IMG-20190114-WA0119

Por Marcos Lima Mochila

 

Filho de Edna Maria da Silva Henauth e do Sr. João de Deus Henauth (in memorian), Edmilson Henauth nasceu em Olinda-PE, no dia 10 de outubro de 1969.

Sua vida estudantil foi toda na capital pernambucana, do primário ao ensino superior.

O filho do Sr. João de Deus e dona Edna, desde cedo sonhava em ser médico. Via nessa profissão o desejo de ajudar as pessoas a terem amor e cuidado pela vida.

O jovem Edmilson, após ter sido aprovado em diversos vestibulares, realizou seu grande sonho, ingressando na Faculdade de Ciências Médicas da UPE – Universidade de Pernambuco, iniciando exatamente em 1990 o curso de Medicina.

Com uma personalidade forte e determinada, o estudante de Medicina passou a ter uma atuação de liderança e comprometimento, características estas que o levaram a assumir, na universidade, o cargo de coordenador geral do Diretório Acadêmico de Medicina Josué de Castro, por duas vezes, e diretor do DCE – Diretório Central dos Estudantes daquela instituição.

IMG-20190113-WA0031

Em julho de 1996 conclui o curso e, daí em diante, não parou de se profissionalizar, sempre focado em ser um profissional de referência, um médico que pudesse proporcionar aos seus pacientes um atendimento de confiança e qualidade.

Com esse ideal, o Dr. Edmilson fez pós-graduação em Cardiologia, no HUOC – Hospital Universitário Oswaldo Cruz (2001) e pós-graduação em Gestão de Sistemas de Serviços de Saúde na OPAS (Organização Pernambucana de Saúde) em 2005. Também fez pós-graduação em Medicina do Trabalho, na Universidade Estácio de Sá, Rio de Janeiro, 2014.

O destino, no entanto, lhe reservara surpresas. Em 1994, o jovem e ainda estudante de Medicina chegou à cidade de Bonito, com a incumbência de ajudar o médico plantonista do Hospital Dr. Alberto de Oliveira. A partir daquele ano, o Dr. Edmilson Henauth passou a escrever, junto com o caloroso e acolhedor povo bonitense, um novo capítulo de sua vida.

No hospital da cidade, o então estudante de Medicina aprendeu lições de vida e de amor à profissão que o ajudaram a transformar-se no médico e profissional que se tornou.

Já formado, a partir de 2001passou a atuar como cardiologista do município, após convite do então prefeito, o Sr. Laércio Queiroz e, desde então, o fato de ser cardiologista outorgou-lhe a forma carinhosa e de reconhecimento dos bonitenses, que o denominaram “o médico do coração”.

Cidadão bonitense por adoção e muito querido pelo povo de Bonito, o Dr. Edmilson tinha o desejo de poder ajudar mais ainda a população local e da circunvizinhança. Foi então que decidiu, em 2004, ingressar na política local, candidatando-se a vereador pelo PTB, quando ficou como primeiro suplente e, no final de 2008, assumiu o mandato.

Naquele mesmo ano, lançou-se mais uma vez candidato a vereador, sendo eleito como o vereador mais votado daquela campanha. Em 2012, foi reeleito e, mais uma vez, novamente como o mais votado, sinal que o tão querido médico do coração havia realmente conquistado o carinho e a confiança do povo bonitense.

IMG-20190113-WA0032

 

 

Como médico, o vereador Edmilson sempre procurou atender as necessidades da população.

Na Câmara Municipal, tornou-se um brilhante represente do seu povo, focando a maior parcela do seu mandato em ações na área de saúde, buscando uma melhor qualidade de vida para a população e o desenvolvimento do município, seja na região urbana ou rural.
Em janeiro de 2015, assumiu a presidência da Câmara Municipal Casa Leônidas Vila Nova.

Na campanha de 2016 concorreu à reeleição, dessa feita já pelo PSB, chegando à vitória como o 2° vereador mais bem votado para o pleito de 2017 a 2020. A votação recebida – 1.380 votos – foi um fato inédito, na cidade, em reeleição de vereador.

O amor à profissão de cardiologista e a paixão pela política ele sempre administrou muito bem e com muito zelo e responsabilidade.
Pai de Pedro e Maria Alice, ganhou mais duas filhas do seu casamento com Maria Aline Henauth, com quem teve Maria Valentina e Marina, frutos de uma união selada em 2012.

Durante esses 24 anos de vida bonitense, “o doutor do coração” já trabalhou e ainda trabalha em muitas outras cidades, tais como, Gravatá, Bezerros, Recife, São Joaquim do Monte, Ribeirão, Cortês, Correntes e Caruaru. Nesta, há 8 anos é diretor da UPA 24H estadual e médico da UTI coronária do Mestre Vitalino, sendo o um dos médicos mais antigos de lá e da UPAE.

IMG-20190113-WA0033

No Bonito, além de cardiologista, vereador e médico do trabalho, foi secretário Municipal de Saúde no período de 2009 a 2010.

O Dr. Edmilson é hoje, sem dúvida, uma liderança política, fato que foi reconhecido este ano quando, por ocasião da realização do Encontro Nacional de Legisladores Municipais, evento promovido pela União de Vereadores do Brasil – UVB, realizado no Bonito, o qual ficou marcado pela eleição da UVB-PE – entidade criada para representar os vereadores do Estado de Pernambuco -, quando foi consagrado como presidente, eleito por aclamação.

IMG-20190113-WA0034

A vida e a história do Dr. Edmilson Henauth resume-se em compromisso e dedicação de coração em tudo que faz.

NOVO JUIZ DA LAVA JATO

Postado por Marcos Lima Mochila

 

Só falta o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) sacramentar, mas nos meios jurídicos e entre os serventuários da Justiça Federal em Curitiba, o nome é dado como certo.

Friedmann Anderson Wendpap deve assumir a titularidade da 13ª Vara Criminal Federal, em substituição ao ex-juiz Sérgio Moro.

A possibilidade, tida como praticamente certa, tem causado verdadeiro pânico entre os defensores do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Wendpap chega com a missão de logo de cara sentenciar em dois processos do petista.

A previsão é de penas pesadíssimas.

Em 2016, sites jurídicos especializados já noticiavam o magistrado como ‘mais ousado’ que Moro. Veja a manchete do Conjur do dia 24 de novembro de 2016:

JUIZ MAIS DURO 1

 

Em decisão memorável, o magistrado, numa atitude inédita, havia determinado o bloqueio da receita das empreiteiras Odebrecht e OAS e, para tanto, utilizou a seguinte argumentação:

“Se a propina de 3% sobre os contratos com a Petrobras que a Odebrecht e a OAS pagavam aos diretores da estatal não ‘tolhia a libido empresarial’ das empreiteiras, o bloqueio desse percentual de suas receitas há de ser motivo de júbilo na purgação das condutas deletérias que privatizaram ilegitimamente os bens públicos.”

Fonte: Jornal da Cidade Online

O governador Ibaneis Rocha espera que, nesse prazo, tenha condições de definir destino do Projeto Orla Livre, uma das maiores vitrines do governo Rollemberg

Ciclovia já construída às margens do Paranoá: para Ibaneis, área não deve ser ocupada por casas nem servir como área de lazer (Foto: Tony Winston/Agência Brasília)
Ciclovia já construída às margens do Paranoá: para Ibaneis, área não deve ser ocupada por casas nem servir como área de lazer (Foto: Tony Winston/Agência Brasília)

Cézar Feitoza – Especial para o Correio

Postada por Marcos Lima Mochila

 

Um dia depois de criticar a circulação de pessoas pela orla do Lago Paranoá, o governador Ibaneis Rocha (MDB) disse, neste domingo (13/1), ao Correio, que fará com sua equipe uma análise da sentença judicial de desocupação do espaço para avaliar se o projeto Orla Livre, uma das maiores vitrines da gestão de Rodrigo Rollemberg (PSB), terá prosseguimento ou não.

“Estou fazendo uma análise, porque entendo que aquele sentença, até mesmo por correr em uma vara ambiental, é uma sentença de proteção ao lago e não de abertura para que as pessoas façam o que queiram ali. Da mesma maneira que eu acho que ela não deve ser dos moradores do Lago (Sul e Norte), acho que não deve ser de mais ninguém. (A orla) deve proteger o lago”, argumentou Ibaneis.

O emedebista contou que vai submeter a decisão judicial ao Instituto Brasília Ambiental (Ibram) e à Secretaria de Meio Ambiente para verificar se o entendimento dele está correto. “Acho que, em 90 dias, nós teremos condições para fazer essa análise e trazer uma resposta ao tema”, calculou.

A sentença judicial a que o governador se refere foi tomada pelo juiz Carlos Divino Vieira Rodrigues, em 25 de agosto de 2011. A pedido do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), o magistrado acolheu o entendimento de que o Código Florestal, ao considerar área de preservação permanente os arredores dos lagos e reservatórios artificiais, “institui a orla do Lago Paranoá como área de proteção ambiental”.

Na decisão, o juiz ainda destacou o artigo 225 da Constituição Federal, que, no parágrafo 1º, inciso III, determina ao GDF a proteção do espaço, “sendo a alteração e a supressão permitidas somente através de lei, vedada qualquer utilização que comprometa a integridade dos atributos que justifiquem sua proteção”.

Novo administrador concorda com Ibaneis

O governador Ibaneis, em um dos processos de desdobramento da sentença judicial, advogou para a Associação dos Moradores do Lago Sul. O grupo recorreu à Justiça do DF solicitando o fim da derrubada das construções no local. O Tribunal de Justica do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) negou o pedido.

Em agosto de 2015, o GDF atendeu à decisão judicial e iniciou a desobstrução de 454 lotes, obrigados a recuar as cercas nos Lagos Norte e Sul em, no mínimo, 30m de distância do Lago Paranoá. Ao todo, 1,7 milhão de metros quadrados foram recuperados até dezembro de 2017.

O administrador regional do Lago Sul, Rubens Santoro, contou que o processo de derrubada dos lotes foi complicado, mas concorda com o governador Ibaneis em relação à urbanização. “O espaço não pode ser urbanizado e a administração vai fiscalizar de perto o que será feito na região. Não podemos permitir que poluam o lago, temos de respeitar a decisão judicial de proteger a região”, afirmou.

Projeto tem apoio do movimento Ocupe o Lago

ORLA DO D 1

Ao passo que a Agência de Fiscalização do Distrito Federal (Agefis) passava o trator sobre as cercas irregulares, o GDF tocava as obras de revitalização do espaço. Tratava-se do projeto Orla Livre, desenvolvido pelo governo na gestão de Rodrigo Rollemberg, com vistas à ocupação pública do espaço, construindo ciclovias e espaços de convivência à beira do lago.

De agosto de 2016 a maio de 2018, período em que as obras ocorreram, foram construídos deques que interligam os parques Asa Delta e Península Sul e o Pontão, com percurso de 4km entre calçadas e estruturas de madeira sobre a água.

O projeto previa, também, a abertura de um concurso para a apresentação de propostas para a construção de ciclovia, calçadas e áreas de lazer, esporte e cultura nos mais de 100km lineares da orla do Lago Paranoá. Em 21 de abril de 2018, o projeto do curitibano Eron Danilo Costin sagrou-se vencedor (Confira aqui o plano geral do projeto).

Fundador do movimento Ocupe o Lago, Marcelo Ottoni discorda do ponto de vista de Ibaneis e apoia a iniciativa da gestão anterior. Segundo ele, durante o último governo, o movimento trabalhou para que houvesse interlocução entre os órgãos responsáveis para discutir a ocupação da orla do Lago Paranoá de forma sustentável e legal, observando todos os aspectos necessários para a implementação do projeto.

“Temos de considerar o viés ambiental, mas também o econômico e o social. Por isso, em vez de impediram a circulação de pessoas na orla, esse espaço tem de ser utilizado como sensibilização. A gente propõe uma terceira via, que considere essa busca pela ocupação ambientalmente adequada, fomentando essa consciência na população, mas utilizando o espaço público de maneira social, turística”, acredita.

Governo brasileiro negocia com a Bolívia como cumprir a extradição e entregar Battisti às autoridades italianas

(Foto: Rafaela Felicciano/Metrópoles)
(Foto: Rafaela Felicciano/Metrópoles)

Agência Estado

Postado por Marcos Lima Mochila

 

Os ministros da Justiça, Sergio Moro, e das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, chegaram na manhã deste domingo, 13, no Palácio da Alvorada para se reunir com o presidente Jair Bolsonaro, após a detenção pela Interpol, na Bolívia, do italiano foragido do País Cesare Battisti – ele tem mandado de extradição a pedido da Itália.

O governo brasileiro negocia com a Bolívia como cumprir a extradição e entregar Battisti às autoridades italianas.

“Diante da detenção de Cesare Battisti pela Interpol, em Santa Cruz de la Sierra, Bolívia, o Ministério da Justiça e Segurança Pública e o Ministério das Relações Exteriores estão tomando todas as providências necessárias, em cooperação com o governo da Bolívia e com o governo da Itália, para cumprir a extradição de Battisti e entregá-lo às autoridades italianas”, afirmou o governo Jair Bolsonaro, em nota conjunta dos ministérios.

Condenado na Itália à prisão perpétua por assassinatos nos que ele nega participação, Battisti havia ganhado o direito de permanecer no Brasil no governo Luiz Inácio Lula da Silva. O ex-presidente Michel Temer, no fim do mandato, decidira revogar o refúgio e extraditar o italiano, que era militante de extrema esquerda. O Supremo Tribunal Federal determinou a prisão dele em dezembro do ano passado, mas a Polícia Federal não conseguiu evitar a fuga.

Em caso de condenações, os dois processos que podem, segundo investigadores e advogados, triplicar a pena de prisão de Lula

(Foto: AFP / Nelson Almeida)
(Foto: AFP / Nelson Almeida)

AE Agência Estado

Postada por Marcos Lima Mochila

 

Na mesa da juíza federal Gabriela Hardt – substituta de Sérgio Moro na 13.ª Vara Federal de Curitiba – estão dois processos da Operação Lava Jato contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva que podem ter sentenças até abril, quando o petista completa um ano de prisão.

Em caso de condenações, os dois processos que podem, segundo investigadores e advogados, triplicar a pena de prisão de Lula são o da compra de um terreno para o Instituto Lula em São Paulo e de um apartamento em São Bernardo do Campo e o do sítio em Atibaia (SP). Em ambos, o petista é acusado de receber propina de empreiteiras por meio dos imóveis em troca de contratos da Petrobrás.

O caso do terreno deve ser o primeiro a ser julgado. Está concluído para sentença desde 12 de dezembro. A ação do sítio chegou para a juíza substituta na semana passada e pode ser julgada pelo magistrado que ocupará a vaga de titular deixada por Moro.

Investigadores da Lava Jato e advogados que atuam nos processos consideram o acervo de provas dessas ações mais robusto que o da primeira sentença, em que Lula foi condenado por Moro em julho de 2017, no caso do triplex do Guarujá (SP). O então juiz sentenciou o ex-presidente a 9 anos e 6 meses de prisão – posteriormente, a pena foi aumentada na segunda instância para 12 anos e 1 mês.

Uma das provas desse acervo é a delação da Odebrecht, que será usada pela primeira vez na Justiça contra Lula. O material reúne e-mails do empresário Marcelo Odebrecht, planilhas – entre elas a “Italiano”, referente a uma conta “gerenciada” pelo ex-ministro e delator Antonio Palocci -, registros contábeis do Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht, como era chamado o “departamento de propinas” da empreiteira, e as confissões dos 77 executivos e ex-executivos da empresa.

Nos arquivos do MyWebDay e Drousys – programas de computador que serviram para controle contábil e de comunicação de despesas ilícitas da Odebrecht – estão boa parte das transações que teriam Lula – identificado como “Amigo” nos registros da empresa – como beneficiário de corrupção.

Outro material apontado como prova contra Lula nos processos são os registros de custeio e montagem da cozinha do sítio de Atibaia pela OAS. São notas fiscais, projetos, e-mails e prestações de contas os envolvidos. Esse mesmo tipo de material foi usado na sentença do ex-presidente no caso do tríplex.

O acervo, segundo investigadores, conta ainda com contratos e recibos “simulados”, lançamentos contábeis de pagamentos que teriam ocultado propinas, e-mails, anotações, ligações telefônicas, confissões de colaboradores, laudos periciais, entre outros, que comprovariam o envolvimento de Lula na corrupção na Petrobrás.

Nas alegações finais dos dois processos em que pede a condenação de Lula, o Ministério Público Federal disse ter apresentado “vasto, sólido e coeso acervo probatório”. Lista “provas documentais, testemunhais e periciais, inclusive obtidas em diligências de busca e apreensão ou afastamento de sigilo bancário, fiscal e telemático”.

Os procuradores anexaram ainda documentos que, segundo a força-tarefa, indicam que Lula atuou em 2009 para garantir a “perpetuação (do esquema), deixando de adotar qualquer providência para fazê-lo cessar”. Os processos apontam acerto de cerca de R$ 230 milhões em propinas da Odebrecht e da OAS com políticos e agentes públicos ligados ao PT.

Parcialidade

A defesa de Lula sustenta que a indicação de diretores da Petrobrás estava relacionada ao papel de Lula como presidente, não de “líder ou sequer participante de um esquema criminoso”. Segundo os advogados, não há provas de que ele é o dono do sítio e o imóvel, comprovadamente, pertence a Fernando Bittar e Jonas Suassuna. “Não sendo dono, não é o beneficiário das benfeitorias”. Contesta, ainda, provas de que o petista teve envolvimento direto com a compra do terreno destinado ao instituto.

Os advogados apontam supostas nulidades do processo e pedem a absolvição do petista. Nas alegações finais do processo do sítio, a defesa dedica um capítulo à parte ao aceite de Moro para chefiar o Ministério da Justiça do governo Jair Bolsonaro. Para os defensores, nem o ex-juiz nem Gabriela Hardt têm imparcialidade para julgar o petista.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Terrorista italiano foi preso na cidade de Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, na madrugada deste domingo (13/1)

Cesare Battisti: Autoridades avaliam se a extradição para a Itália será feita diretamente da Bolívia ou se Battisti será enviado para o Brasil (Paulo Fridman/Getty Images)
Cesare Battisti: Autoridades avaliam se a extradição para a Itália será feita diretamente da Bolívia ou se Battisti será enviado para o Brasil (Paulo Fridman/Getty Images)

Ana Luiza Vinhote

Postada por Marcos Lima Mochila

 

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), se manifestou, por meio de nota, neste domingo (13/1) sobre a prisão do italiano Cesare Battisti. “A prisão de Battisti foi uma decisão acertada do ex-presidente [Michel] Temer, que será corretamente cumprida pelo presidente [Jair] Bolsonaro. Decisão essa que restabelece o Brasil no cenário democrático internacional, em especial com a comunidade italiana”, disse.

O chefe do Palácio do Buriti tinha elogiado a decisão do correligionário pela decisão de extraditar o terrorista do país em dezembro do ano passado. “Esse bandido manchou a história recente do Brasil com sua postura de escárnio. Com essa decisão, o presidente Temer recupera a imagem do país diante dos outros países e dos organismos internacionais”, afirmou.

Desde o dia 14 de dezembro, Battisti, de 64 anos, era considerado oficialmente foragido, já que descumpriu ordem de prisão do dia anterior. Foram realizadas mais de 30 ações pela PF para encontrá-lo, até então sem sucesso. Apenas neste domingo, exatamente um mês após a ordem de prisão, ele foi preso.

Battisti estava oficialmente asilado no Brasil desde 2010 quando, no último ato do seu governo, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva determinou que ele poderia permanecer no país.

A situação mudou, porém, no último dia 14 de dezembro, quando o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Fux determinou que a prisão poderia ser revogada. Na sequência, o então presidente Michel Temer (MDB) voltou atrás na decisão que permitia a ele viver no Brasil. Battisti, então, fugiu.

O italiano foi preso na cidade de Santa Cruz de La Sierra, uma da maiores da Bolívia. Não há detalhes, por ora, de como a investigação da Polícia Federal chegou até o foragido. Apesar de confirmar a informação da sua prisão, a PF não informou os próximos passos a serem tomados.

Governador também confirmou desejo de pagar funcionalismo no 2º dia útil, mas que é uma realidade ainda distante

Reunião de Witzel com seu secretariado ocorreu na manhã deste sábado, no Palácio Guanabara - Carlos Magno/Divulgação
Reunião de Witzel com seu secretariado ocorreu na manhã deste sábado, no Palácio Guanabara – Carlos Magno/Divulgação

Por Paloma Savedra

Postada por Marcos Lima Mochila

 

Rio – Licenças irregulares e funcionários ‘fantasmas’ estão na mira do Estado do Rio. O governador Wilson Witzel pediu que os secretários de cada pasta façam perícias para identificação desses casos. Essa é uma das medidas recomendadas por Witzel em reunião que ocorreu na manhã deste sábado, no Palácio Guanabara, como forma de reduzir custos da máquina pública.

“Cada secretário terá sua obrigação de identificar contratos que podem ser contingenciados, renegociados, e cada secretário vai identificar funcionários fantasmas, servidores de licença sem necessidade de estar de licença, e vamos incentivar e melhorar o trabalho de perícia. Com isso, cada secretário sai daqui hoje com a tarefa de reduzir custos e melhorar o desempenho de cada secretaria”, declarou o governador, que concedeu entrevista coletiva após a agenda.

Ele disse ainda que o cenário financeiro do Rio é caótico. Só o déficit orçamentário previsto para este ano é de R$ 8 bilhões. Questionado sobre riscos de o estado voltar a atrasar salários, ele disse que o governo está tomando medidas para que isso não aconteça: “Se nós não fizermos nada, há risco. Mas nós estamos fazendo”.

“A melhoria do desempenho da arrecadação é que vai permitir que nós consigamos honrar os contratos e investimentos. Agora, o salário do servidor nós teremos condições de pagar plenamente com a arrecadação do Tesouro e mais royalties de petróleo. Mas o que corre risco é honrar os contratos. Nós não vamos deixar de pagar servidor, mas vamos trabalhar para que os contratos sejam pagos e a administração possa pagar o funcionalismo público”, declarou Witzel.

Calendário no 2º dia útil

O governador confirmou que deseja retomar o calendário de pagamentos para o segundo o dia útil, mas isso ainda é uma realidade distante.

Foco na arrecadação tributária

Na reunião, o secretário de Fazenda, Luiz Cláudio Rodrigues de Carvalho, apresentou o Plano de Recuperação Fiscal do Rio aos chefes de cada pasta, e todas as proibições implícitas, como de contratações de servidores – exceto para repor cargos vagos – e de aumento salarial, entre outras. Carvalho também ressaltou que sua pasta vai intensificar o trabalho de aumento na arrecadação de ICMS e ITD.

Carvalho também anunciou que serão revogados benefícios fiscais a empresas que não dão contrapartida.

Italiano condenado por crimes era considerado foragido desde 14 de dezembro, quando o então presidente Michel Temer assinou o decreto de extradição

CESARE BATTISTI

Por Agência Brasil

Postada por Marcos Lima Mochila

 

O italiano Cesare Battisti, de 64 anos, cuja extradição foi determinada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), em 13 de dezembro do ano passado, foi capturado na Bolívia. De acordo com as autoridades da Itália, a detenção foi possível pela parceria entre investigadores italianos e bolivianos. Ele caminhava tranquilamente pela rua e usava uma barba falsa.

Battisti estava em Santa Cruz de La Sierra, uma das principais cidades da Bolívia, e foi capturado por volta das 17h deste sábado (12). Segundo relatos, ele não tentou escapar. Questionado pelos policiais, respondeu em português. O italiano usava calça azul e camiseta, óculos escuros e barba falsa.

As autoridades avaliam se a extradição para a Itália será feita diretamente da Bolívia ou se Battisti será enviado para o Brasil e, assim ser encaminhado para a Europa. Há uma aeronave do governo italiano com agentes da Aise, a agência de inteligência do país, aguardando orientações, em território boliviano.

Condenação

Condenado à prisão perpétua na Itália, Battisti foi sentenciado pelo assassinato de quatro pessoas, na década de 1970, quando integrava o grupo Proletários Armados pelo Comunismo, um braço das Brigadas Vermelhas. Ele se diz inocente. Para as autoridades brasileiras, ele é considerado terrorista.

No Brasil desde 2004, o italiano foi preso três anos depois. O governo da Itália pediu sua extradição, aceita pelo STF. Contudo, no último dia de seu mandato, em dezembro de 2010, o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva decidiu que Battisti deveria ficar no Brasil, e o ato foi confirmado pela Suprema Corte.

O presidente Jair Bolsonaro, mesmo antes de empossado, defendia a extradição de Battisti. Nos últimos dias do governo Michel Temer, houve a decisão do STF. Após dias de buscas, a Polícia Federal divulgou 20 simulações sobre a possível aparência do italiano.

*Com informações da RAI, emissora pública de televisão da Itália.

 

Edição comemorativa, lançada nesta sexta-feira (11), no Recife Antigo,  teve curadoria de Maria Luciana Nunes e narra a trajetória da cirandeira mais famosa do Brasil

LANÇAMENTO LIA 7

Por Henrique Lima

Posado por Marcos Lima Mochila

Conhecida internacionalmente pela sua ciranda, Maria Madalena Correa do Nascimento, ou simplesmente Lia de Itamaracá, recebeu nesta sexta-feira (11) das mãos de amigos artistas e da curadora do livro, Maria Luciana Nunes, criadora do Hub SinsPire, uma linda homenagem. O livro “Lia de Itamaracá: 75 anos cirandando com resistência, sorrisos e simplicidade” narra, com bastante poesia, a trajetória da Rainha Cirandeira, Patrimônio Vivo da Cultura Pernambucana que recebeu apoio da Fiat Chrysler Automobiles – FCA/ Jeep.

LANÇAMENTO LIA 4No livro, momentos importantes que marcam a trajetória de 75 anos da Diva da Música Negra Brasileira são revelados. Lia abre sua vida e conta suas lembranças como merendeira de uma escola pública estadual da Ilha de Itamaracá, seu casamento com o músico Toinho, seu encontro com o produtor musical Beto Hees e todas as dificuldades superadas para manter vivo um patrimônio sustentado sem apoio do poder público.

“Estou sentindo muita alegria. Nunca imaginei ter minha história contada em um livro. LANÇAMENTO LIA 6Infelizmente falta consciência do poder público para incentivar e valorizar os artistas locais da cultura popular. Os artistas que estão chegando agora não podem desistir jamais, é preciso insistir, pois para mim nada foi fácil. Lutei demais para chegar até aqui com muito trabalho e muita luta”, destacou a homenageada, Lia de Itamaracá. “Essa mulher dedicou sua vida à ciranda. Se você se juntar, se unir e dar as mãos, vira uma verdadeira ciranda, a exemplo desta comemoração aos 75 anos de Lia, uma ciranda de profissionais que da música e da arte, deram vida àquilo que ela tem feito: festejar”, comemorou o produtor e empresário, Beto Hees.

“O coletivo é capaz de realizar muitas coisas. Esse trabalho é resultado do encontro de diversas pessoas e da Jeep, que se disponibilizaram para homenagear um ícone da nossa cultura. Lia merece todas as homenagens”, ressaltou Luciana Nunes, curadora do livro e responsável por conectar uma equipe formada por jornalistas, publicitários, designer, produtores e fotógrafos, dedicados a dar vida ao livro de 80 páginas que resgata imagens inéditas e atuais de Lia.

Roberto Baraldi, gerente de Comunicação da FCA/ Jeep para América Latina ressaltou que desde o início das obras do Polo Automotivo Jeep, em Goiana, Região Metropolitana do Recife (RMR), em 2012, a empresa tem procurado, cada vez mais, conhecer as manifestações culturais e sociais da região. “Contribuir com essas manifestações é uma forma de nos inserirmos na comunidade que nos abrigou, portanto, é uma enorme satisfação apoiar um projeto lindo desse que resgata a trajetória de Lia de Itamaracá, uma grande referência cultural para Pernambuco”, concluiu Baraldi.LANÇAMENTO LIA 5

“Ver tantos artistas reunidos para o lançamento deste tão importante livro me deixa bastante feliz. Irei registrar no início de fevereiro, no Congresso Nacional, que trabalhos assim se estendam, pois, não podemos deixar os artistas populares sem serem olhados como deveriam ser”, disse o deputado federal, Gonzaga Patriota (PSB-PE).

No carnaval deste ano, Lia será homenageada pelo Galo da Madrugada e o Homem da Meia-noite. Luiz Adolpho, presidente do bloco, fala da importância de homenagear Lia, ícone da cultura popular. “Lia representa uma grande voz pernambucana e brasileira, este é um momento bastante especial. Durante o desfile do Homem da Meia-Noite, quando a cortina baixar e mostrar a roupa do calunga gigante, ao som de uma ciranda de Lia de Itamaracá, sem dúvida será algo único e especial”, concluiu.

“Para mim é uma grande alegria participar deste lançamento, estou tão emocionado que até parece que a homenagem foi feita para mim. Lia, como eu, somos Patrimônios Vivos da Cultura Pernambucana. Ela é merecedora de toda essa alegria em sua volta”, disse Mestre Galo Preto.

A noite contou com a presença de vários artistas da terra, que foram homenagear e mostrar seu carinho a Lia. Cristina Amaral esteve presente no lançamento do livro e destacou Lia como uma “lenda viva da cultura pernambucana”. “Fico muito lisonjeada de participar da história de Lia pois, há cinco anos, juntas fizemos o Galo da Madrugada e neste dia, lembro muito bem que, a imprensa local, dizia que foi a maior ciranda em linha reta do mundo. Todo mundo é apaixonado por Lia”, falou emocionada.

“Lia é uma grande estrela brasileira e o Brasil inteiro deveria homenagear essa mulher, a verdadeira arte em pessoa”, ressaltou a cantora Nádia Maia.

“Lia é um símbolo de resistência que a gente precisa nesses novos tempos e também nos unir. Nada mais simbólico do que a própria ciranda para a gente juntar as mãos e todos se ajudarem. É importantíssimo cada vez mais estar perto da nossa rainha ao qual eu sou súdito”, falou emocionado o amigo Roger de Renor do Som da Rural.

“Sou muito grato a Deus por ter-me permitido viver com grandes mestres. Meu pai [Claudionor Germano] completa este ano 73 anos de carreira, 86 anos de idade, e eu tive o privilégio de conviver com Capiba, Luiz Bandeira e sinto-me honrado de estar participando desta homenagem em vida para Lia. Claudionor e Lia e devem ser sempre reverenciados”, destacou o cantor Nonô Germano.

Os fotógrafos Alfeu Tavares, Ana Araujo, André Coelho, Gaby Cerqueira, Hannah Carvalho, Henrique Lima, José de Holanda, Emiliano Dantas, Pedro Rampazzo, Roberto Cuíca, Rogério Reis e Ytallo Barreto assinam a obra que já está à venda e todo o dinheiro arrecadado será revertido para as ações sociais e culturais do Centro Cultural Estrela de Lia. Os textos utilizados para a elaboração da obra foram fonte de pesquisa do livro-reportagem “O mito, a mulher, a ciranda”, do jornalista pernambucano Marcelo Henrique Andrade.

LIA DE ITAMARACÁ 8

Ao final, a curadora do livro, Maria Luciana Nunes, que se entregou a esse projeto de corpo e alma, que idealizou o projeto, correu atrás de patrocínio, juntou um grupo de trabalho que incorporou a mesma garra, a mesma vontade que ela teve, estava cansada, mas feliz. “Realizar esse trabalho, que é grandioso, sobretudo pelo fato de homenagear uma artista grandiosa e gloriosa, como Lia, foi como caminhar pelas mesmas estradas que ela caminhou, sentindo as mesmas emoções, tendo as mesmas surpresas”, confessou Luciana.

“O interessante é que depois de tanta luta, tanto trabalho, em vez de cansada eu estou me sentindo realizada, feliz, consciente de que minha entrega, que foi total, ficou pequena diante da grandeza dessa maravilhosa artista, dessa mulher fenomenal. Valeu a pena”, finalizou a curadora, ainda extasiada.

IMG-20190112-WA0158O Deputado Estadual Claudiano Filho, agendou uma reunião com o novo secretário de Agricultura de Pernambuco para a próxima quinta-feira, (17) às 11:00 horas, o encontro acontecera na sede do IPA que fica localizado na Avenida General San Martin. Na pauta, será apresentado as reivindicações dos produtores e queijeiros, que vem sofrente nos últimos tempos com a baixa do preço dos produtos derivados do leite, tendo seu pior inimigo a utilização do leite em pó usado pelas grandes industrias.

Marcelo Tubarão que recentemente liderou um movimento em prol da categoria, convida os produtores rurais e queijeiros da ragião de Capoeiras, São Bento do Una e Venturosa para acompanharem o encontro junto ao novo Secretário de Agricultura do Estado. “Essa é a hora de unirmos forças em busca de melhorias para a nossa gente, mostrando que temos união e coragem de ir em busca de condições dignas para nossa classe tão sofrida, conto com cada um produtor, fabricante e queijeiro”. Pontuou Tubarão.

Os representantes da categoria estão ouvindo os produtores, fabricantes e queijeiros para formular uma pauta com as demandas da classe, que será entregue nas mãos do Secretário Dilson Peixoto, o pedido será reforçado pelo Deputado Claudiano Filho.

 

Blog do Luiz Farias

Fechar