ARMANDO CRESCE E PAULO ESTACIONA DE ACORDO COM PESQUISA

IMG_20180920_104857

Pesquisa Datafolha em Pernambuco, divulgada na manhã desta quinta-feira (20/09), aponta o crescimento de Armando Monteiro na corrida eleitoral. Para o governo de Pernambuco, enquanto Paulo Câmara estacionou. Há de se considerar que, de acordo com a margem de erro de 3 pontos, na realidade hoje eles estão empatados tecnicamente. Além disso, pelos estudos técnicos que são realizados diariamente pela equipe da Revista TOTAL, Paulo continua com chances de se eleger, podendo isso acontecer até no primeiro turno.

Este estacionamento de Paulo Câmara é a repercussão de vários erros que sua equipe de coordenação da campanha vem cometendo. Sobre este tema, aliás, nesta sexta-feira (21/09), o presidente do Grupo TOTAL, Marcelo Mesquita, apresenta que erros são estes e quais os caminhos para Paulo voltar a crescer.

A pesquisa foi realizada nos dias 18 e 19 de setembro, encomendada pela TV Globo e pelo jornal “Folha de S.Paulo” e ouviu 1.232 eleitores de 50 municípios de Pernambuco, com 16 anos ou mais. O nível de confiança utilizado é de 95%, o que quer dizer que há uma probabilidade de 95% de os resultados retratarem o momento atual, considerando a margem de erro de 3 pontos percentuais para mais ou para menos. A pesquisa foi registrada no TSE sob o nº PE 09351/2018.

IMG-20180920-WA0129

Seguem os números da 3ª pesquisa de intenção de voto realizada depois da oficialização das candidaturas na Justiça Eleitoral:

Paulo Câmara (PSB): 35%

Armando Monteiro (PTB): 31%

Julio Lossio (Rede): 3%

Ana Patrícia Alves (PCO): 2%

Maurício Rands (Pros): 2%

Dani Portela (PSOL): 1%

Simone Fontana (PSTU): 1%

Branco/nulo: 19%

Não sabe: 6%

Na modalidade espontânea da pesquisa Datafolha (em que o pesquisador somente pergunta ao eleitor em quem ele pretende votar, sem apresentar a relação de candidatos), o resultado foi o seguinte:

Paulo Câmara (PSB): 19%

Armando Monteiro (PTB): 13%

Outros: 10%

Branco/nulo/nenhum: 19%

Não sabe: 39%

O levantamento anterior, feito de 4 a 6 de setembro, foram apontados os seguintes percentuais de intenção de votos:

Paulo Câmara (PSB): 34%

Armando Monteiro (PTB): 25%

Julio Lossio (Rede): 2%

Maurício Rands (PROS): 2%

Ana Patrícia Alves (PCO): 1%

Simone Fontana (PSTU): 1%

Dani Portela (PSOL): 1%

Branco/nulo: 26%

Não sabe: 6%

A Datafolha também mediu a taxa de rejeição, em que o eleitor deve dizer em qual dos candidatos não votaria de jeito nenhum, podendo escolher mais de um nome.

São estes os resultados:

Simone Fontana (PSTU): 33%

Dani Portela (PSOL): 32%

Paulo Câmara (PSB): 31%

Julio Lossio (Rede): 31%

Ana Patrícia Alves (PCO): 30%

Maurício Rands (PROS): 29%

Armando Monteiro (PTB): 23%

Rejeita todos/não votaria em nenhum: 10%

Votaria em qualquer um/não rejeita nenhum: 1%

Não sabe: 9%

Simulações de segundo turno (Considerando-se os dois candidatos que ocupam as primeiras posições):

· Paulo Câmara (PSB): 42%

· Armando Monteiro (PTB): 39%

· Branco/nulo: 15%

· Não sabe: 4%)

A Datafolha também ouviu eleitores em Pernambuco a respeito da disputa para o Senado, que mostra um crescimento de 4 pontos dos votos de Mendonça, que ultrapassou o candidato Humberto Costa, embora Humberto também tenha subido mais 2 pontos percentuais.

Os resultados foram estes para intenção de voto para o Senado em Pernambuco:

Jarbas (MDB): 36%

Mendonça Filho (DEM): 31%

Humberto Costa (PT): 30%

Bruno Araújo (PSDB): 12%

Silvio Costa (Avante): 11%

Pastor Jairinho (Rede): 6%

Adriana Rocha (Rede): 3%

Hélio Cabral (PSTU): 2%

Lídia Brunes (Pros): 2%

Albanise (PSOL): 1%

Eugênia (PSOL): 1%

Alex Lima Rola (PCO): 1%

Em branco/nulo/nenhum para a 1ª vaga: 20%

Em branco/nulo/nenhum para a 2ª vaga: 28%

Não sabe para a 1ª vaga: 6%

Não sabe para a 2ª vaga: 10%

No levantamento anterior, feito de 4 a 6 de setembro, os percentuais de intenção de votos eram os seguintes:

Jarbas (MDB): 38%

Humberto Costa (PT): 28%

Mendonça Filho (DEM): 27%

Silvio Costa (Avante): 10%

Bruno Araújo (PSDB): 6%

Pastor Jairinho (Rede): 5%

Adriana Rocha (Rede): 3%

Hélio Cabral (PSTU): 2%

Eugênia (PSOL): 1%

Albanise Pires (PSOL): 1%

Lídia Brunes (PROS): 1%

Alex Rola (PCO): 0%

Em branco/nulo/nenhum para a 1ª vaga: 22%

Em branco/nulo/nenhum para a 2ª vaga: 38%

Não sabe para a 1ª vaga: 7%

Não sabe para a 2ª vaga: 10%

IMG-20180920-WA0014

O povo brasileiro está no limite de sua tolerância ao sofrimento.

Durante anos, todos os governos sempre buscam resolver os problemas do país com o aumento de impostos. E, no entanto, a máquina pública é quem mais consome esses mesmos impostos.

O brasileiro sofre por falta de emprego, para garantir, em primeiro lugar, a sobrevivência de sua família. No entanto, esse não é o único problema do país.

A população sofre por falta de atendimento de saúde, falta de medicamentos nos hospitais e nos postos; sofre por falta de segurança, vendo aumentar a violência, a criminalidade e o tráfico de drogas, sobretudo nas comunidades mais pobres; sofre por falta de uma educação que, pelo menos, desenvolva resultados positivos na redução do analfabetismo, na melhoria do ensino público, no aumento de vagas nas universidades.

Por todo esse sofrimento, os cidadãos brasileiros querem dar um basta nas escolhas erradas de candidatos que prometem não fazer nada do que se fez até agora e, ao ganharem as eleições e assumirem o comando da Nação, fazem tudo exatamente igual.

E é justamente por isso que a população agora quer escolher alguém diferente do que está aí.

É por isso que, a cada dia, mais aumentam as intenções de votos para Jair Bolsonaro.

Capitão da reserva do Exército e político brasileiro, Bolsonaro iniciou na política em 1988, tendo sido eleito para a Câmara Municipal do Rio de Janeiro. Em outubro de 1990, foi eleito deputado federal, sendo reeleito mais seis vezes consecutivas e, atualmente, exerce seu sétimo mandato de deputado federal pelo estado do Rio de Janeiro.

Religioso, defensor ferrenho da moral e da ordem, Bolsonaro tem todos os predicados para dar um freio de arrumação num país que está totalmente desgovernado e sem rumo.

Com o lema ‘Brasil acima de tudo, Deus acima de todos’, Bolsonaro sinaliza que quer dar um novo rumo a este país, começando pela crença e pelo respeito às instituições.

Além disso, suas prioridades serão Segurança, Saúde e Educação, seguidas de tolerância zero com o crime, com a corrupção e com os privilégios.

Segurança e combate à corrupção

Bolsonaro assume o compromisso de recuperar as condições operacionais das Forças Armadas, com a valorização e a proteção de seus integrantes.

Saúde

A meta é melhorar o atendimento à população, direcionando mais recursos para essa finalidade.

Educação

O candidato pretende promover mudanças efetivas para que as crianças e os jovens brasileiros possam ter um desempenho escolar muito melhor, preparando-os para o acesso às universidades federais, para que as mesmas não sirvam apenas os filhos dos ricos que têm um melhor preparo nos ensinos Fundamental e Médio, como hoje ocorre. “O modelo educacional do país, hoje, não prepara os alunos devidamente. É uma educação de modelo arcaico onde não se busca prepará-los para que possam chegar a uma faculdade com as mesmas condições dos ricos, que estudam em escolas particulares”, ressalta Bolsonaro.

Economia

Jair Bolsonaro não tem medo de negar que não tem conhecimentos profundos sobre o assuntoe, por isso mesmo, já fez a escolha do nome que comandará a Economia do país: Paulo Guedes, economista que coordena o programa econômico do pré-candidato do PSL, que propõe privatizar estatais e usar recursos para reduzir a dívida pública.

O economista Paulo Guedes defende privatizações irrestritas para quitar parte da dívida pública brasileira e um grande pacto federativo para contemplar Estados e municípios com os recursos hoje destinados ao pagamento de juros. Segundo ele, “esse será o caminho para refundar a maneira de fazer política e, ao mesmo tempo, desmontar a bola de neve do endividamento”.

A favor da manutenção do tripé macroeconômico, com regime de meta fiscal e de inflação, com câmbio flutuante, o economista também defende a necessidade de uma simplificação tributária “brutal”, rumo a um imposto único federal.

“Privatizações, concessões e desmobilizações. Tinha que vender tudo”, afirmou o economista, com Ph.D. na Universidade de Chicago, considerada o templo mundial do liberalismo. “Privatizar só no sapatinho, envergonhadamente, não. Tem que acelerar privatização para jogar na área social”, completa Guedes.

Sobre as companhias que poderiam passar ao capital privado, ele indicou que, em princípio, todas seriam elegíveis. Ou seja, Petrobras e Banco do Brasil estariam na fila. “O ônus da prova é de quem quer manter esses ativos”, afirmou.

Bolsonaro reconhece que todos esses objetivos não valem sem resgatar a fraternidade, o respeito ao próximo, a cidadania, a responsabilidade com os mais fracos e vulneráveis. “Fraternidade é lutar por quem não pode se defender dos maus. Brigar para que os jovens tenham um futuro e os idosos não fiquem desamparados por um estado falido, uma Educação aparelhada ideologicamente e uma Saúde em frangalhos. É combater o roubo do dinheiro público e não ser passivo ou indiferente com o sofrimento dos brasileiros”, afirma o presidenciável.

O seu pouco conhecimento de Economia não o impede de entender que o país funcionará melhor com menos ministérios. “Um número elevado de ministérios é ineficiente, não atendendo os legítimos interesses da Nação. O quadro atual deve ser visto como o resultado da forma perniciosa e corrupta de se fazer política nas últimas décadas, caracterizada pelo loteamento do Estado, o popular ‘toma lá-dá-cá’ que hoje predomina”, esclarece Bolsonaro.

IMG-20180919-WA0360

Candidato a governador de Pernambuco, Julio Lossio (Rede) participou, nesta quarta-feira (19), de grande evento promovido pelo postulante a deputado federal Coronel Meira (PRP), em um restaurante no Recife. Na ocasião, Meira e Gilson Machado Neto (PSL), que concorreriam ao Palácio do Campo das Princesas e ao Senado, respectivamente, mas tiveram suas candidaturas retiradas, oficializaram apoio à campanha de Lossio.

O ex-prefeito de Petrolina também recebeu, no ato, muitas declarações de voto de simpatizantes e apoiadores do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), que estão com Meira para deputado federal.

“Sabemos das dificuldades que vivencia o Brasil e Pernambuco. Por isso, precisamos unir as pessoas de bem com propostas de desenvolvimento para o nosso estado, a exemplo de Meira e Gilson, sem pensar em questões partidárias. Minha candidata é Marina e eu a respeito. Ela me garantiu a legenda pra concorrer à eleição, e eu reconheço isso”, declarou Lossio.

De acordo com Julio, o apoio de Meira e Gilson será importante para valorizar os policiais militares e diminuir o alto índice de homicídios em Pernambuco. “Eu vinha de uma caminhada isolada. Com o apoio do Meira e Gilson, estamos ganhando força; eles irão agregar nossas propostas para segurança pública do Estado”, afirmou.

IMG-20180919-WA0359

Para Coronel Meira, o apoio é um acordo de homens de bem por um novo Pernambuco. “Nós, que somos da Direita, não podemos votar em branco. Por isso, vamos eleger Julio Lossio, que é ficha limpa, homem de bem, não tem uma virgula contra ele; é família e é cristão. Sabemos que ele está com Marina e nós, com Bolsonaro. Mas nos juntamos para mudar Pernambuco”, ressaltou.

IMG-20180919-WA0271

As propostas da dobradinha Fernando Monteiro (PP), para deputado federal, e do ambientalista Manoel Tabosa (PHS), para estadual, foram ouvidas atentamente, na noite desta terça-feira (18), por comunidades e defensores dos animais de Jaboatão dos Guararapes. Na ocasião, os candidatos falaram dos motivos da parceria e das propostas de ambos pela causa.

“Defendo o meio ambiente há mais de 20 anos. Não sou um paraquedista que pegou um animalzinho e colocou embaixo do braço dizendo que é protetor e foi ser candidato. Precisamos de políticas públicas focadas na causa. Assumimos o compromisso de trabalhar para mudar este cenário em conjunto com a sociedade, buscando pela aplicação de recursos que são liberados pelo Governo do Estado para os municípios, mas que, em muitos deles, não são usados como deveriam”, atestou Manoel Tabosa.

Segundo o ambientalista, só de janeiro a julho deste ano foram liberados R$ 51 milhões de ICMS Ecológico, fora as taxas de licenciamento ambiental e multas arrecadadas. “Para onde isso vai? Falta conhecimento e comprometimento. Tratar de animais também é uma questão de saúde pública”, completou.

Ainda de acordo com Manoel Tabosa, para fazer os projetos funcionarem, como a proposta do hospital público veterinário pioneiro no Estado e a criação da primeira casa de passagem para abrigar os animais que estão nas ruas, doentes e mutilados, dando assistência em um local adequado, é preciso o envolvimento e articulações de pessoas sérias. “Junto com o Fernando Monteiro, lá em Brasília, uma pessoa honesta, ficha limpa, vamos mudar este cenário”, concluiu.

Para Fernando Monteiro, em tempo de campanha, muitos dizem abraçar a causa para conseguir votos. “Conquistado pelo empenho ferrenho de Manoel Tabosa no que mais ele defende, fomos juntos recentemente a São Paulo conhecer o projeto pioneiro de um dos maiores hospitais veterinários do País. Fiz questão de não fazer uma foto sequer, porque, em tempo de eleição, tem quem faça isso para publicar nas redes sociais para conseguir votos, sem compromisso nenhum. Não faço parte desse grupo. Fomos conhecer o local e ver como podemos adaptá-lo à realidade de Pernambuco. Esta foi nossa meta”, afirmou.

IMG-20180919-WA0270

“O mundo mudou. Hoje, a relação do ser humano com a natureza é mais direta. E é essa uma das razões que me fazem admirar este trabalho. Ele vai para a rua, ajuda no resgate dos animais, acompanha tudo de perto e não se deixa calar, numa maneira de agir muito nobre. Manoel Tabosa é um amigo que luta por uma causa importante. Vamos, juntos, trabalhar pela defesa dos animais e do meio ambiente, com projetos viáveis e urgentes”, pontuou Fernando Monteiro.

Fotos: Juana Carvalho/Divulgação.

Marília Arraes trabalhava para ser candidata da legenda ao governo pernambucano

IMG-20180919-WA0215
A vereadora Marília Arraes (PT), rifada da disputa ao Governo de Pernambuco após acordo nacional entre o PT e o PSB, disse que sofreu uma violência sem precedentes.

Ela concordou com expressão que havia sido utilizada pelo presidenciável Ciro Gomes (PDT) quando esteve, em Caruaru, agreste de Pernambuco, no início do mês.

“Acho que se houve algo parecido (no Brasil), eu não tive notícia. Não tem como explicar para a população. É esdrúxula essa situação. Não estamos na década de 50 para fazer aliança inexplicável”, salientou Marília.

A petista, que agora tenta uma vaga na Câmara Federal, revelou à Folha que é provável que escolha o caminho da neutralidade pública. Não deve declarar em que vai votar para governador de Pernambuco.

“É provável que aconteça uma neutralidade, que eu fique neutra. Agora, existe uma definição: não votarei em Paulo Câmara (PSB).”

Em relação ao risco de não se posicionar publicamente, Marília avaliou como um movimento natural da política. “Risco se corre de toda maneira. A política é feita de decisões. E todas decisões têm risco. Acredito que se posicionar por alguma candidatura seria pior. Seria repetir um erro”, comentou.

O governador Paulo Câmara, que apoiou o impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) e votou no tucano Aécio Neves no segundo turno das eleições presidenciais de 2014, conta na sua chapa com o senador Humberto Costa (PT), que tenta renovar o mandato, e com o deputado Jarbas Vasconcelos (MDB).

Questionada se poderia votar no senador Armando Monteiro (PTB), principal adversário de Paulo, respondeu rápido: “É muito difícil.”

Armando é aliado de dois ex-ministros do presidente Michel Temer, Mendonça Filho (DEM) e Bruno Araújo (PSDB), que disputam o Senado.

A base dos movimentos sociais, que estava junto com Marília Arraes desde o primeiro momento, migrou para Paulo Câmara após o governador receber o apoio formal do PT.

IMG-20180919-WA0214

Há uma semana, durante ato em Caruaru, o MST oficializou o apoio ao pessebista. Um dos coordenadores nacionais do movimento, Jayme Amorim, que fez greve de fome numa tentativa de viabilização da candidatura de Lula, discursou.

“O nosso ato não é apenas de adesão a Paulo Câmara. É mais do que isso. A gente assume essa tarefa de verdade, com garras, com unhas e dentes.”

 

 

COLUNA DO MOCHILA MONTADA

Porto Digital realiza debate com Maurício Rands (PROS)

 

MAURÍCIO RANDS 2Nesta quarta-feira (19), o Porto Digital dá início à série de debates com os candidatos ao cargo de governador do Estado. O primeiro encontro será com Maurício Rands, no auditório do Apolo 235, das 10h às 12h. Rands irá conversar com empresários, gestores e profissionais do parque tecnológico sobre suas propostas para as áreas de tecnologia da informação e comunicação (TIC), economia criativa, empreendedorismo e inovação.

A sessão é a primeira com os postulantes ao Executivo estadual nas eleições de 2018 e continua a tradição do Porto Digital de promover conversas de candidatos a cargos públicos com gestores das empresas locais. A agenda inclui os candidatos Paulo Câmara (PSB), no dia 26 de setembro; Júlio Lóssio (Rede), em 28 de setembro; e Armando Monteiro (PTB), em 1º de outubro.

Esse debate se reveste de muita importância, em virtude de o Porto Digital abrigar hoje 300 empresas e instituiçõesRECIFE ANTIGO dos setores de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC), Economia Criativa (EC) e Tecnologias Para Cidades. O parque conta com três incubadoras de empresas, duas aceleradoras de negócios, seis institutos de pesquisa de desenvolvimento e organizações de serviços associados, além de diversas representações governamentais.

O parque também conta com uma instituição de ensino superior, o C.E.S.A.R School, iniciativa do C.E.S.A.R – Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife, considerado por duas vezes a melhor instituição de Ciência e Tecnologia do País pela Financiadora de Estudos e Projetos do Ministério da Ciência e Tecnologia (FINEP). O Porto Digital possui ainda uma unidade avançada na cidade de Caruaru, no Agreste de Pernambuco.

O conjunto das empresas que fazem parte do Porto Digital faturou em 2017, aproximadamente, R$ 1,7 bilhão. O parque tecnológico hoje reúne mais de 9.000 profissionais altamente qualificados, sendo 800 deles empreendedores.

O Porto Digital já atraiu para o Bairro do Recife dezenas de empresas de outras regiões do Brasil, além de várias multinacionais e centros de tecnologia. Agora, com a ampliação territorial para o bairro de Santo Amaro, Santo Antônio e São José, e interior do Estado, a expectativa é que até 2020 em torno de 20 mil pessoas trabalhem em empresas embarcadas no parque tecnológico.

Como se vê, trata-se de uma oportunidade de os candidatos exporem seus projetos para uma grande gama de formadores de opinião.

Serviço: Debate com o candidato Maurício Rands (PROS)

               Quarta-feira (19), das 10h às 12h

               Auditório do Apolo 235 – localizado na Rua do Apolo, 235, Bairro do Recife

  

 

(Arte: Equipe do Mochila)
(Arte: Equipe do Mochila)

Dúvidas

Segundo o JC de hoje, 18/09, o candidato a governador Armando Monteiro está sem candidato à Presidência desde que o ex-presidente Lula (PT) foi substituído no pleito pelo ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT).

Armando vem dizendo que tem conversado com aliados para decidir o nome mais adequado a apoiar. O anúncio deve acontecer ainda nesta semana.

Em reserva, o JC apurou que há grande possibilidade de o senador declarar voto a Ciro  Gomes (PDT), que no Estado já tem o apoio de Maurício Rands (PROS).

O apoio de Armando ao pedetista vem sendo costurado pelo próprio presidenciável e o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi.

No palanque do petebista há partidos que defendem as candidaturas de Geraldo Alckmin (PSDB), Marina Silva (Rede), Álvaro Dias (Pode) e até mesmo Jair Bolsonaro (PSL).

Em suma, não é nada, não é nada, repete-se nas hostes da coligação ‘Pernambuco Vai Mudar’, na escolha do presidenciável a apoiar, as mesmas dúvidas que ocorreram durante vários meses, sobre quem seria o candidato da coligação, até se decidir que Armando seria o candidato.

COLUNA DA DENISE MONTADA

 

 

 

 

“Quero ser Doria”

DORIAO candidato do PSL, Jair Bolsonaro, tem dito que sua missão agora é repetir o que fez João Doria na eleição para prefeito em 2016. Bastou o prefeito-candidato Fernando Haddad, à época, subir um pouco nas pesquisas para que Doria ampliasse os ataques ao PT. O tucano venceu no primeiro turno. É por aí que o candidato do PSL pretende jogar, tirando do candidato do PSDB, Geraldo Alckmin, o discurso de porto seguro do antipetismo, que o ex-governador tentou emplacar.

Alckmin, por sua vez, volta ao discurso de anti-Bolsonaro, com pitadas de anti-PT. Ele vai intensificar na tevê a mensagem de que é o único capaz de derrotar, seja Haddad, seja Bolsonaro. Aliados do PSDB consideram que, até aqui, a “onda Geraldo” não apareceu. A contar pelo andar da carruagem, virou marola. Porém, o tucano também sonha em repetir Doria, que saiu dos 6% e venceu.

“Não pode ficar assim”

QUEM BANCA ADÉLIO

Quem está fora do país e acompanha as eleições não se conforma com o silêncio em torno dos financiadores de Adelio Bispo, o criminoso que esfaqueou Jair Bolsonaro. Regina Swift, brasileira radicada nos Estados Unidos, criou um abaixo-assinado em change.org com advogados brasileiros para exigir apuração: “Quem banca Adelio? O povo quer saber”. Em menos de oito horas no ar, a petição estava com quatro mil assinaturas.

 

 

LULA X BOLSONARO“Nada muda no Brasil. Bolsonaro é um Lula de farda. Será festejado e usado pela elite enquanto interessar”.

Do ex-deputado Paulo Delgado (PT-MG), um dos principais críticos do próprio partido

 

 

 

FHC X ALCKMINForam eles!FERNANDO PIMENTEL X HADDAD

Já tem tucano dizendo, em conversas reservadas, que o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso conspirou contra Geraldo Alckmin. E petista dizendo que o governador-candidato de Minas Gerais, Fernando Pimentel, conspira contra Fernando Haddad.

A enquete de Toffoli I/ Em sua primeira entrevista depois da posse, o presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli , pediu que levantassem a mão os jornalistas desconfiados da segurança do voto na urna eletrônica. Ninguém se manifestou.

URNA

A enquete de Toffoli II/ Alguns jornalistas até ficaram com vontade de erguer o braço, porém, ninguém se mexeu, porque consideraram que não dava para ficar nessa polêmica, transformando o presidente do STF de entrevistado em entrevistador. Faz sentido.

 

KÁTIA ABREU X ANA AMÉLIA Kátia Abreu e Ana Amélia/ As senadoras que concorrem à vaga de vice, Ana Amélia (PP-RS), de Geraldo Alckmin, e Kátia Abreu (PDT-TO), de Ciro Gomes, tomam caminhos distintos. Enquanto a gaúcha ataca o PT, Kátia bate forte no general Mourão, vice de Bolsonaro, sobre a frase de que famílias sem pai e avô são fábrica de desajustados. “Um filme de terror de péssima qualidade. O Brasil tem 30 milhões de mulheres que chefiam suas famílias. Tem certeza de que essa dupla quer governar o meu país? É muita pretensão”, afirmou.

Esquisito/ A apreensão de US$ 16 milhões em relógios de luxo, joias e dólares na comitiva da Guiné Equatorial, a 23 dias do primeiro turno, deixou muita gente de orelha em pé.

Colaborou Renato Souza

 

MUNDO DO FUTEBOL2

Apelidos de Jogadores de A a Z

– Ademir da Guia – “O Divino”

– Ademir de Menezes  – “O Queixada”

– Baltazar – “O Cabecinha de Ouro”

– Bauer – “O Monstro do Maracanã”

– Bino – “O Gato Selvagem”

– Canhoteiro – “O Mago”

– Danilo – “O Príncipe”

– Didi – “O Folha Seca”

– Donizete – “O Pantera Negra”

– Fidélis – “O Touro Sentado”

– Fischer – “El Lobo”

– Gérson – “O Canhotinha de Ouro”

– Jair – “O Canhão de Parque Antártica”

LEÔNIDAS– Leônidas – “O Diamante Negro”

– Lima – “O Garoto de Ouro”

– Luizinho – “O Pequeno Polegar”

– Mazinho – “O Deus de Ébano”

– Nilton Santos – “A Enciclopédia do Futebol”

– Noronha – “O Cobrinha”

– Nunes – “O Cabelo de Fogo”

– Orlando – “O Pingo de Ouro”

– Pelé – “A Pérola Negra”

– Pepe – “O Canhão da Vila”

– Ponce de Leon – “O Diabo Louro”

– Rondinelli – “O Rei da Raça”

– Servílio – “O Bailarino”

– Vavá – “O Peito de Aço”

– Zico – “O Galinho de Quintino”

– Zizinho – “O Mestre Ziza”

IMG-20180918-WA0019

O vereador e candidato a deputado federal Davi Muniz (PATRIOTAS) e o deputado estadual e candidato à reeleição Rogério Leão (PR) têm percorrido, juntos, diversas cidades do Estado, principalmente do Sertão, sua base eleitoral.

No último domingo (16/09) visitaram a cidade de Machados e participaram de uma carreata pelas principais ruas da cidade.

O deputado Rogério Leão destacou sua atuação na Alepe, onde já foi autor de diversos projetos. Ao mesmo tempo, assumiu o compromisso de continuar lutando na Assembleia por melhores condições de vida para os pernambucanos.

O candidato Davi Muniz prometeu fazer parte da luta de Rogério e também buscar melhorias para os cidadãos e cidadãs do nosso Estado, dirigindo seu foco principalmente para atender as necessidades do povo do Sertão e do Agreste, como Machados. Ele citou as condições precárias da PE 089 e o fechamento do Banco do Brasil como fatores que têm trazido muitos transtornos à população e ao comércio local, comprometendo-se a buscar soluções para esses problemas, como também lutar por melhoria das condições de trabalho dos trabalhadores do principal meio de subsistência da cidade, que é a monocultura da banana.

Os candidatos foram recepcionado pelos vereadores Silvinho da Banana e Luciano da Funerária, pelo ex-vereador João Morais e pelos suplentes Viviane Morais, Dennys de Mané do Rádio, Tete Anastácio, Manezinho, André da Chã de Hilário, Welligton da Chã de Hilario, Denis de Machadinho e Nildinha, além de várias lideranças locais e pela população machadense.

IMG-20180918-WA0018 IMG-20180918-WA0017

IMG-20180918-WA0009

CARUARU – A Rádio Liberdade expulsou o candidato a governador Julio Lossio (Rede) e seus aliados de uma manifestação pacífica que o ex-prefeito de Petrolina fazia em frente ao local onde a emissora promove um debate, em Caruaru, nesta terça-feira (18). Funcionários e seguranças da rádio agiram com truculência contra o postulante e sua equipe.

Obrigado a deixar o local, Lossio fará uma Live Papo 18 no Marco Zero da cidade para explicar a situação e responder aos questionamentos dos eleitores.

“Armando e Paulo estão com medo de me enfrentar, querem bipolarizar o debate. Estávamos conversando com a população e fomos expulsos do local com muita truculência”, lamentou Julio Lossio.

Em frente ao local do debate, o candidato conversou com as pessoas que circulavam. “Se vocês estão satisfeitos com a educação que vocês têm aí, se vocês estão contentes com as creches que possuem; e se acham que têm saúde de qualidade, permaneçam com as duas opções. Mas se querem a mudança, eu sou o caminho para um novo Pernambuco. Isso eu sei porque já fiz”, destacou o ex-prefeito de Petrolina.

IMG-20180918-WA0007

IMG-20180918-WA0089

Candidata ao Senado Federal pela Rede Sustentabilidade, a advogada Adriana Rocha marcou presença na série de rodas de diálogos do Instituto de Política, o Politeia. O encontro, realizado pela Universidade Católica de Pernambuco (Unicap), aconteceu no auditório G1 da instituição de ensino, no Recife.

Professora de Direito Constitucional da Unicap há 22 anos, Adriana Rocha citou as dificuldades impostas às mulheres para que elas ocupem espaços no mercado de trabalho. “O cenário atual comprova que não existem políticas públicas sérias que acolham as mulheres”, disse a candidata.

Para ela, quando se trata de espaços de poder, o ambiente é ainda mais hostil. “Pernambuco nunca elegeu uma mulher senadora, assim como em 86 anos de existência da OAB, sou a segunda mulher a ocupar o cargo de conselheira federal”, detalhou Adriana.

Em relação aos ministros do STF, a candidata criticou a falta de um limite de tempo para a ocupação do cargo. “Sugiro um Projeto de Emenda Constitucional com tempo de duração do direito comparado, que pode ser entre 8 e 12 anos, porque o parlamentar não pode se sentir um rei, sentado na cadeira por um período tão longo. Isso não é democracia”, concluiu Adriana Rocha.

IMG-20180918-WA0025

O governador Paulo Câmara sancionou, nesta segunda-feira (17.09), a Lei 16.420/18, que estabelece normas básicas de fortalecimento à participação, proteção e defesa dos direitos do usuário dos serviços públicos prestados direta ou indiretamente pela administração pública estadual. Pernambuco é a segunda unidade da Federação a aprovar lei com essa determinação. Até o momento, apenas o Estado da Paraíba e a cidade de São Paulo tomaram iniciativa semelhante. O projeto de lei foi de autoria do Poder Executivo e havia sido encaminhado para apreciação da Assembleia Legislativa no último dia 14 de junho. O texto da lei será publicado no Diário Oficial do Estado desta terça-feira (18/09).

A nova Lei segue o parágrafo 3º do artigo 37 da Constituição Federal e da Lei Federal nº 13.460, de 26 de junho de 2017, que fixa diretrizes para a oferta de serviços públicos cada vez mais adequados e de qualidade, a serem implementados em Pernambuco, observadas as peculiaridades da estrutura administrativa vigente no Estado. Com o objetivo de fortalecer ainda mais a Rede Estadual de Ouvidorias, a nova legislação também estabelece a criação de condições necessárias para a promoção uma efetiva participação da sociedade civil no acompanhamento da prestação de serviços públicos e na sua avaliação.

A nova legislação instituiu o Conselho Estadual de Defesa dos Direitos dos Usuários dos Serviços Públicos (CEDDUSP), que se tornará um relevante canal de participação da sociedade civil, atuando em articulação com órgãos governamentais. O grupo será integrado por representantes de órgãos e de entidades governamentais e de entidades da sociedade civil organizada com atuação nesta área de interesse.

Caberá ao CEDDUSP a fomentação de estudos e pesquisas na área de qualidade e satisfação do usuário de serviços públicos; propiciar a participação de outras esferas de governo e da sociedade civil organizada, nos debates e consequentes propostas em favor do aperfeiçoamento na prestação de serviços públicos; entre outras competências. Para fins de avaliação, serão consideradas reclamações, solicitações, denúncias, sugestões e elogios dos usuários relacionadas à prestação de serviços públicos, assim como sobre a conduta de agentes públicos na prestação e fiscalização de tais serviços.

A iniciativa também se aplicará aos serviços públicos prestados por entidades privadas sem fins lucrativos, que recebam, para realização de ações de interesse público, recursos orçamentários por meio de contrato de gestão, termo de colaboração, termo de fomento, convênios, acordos, ajustes ou outros instrumentos congêneres. Com a sanção da Lei 16.420, a partir de agora, caberá ao Poder Executivo, com periodicidade mínima anual, publicar quadro geral dos serviços públicos prestados, que especificará os órgãos ou entidades responsáveis por sua realização e a autoridade administrativa a quem estão subordinados ou vinculados.

Fechar