 2022, mas a tucana tem que desbancar seus adversários logo de saída, no primeiro turno, para chegar com discurso de guerreira nos territórios além da capital do forró. As informações sobre sua gestão são muito desencontradas, mas o que mais pesa em seu perfil é o carimbo de chata de galocha. Briga com Deus e o mundo. Já ficou intrigada até do pai, o ex-governador João Lyra Neto. Por aí, dá para se ter uma noção do seu temperamento, do seu queixão, do seu nariz empinado.

O fator grotões – Quanto a Miguel Coelho, uma grande promessa gerencial e política para o futuro, um dos herdeiros do líder do Governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB), seu grande desafio, depois da reeleição, será torna-se conhecido na Região Metropolitana do Recife, onde está o grosso do eleitorado do Estado. Charme e competência não faltam, mas será um longo caminho, um teste de fogo. Com exceção de Nilo Coelho, que foi biônico, Pernambuco nunca elegeu um governador sertanejo, dos grotões. Mas nada que um bom marqueteiro e uma estratégia política para se alcançar caminhos intransponíveis.

Matéria transcrita do blog do Magno Martins

A Direção Nacional do PT confirmou a candidatura de Marília Arraes à prefeitura do Recife. Marília foi apoiada por 82% dos votos. A decisão foi tomada nesta sexta-feira (31).

Com 52 votos a favor, 10 contrários e 01 abstenção, Marília Arraes foi confirmada como candidata a prefeitura de Recife. O Diálogo e Ação Petista se felicita por essa decisão. O Senador Humberto Costa e a maioria da direção municipal defendiam que o PT apoiasse o candidato do PSB e do governador Paulo Câmara.

“Essa é uma decisão importante porque consolida um projeto que estamos debatendo com os recifenses desde o último mês de março, quando o PT já tinha decidido pela candidatura própria no Recife. A confirmação de hoje me deixa ainda mais animada para continuar esse debate com o PT e com a população, porque temos com certeza um grande legado a defender e as melhores propostas para o futuro do Recife”, afirmou Marília Arraes ao Blog de Jamildo.

Blog do Jamildo

  • Secretário João Braga foi alertado sobre abertura do processo de tombamento pela Secult. Em agosto, a Fundação realiza a Semana do Patrimônio com grandes nomes do País.

A Fundação Joaquim Nabuco oficializou, pela segunda vez, o secretário de Mobilidade e Controle Urbano do Rcife, João Braga. Desta vez, a Fundaj informou sobre a abertura do processo de tombamento do seu campus Casa Forte, pela Secretaria Estadual de Cultura. O deferimento da Secult impede a liberação de construção no entorno do campus até que a poligonal da área de proteção do conjunto arquitetônico a ser tombado seja delimitada. A instituição também está solicitando ao Ministério Público Federal (MPF) que acompanhe o assunto.

“Oficializamos o secretário para que cumpra as determinações legais’, destacou o presidente da Fundaj, Antônio Campos, acrescentando que o
mesmo pedido foi feito ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Nesta sexta-feira (31), o presidente da Fundaj ampliou, por portaria, a comissão interna que está tratando do tombamento dos edifícios Solar Francisco Ribeiro, Gil Maranhão e Paulo Guerra. O chefe de gabinete da Fundaj, Marcus Prado, assinou a presidência da comissão.

O tema patrimônio será debatido pela instituição de 17 a 19 de agosto. Nesse período será realizada a Semana do Patrimônio da Fundação Joaquim Nabuco, com o tema “Seminário: Reflexões e práticas em torno do patrimônio”. O homenageado será o designer pernambucano Aloisio Magalhães.

Entre os palestrantes, nomes como os de Joaquim Falcão, membro da Academia Brasileira de Letras e professor titular da FGV, amigo pessoal do designer, e os designers Gisela Abad e Joaquim Redig, que conviveram com Aloísio, além de Kátia Bogéa, ex-presidente do Iphan.

“Casa Forte, Poço da Panela, o Campus Gilberto Freyre da Fundação Joaquim Nabuco e outros temas sensíveis do patrimônio no Recife” será o tema debatido por Rodrigo Cantarelli, doutor em História e servidor da Fundaj, e José Luiz Mota Menezes, historiador, professor da UFPE. Além das palestras, serão inauguradas exposições virtuais.

Por Magno Martins

Estava catando no Google uma imagem do Rio Pajeú, um dos mais secos do mundo. O que ele tem em carência do líquido que nos mata sede sobra em abundância na inspiração poética para os que beberam na fonte a sua água barrenta, cheia, no entanto, de pureza renovadora da alma e do espírito. Confesso que olho em sua direção ao florescer de cada dia de renovação da vida.

Olho da minha cama silenciosa, tão silenciosa pelo brilho do sol quanto pela madrugada que se despede deixando saudade. A vida é permanente renovação. Não importa onde você parou ou em que momento você cansou. Recomeçar é dar uma nova chance a si mesmo. Meus olhos alcançam sempre águas pajeuzeiras que vão jorrando poesia com métrica ou de verso quebrado.

São os versos soltos que pululam do leito seco a despejar no São Francisco passando pelo Riacho do Navio, como cantou Luiz Gonzaga, que soltam gotejos de rima. No Pajeú, o povo não fala, canta poesia. Cada sotaque, um trocadilho. Aboios? De preferência os que rasgam a alma de cima para baixo fazendo a circunferência do amor, o triângulo da saudade.

A saudade é um parafuso que quando a rosca cai só entra se for torcendo porque batendo não vai. Mas quando enferruja dentro nem distorcendo não sai, cantou Antônio Pereira. De tempos em tempos, nos últimos dias de pandemia, um sentimento bom vem me visitar. É uma saudade intensa, mas gostosa de sentir. Uma saudade inespecífica de um momento qualquer. É uma lembrança de que a vida sempre foi boa.

Minha saudade do Pajeú das flores vem nas horas menos esperadas. Ela chega sorrateira e da mesma forma vai embora. Eu nem consigo sofrer, porque só fica a sensação gostosa de ter por perto novamente suas águas a jorrar. Eu sei que é assim, porque é assim que a alma pede, o espírito implora, o coração fica a latejar.

Cantarolando Antônio Pereira eu diria que
a saudade que me visita em tempos de pandemia é apenas uma sensação, uma coisa tão breve e suave que eu nem consigo absorver direito. É apenas um abraço rápido na alma. Já ouvi por aí que saudade traz tristeza e melancolia. Devo ter sorte de ter uma saudade que só me traz alegria, afinal, quando ela chega, eu sinto o Pajeú mais próximo de mim.

Mas voltando à imagem do Google, pareceu o poço de Benedito. Quem nunca tomou banho no poço do meu tio Benedito que atire a primeira pedra. De tanto mergulhar nele, sem saber nadar direito, quase perco a vida. Fui salvo por Beto de Miguel Jacó, que adorava uma pescaria e que nos trocou cedo pelo Rio de Janeiro, que continua lindo.

Meu tio Benedito, irmão do meu pai, era uma figura estranha, mas adorável. Não teve filhos. Vivia pedindo a papai para adotar Marcelo, meu irmão colado a mim, um ano apenas de diferença. Marcelo e eu éramos fregueses do restaurante de tio Benedito, a melhor e mais saborosa galinha de capoeira de Afogados da Ingazeira. Que vinha acompanhada de um arroz mexido irresistível. Depois do passeio na praça e das paqueradas a gente invadia o point de Benedito.

Moleque, eu enchia tanto o saco de tio que um dia ele me expulsou jogando uma bacia de água quente sobre o meu corpo. Vivia a prestar queixas de mim a papai. Seu doce de leite era um manjar dos deuses, daqueles que de tão duro colavam na cumbuca, a gente revirava pelo avesso e o bicho não desgrudava um milímetro.

Tempos bons que não voltam mais! Com o tempo aprendi que as coisas mudam. Que os momentos bons não voltam. Que arrependimento não mata. Que dores passam. Que amores vem e vão. Que estar apaixonado é bom. Que sofrer nos fortalece. Que cair sempre deixa uma cicatriz. Que nos levantamos de um tombo sempre mais fortes.

Que fazer loucuras faz parte. Que ser feliz não é difícil. Que esquecer é uma questão de opinião. Que deixar partir o que nunca foi nosso é um dos aprendizados mais dolorosos. Que lutar, não exige força e sim coragem. Que sorrir é o melhor remédio. Que quem diz que eu sou fraco, não seria capaz de chorar as minhas lágrimas nem viver a minha vida.

Que quem muito diz que odeia é porque não foi capaz de colocar um fim no amor. Que acreditar ou desacreditar é uma questão de opinião. Que dinheiro não é tudo. Que tudo tem seu tempo determinado. Que o que foi, volta sim. Que vingança ensina a viver. Que as pessoas mudam. Que destino existe. Que o tempo é sim, o senhor da razão.

Após especulações quanto ao destino do PSL na disputa pela prefeitura do Recife, e a decisão de que o partido cerrará fileiras na oposição, o partido do deputado federal Luciano Bivar ganha um papel determinante nas costuras oposicionistas, que estão em vias de definição.

Disputam o coração de Bivar os pré-candidatos Alberto Feitosa, Daniel Coelho e Mendonça Filho, todos eles entendem que para onde Bivar apontar, o escolhido terá grandes condições de aglutinar o campo oposicionista numa candidatura oficial, uma vez que a delegada Patrícia Domingos será oficializada na disputa na próxima semana, e a tese de múltiplas candidaturas está sacramentada na oposição.

Os afagos de Feitosa, Daniel e Mendonça ao PSL estão cada vez mais evidentes, e todos eles sabem que isso será determinante para manter o sonho de disputar a prefeitura do Recife em novembro vivo. A chegada do PSL dará a qualquer postulante oposicionista a condição de maior tempo de televisão de todos os opositores do PSB, e poderá, a depender de um entendimento, empatar o palanque eletrônico com João Campos.

Diante deste cenário, as negociações serão intensificadas para um deadline que está colocado para o dia 15 de agosto por diversos pré-candidatos e importantes atores oposicionistas, quando a estratégia definitiva será anunciada.

A advogada Janaína Paschoal é a entrevistada da live do meu blog hoje pelo Instagram, às 18 horas, com transmissão simultânea pela Rede Nordeste de Rádio no horário do programa Frente a Frente. Acompanhei seu trabalho de perto no processo que resultou no impeachment da ex-presidente Dilma ao lado do jurista Realli Júnior.

A exposição na mídia lhe conferiu um mandato popular. Foi eleita a deputada estadual por São Paulo mais votada do País com dois milhões de votos pela legenda do PSL, até então do presidente Bolsonaro, hoje sem partido e na via crucis para criar um novo abrigo partidário para chamar de seu.

Uma mulher inteligente e segura no que diz e faz. Da tribuna em São Paulo, ela, agora rompida com o presidente, defendeu o seu afastamento e não o impeachment. Na ocasião, afirmou: “As autoridades têm de se unir e pedir para ele [Bolsonaro] se afastar. Nós não temos tempo para um processo de impeachment. Nós estamos sendo invadidos por um inimigo invisível. Precisamos de pessoas capazes de conduzir a nação. Quero crer que Mourão possa fazer esse trabalho por nós”.

O que motivou o discurso da deputada foi o fato de Bolsonaro ter saído às ruas para cumprimentando pessoas que participavam de um ato de apoio ao governo em Brasília. Naquela ocasião, o presidente estava em resguardo depois que quatro pessoas da comitiva que viajou com ele para os Estados Unidos testaram positivo para covid-19. O primeiro exame de Bolsonaro deu negativo, mas recentemente se confirmou.

No mesmo discurso, ela disse ter se arrependido do voto dado a Bolsonaro. E assim falou: “Eu me arrependi do meu voto. Que país é esse? Como é que esse homem vai lá, potencialmente contaminando as pessoas? Pegando nas mãos, beijando. Ele tá brincando? Ele acha que ele pode tudo?” A live de hoje será acompanhada com muita atenção por um público, o nordestino, que não teve ainda a oportunidade de ouvir suas opiniões numa entrevista para um veículo regional.

Aliás, um lembrete: Janaína Paschoal tem um pezinho em Pernambuco: o avô é pernambucano. A live começa exatamente às 18 horas.

Se ligue nessa!

Blog do Magno Martins

O deputado federal Fernando Monteiro (PP-PE) esteve, nesta quinta-feira (30), ao lado do prefeito Luciano Duque, na cerimônia de inauguração do Shopping Serra Talhada, realizada de forma restrita para evitar aglomerações por conta da pandemia da Covid-19. O novo centro comercial, com 22 mil metros quadrados de área construída, recebeu investimento de R$ 30 milhões e deve gerar mais de mil empregos na Capital do Xaxado.

Fernando Monteiro elogiou a iniciativa, considerada como um marco para a economia da região, e a trajetória de João Duque, fundador do grupo JD, responsável pelo empreendimento. “Seu João Duque não tem só visão empresarial, ele tem compaixão ao próximo, com dedicação sem igual à família e à sua terra, sempre pensando em dar dignidade às pessoas. Com fé e esperança a gente faz o longe chegar perto, e ele representa bem isso”, declarou o deputado.

O empreendimento, o primeiro deste porte no Sertão do Pajeú, deve movimentar R$ 40 milhões por ano. O secretário do Trabalho, Emprego e Qualificação de Pernambuco, Alberes Lopes e o secretário de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco, Bruno Schwambach, participaram do ato por vídeo. O secretário de Turismo, Rodrigo Novaes, representou presencialmente o governador Paulo Câmara.

Fotos: Wellington Júnior.

A primeira-dama Michelle Bolsonaro está com Covid-19, informou nesta quinta-feira (30) o Palácio do Planalto.

Em nota, a Presidência disse ainda que o estado de saúde de Michelle é bom e que ela seguirá “todos os protocolos estabelecidos” para tratamento da doença.

“A primeira-dama Michelle Bolsonaro testou positivo para Covid-19 nesta quinta-feira, 30. Ela apresenta bom estado de saúde e seguirá todos os protocolos estabelecidos. A primeira-dama está sendo acompanhada pela equipe médica da Presidência da República”, diz a nota divulgada pela Presidência.

O resultado do exame de Michelle saiu dias depois de o presidente Jair Bolsonaro ter anunciado que se curou da Covid-19. O presidente anunciou no dia 7 de julho que seu exame tinha dado positivo. Passou os dias seguintes trabalhando da residência oficial. No sábado (25), disse que não tinha mais o vírus.

Michelle participou na quarta-feira (29) de uma cerimônia no Palácio do Planalto, na qual discursou. A primeira-dama apareceu ao lado do presidente e utilizou máscara.

As ministras Tereza Cristina (Agricultura) e Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos) discursaram no mesmo evento.

A primeira-dama mora com Bolsonaro e as filhas Leticia e Laura na residência oficial do Palácio da Alvorada. Letícia é enteada do presidente.

Fonte Rádio Corredor

O deputado federal Eduardo da Fonte (PP) destacou o ranking de reclamações do Procon, que coloca a CELPE no topo desde que o órgão retornou com os atendimentos presenciais, para condenar o reajuste tarifário que a companhia impôs aos consumidores a partir deste mês.

“Nós já entramos com um processo para suspender esse reajuste abusivo. A CELPE tenta jogar nas contas dos consumidores um problema de economia interna da companhia. Quer que o povo pernambucano pague quase R$ 50 milhões em compensação de crédito. O ranking do Procon deixa muito claro que o cidadão não está recebendo o serviço equivalente ao alto valor que paga”, afirmou Eduardo da Fonte.

De acordo com os dados do Procon, a CELPE teve mais reclamações que grandes redes varejistas e até que operadoras de telefonia e internet. A maior parte das queixas é por cobranças indevidas e/ou abusivas. No ano passado, a CELPE também figurou no topo do Procon como a empresa com o maior número de reclamações.

Fechar