Por Márcio Maia
desmontados-2GA crise ocasionada em São Paulo e que vem se espalhando por todo o Brasil, inclusive atingindo Pernambuco, tem causado uma grande modificação nos costumes e rotina de muita gente. Também está repercutindo na área do comércio de carros novos e consequentemente, de peças usadas e seminovas, que tem crescido de forma substancial nos últimos dois anos.
Por conta da alta dos preços nos veículos novos, muita gente está protelando a compra de um zero quilômetro e optando pela manutenção de seu “velhinho”. Cerca de 20 por cento, segundo informações dos próprios donos de agências. Por consequência, a comercialização de peças usadas tem crescido pois muito motoristas estão preferindo consertar o seu usado, adiando a compra de outro.
O comerciante Ivan Oliveira, proprietário da loja Central de Peças Usadas, no bairro da Iputinga, confirmou a informação e adiantou que seu estabelecimento tem sido procurado por donos de carros, que querem consertar seu veículo. “Muita gente nos procura porque temos a vantagem de oferecer um preço bem inferior ao cobrado pelas concessionárias, mais de 50% em algumas situações”.
Ele adiantou que a sua loja ainda oferece um serviço extra, que é a colocação da peça perfeita no lugar da quebrada. “Nos estabelecimentos credenciados pelas montadoras, o comprador teria que pagar pela mão de obra do serviço, o que tornaria sua compra bem mais cara”.
Ivan Oliveira explicou que a agilização de realização de leilões, tanto dos bancos quanto do próprio Detran, tem proporcionado a aquisição de carros em excelentes condições de funcionamento. “Antigamente, os carros apreendidos passavam anos ao relento, deteriorando-se. Agora, nós podemos comprá-los rapidamente, o que faz com que a maioria das peças esteja em perfeitas condições de uso”.
Ele afirmou que o comércio de peças usadas chegou a um nível de sofisticação, que tem vendido peças para proprietários residentes no Rio de Janeiro, São Paulo, Goiás e outros Estados. “Em diversas ocasiões, as pessoas não conseguem comprar as peças nas lojas especializadas pois são fabricadas no Exterior e a chegada demora. Sendo assim, somos contatados e enviamos a peça com rapidez”.
SERVIÇO –
CENTRAL DE PEÇAS USADAS – Rua Mauriceia 600, Iputinga, Recife. Fones: 3274.2901 – 9.9203.6714 – 9.87.92.8435

Blog do Josias Souza

TemerDivulgacao3Nos últimos dias, Michel Temer revelou-se especialmente preocupado com o tempo. Seu relógio parece não ter ponteiros, mas espadas. O substituto constitucional de Dilma Rousseff tem pressa. Quer saltar do crepúsculo da interinidade e, sem mais demora, entrar no porvir da Presidência efetiva.

Temer alega que não ficaria bem comparecer à reunião do G-20, na China, nos dias 4 e 5 de setembro, com o rótulo de interino ainda grudado na testa. A justificativa parece frágil. Há na praça um motivo mais plausível para o interesse de Temer de imprimir ao julgamento do impeachment um ritmo de toque de caixa: a delação da cúpula da Odebrecht.

Em notícia veiculada na Veja, o repórter Daniel Pereira informou que a delação de Marcelo Odebrecht incluiu revelações sobre uma conversa ocorrida no Jaburu, palácio que tem Temer como inquilino. Deu-se em maio de 2014. Convidado para jantar, o príncipe da maior empreiteira do país foi mordido em R$ 10 milhões. Além de Odebrecht e do anfitrião, estava à mesa Eliseu Padilha, hoje chefe da Casa Civil.

De acordo com o delator, os R$ 10 milhões transitaram pelo caixa dois. Foram escriturados no departamento de propinas da empreiteira. Do total mencionado no jantar, R$ 4 milhões tiveram Eliseu Padilha como destinatário. Os outros R$ 6 milhões destinaram-se à campanha do presidente da Fiesp, Paulo Skaf, que disputou o governo de São Paulo em 2014 pelo PMDB, com o apoio de Temer.

Temer e Padilha confirmam que participaram do repasto com Marcelo Odebrecht. O presidente interino confirma ter conversado com o empreiteiro sobre dinheiro. Pediu “auxílio financeiro da construtora Odebrecht a campanhas eleitorais do PMDB.” Temer alega, porém, que tudo foi feito “em absoluto acordo com a legislação eleitoral em vigor”. Nessa versão, a verba foi declarada à Justiça Eleitoral. Padilha diz que não recebeu ajuda da construtora, já que não foi candidato na eleição de 2014.

Em menos de três meses, é a segunda vez que Temer é acusado por um delator da Lava Jato de pedir pessoalmente verba de má origem para campanhas do PMDB. Em junho, o ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, acusou o correligionário Temer de encomendar R$ 1,5 milhão para a campanha de Gabriel Chalita à prefeitura de São Paulo, em 2012. Temer tachou as declarações de Machado de “irresponsáveis, mentirosas, levianas e criminosas.”

Aos pouquinhos, o petróleo queimado do escândalo da Petrobras vai tocando o bico do sapato de Temer. As delações pedem provas. Mas o contexto orna com a condição do PMDB, sócio majoritário do PT no empreendimento que resultou na pilhagem do Estado. A pressa de Temer em relação à formalização do impeachment foi encampada pelo presidente do Senado, Renan Calheiros. Logo ele, protagonista de nove inquéritos na Lava Jato.

IMG_20160806_195219Dra. Maria Carolina Melo Campos (Carolina Campos), 30 anos, casada com o empresário Breno Campos, filha de Paulo Sérgio Ferreira de Melo e Aldinete do Nascimento Melo, mãe do casal Breno Campos Júnior e Brenda Carolina Campos de  6 e 3 anos de idade respectivamente.

Formada em Psicologia no ano de 2010 pela Faculdade Frassinetti do Recife – FAFIRE, Pós-graduada em Psicologia do trânsito, possuidora dos títulos de Mestrado e Doutorado em Psicanálise. Atua como psicóloga clínica e psicóloga em um programa da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos dias, (os Mórmons) da qual é membro.

A psicóloga Carolina Campos tem longa história junto ao PSB, caminhou desde criança com seu pai, o sanitarista Paulo Melo, amigo pessoal do ex Deputado Estadual Miguelzinho Batista, sendo um dos fundadores do PSB e por sua relação partidária tiveram oportunidade de participar das campanhas de Miguel Arraes é Eduardo Campos. Ao vivenciar tudo isso, sempre teve o desejo de contribuir e agora se sente preparada e se colocou a disposição como candidata a vereadora no município de Olinda. Mesmo tendo muitas atribuições como esposa, mãe e profissional compreende a importância da participação efetiva da mulher na política. No último dia 31 de Julho, participou da convenção do PSB em Olinda, na qual foi homologada a candidatura de Antônio Campos para Prefeito, com Ceça como Vice-prefeita e a mesma para Vereadora.

A pré-candidata Carolina Campos sabe das dificuldades e o caos que se encontra a cidade de Olinda, pois a mesma nasceu em Recife e desde seu segundo dia de vida reside na cidade, e ao longo dos anos tem vivenciado o descaso que se encontra a cidade, enchentes proveniente das chuvas, problemas estruturais, tais como falta de calçamento, praças, mobilidade, saúde, segurança e acompanhou o desgoverno da gestão atual

Carolina Campos sabe o grande desafio que irá encarar pois reconhece o tamanho e importância dessa bela cidade, Olinda, patrimônio histórico da humanidade que em meio a tanta beleza na sua parte histórica está abandonada e esquecida em seu subúrbio e necessita urgentemente de pessoas que acreditem e possam realizar uma mudança real. Por amor a Olinda, É Carolina Campos.

unnamed (2)A Secretaria de Saúde do Cabo de Santo Agostinho vai intensificar um sistema de fiscalização nas estradas e ruas do munic&i acute;pio para impedir que animais de grande porte vaguem pelos logradouros oferecendo perigo de vida às pessoas e ocasionando acidentes automobilísticos.
O órgão está fazendo um alerta às pessoas que, contrariando a legislação, ainda criam animais nas áreas urbanas para que os recolham das ruas. Para recolher bois, cavalos, jumentos, porcos, ovelhas, cabras e outras espécies, a Secretaria dispõe de caminhão boiadeiro e equipe de fiscais treinada para realizar adequadamente os serviços.

O caminhão acaba de ser reformado e revisado para percorrer todas as regiões do Cabo. Os animais apreendidos serão levados para o Centro de Vigilância Animal (CVA) e somente serão liberados após pagamentos de multas e taxas.

A Secretaria de Saúde enfatiza que, além de oferecerem sérios riscos de acidentes, sobretudo envolvendo veículos, esses animais transmitem diversos tipos de doenças e por isso não podem ser criados nas áreas urbanas.

 

WhatsApp Image 2016-08-06 at 7.17.23 PMO advogado e empresário André Fonseca, que é cônsul do Gabão no Recife, participou da convenção do PSB, que aprovou a candidatura do advogado Antônio Campos à Prefeitura de Olinda. Ele explicou que a decisão de apoiar o candidato socialista se deu em virtude de verificar que ele tem todas as condições de realizar uma gestão moderna e competente, resolvendo os graves problemas que afligem atualmente, a população da cidade.
Na convenção, Fonseca conversou demoradamente com o candidato e disse que seu apoio é decorrente de uma série de fatores, inclusive por ter tido um excelente relacionamento com o ex-governador Eduardo Campos. “Tenho certeza que Antônio fará um excelente governo pois além de enorme capacidade empresarial e apoio forte apoio político, tem um pensamento voltado para solucionar os problemas da maioria da população, seguindo os ensinamentos do ex-governador Miguel Arraes, que sempre se posicionou a favor dos mais carentes”.
André Fonseca disse que, durante o encontro, manteve intenso contato com o senador Fernando Bezerra Coelho (PSB), com quem discutiu a atual situação do município e verificou que a Prefeitura precisa de um gestor que tenha grande senso administrativo e também importância política. “A Prefeitura de Olinda não dispõe dos recursos financeiros necessários para a realização de obras de grande vulto, sendo por isso, necessário a concretização de convênios com os Governos Estadual e Federal, para se conseguir verbas”.
“O senador concordou com o meu posicionamento e adiantou estar disposto a trabalhar no Senado Federal para conseguir a formalização desses convênios para que as obras planejadas e projetadas sejam feitas”, explicou.

854ef7df-964e-4b32-a3b4-0891e43eb7ebA convenção do PSB no município de Escada, na Mata Sul do Estado, para indicação da candidatura do prefeito Lucrécio Gomes foi realizada em clima de muita festa, com enorme participação popular, além da presença de grande número de líderes políticos, empresariais e comunitários. Durante o encontro, muita gente gritava o tradicional “já ganhou”, mas o experiente político fazia questão de afirmar que a campanha está apenas no início e que será necessário muito trabalho para mostrar à população, tudo que foi realizado durante sua gestão.
Em seu discurso, Lucrécio Gomes disse que seu grande mérito para que realizasse importantes obras, foi a montagem de uma equipe de secretários e assessores de muita eficiência e completamente voltados para o bem estar da população. “Nossa equipe trabalhou com entusiasmo, ouvindo os moradores da sede e dos distritos, para que as decisões fossem tomadas com acerto. Por isso, conseguimos realizar muitas coisas que há muito tempo, eram esperadas pela população”.
Lucrécio afirmou que foi necessária muita competência para conseguir os recursos necessários para a elaboração das obras e enfatizou o apoio que recebeu dos governadores Eduardo Campos e Paulo Câmara. “Esses dois políticos foram fundamentais para que pudéssemos realizar muita coisa, além da capacidade financeira da Prefeitura. Todos sabem que o Brasil vive uma enorme crise financeira, mas conseguimos superar as dificuldades com sabedoria e eficiência”.
Na convenção, foi aclamado o nome de Ivanildo Bigodão (PTB) para ser o candidato a vice prefeito. Bigodão, como é carinhosamente chamado por todos, é um líder de enorme influência nas comunidades, pois tem muitos serviços prestados ao povo de Escada. Ele foi secretário municipal de Segurança Pública, com uma gestão aprovada por todos, sendo um dos principais responsáveis pela tranquilidade da sede e dos distritos. “Estou muito satisfeito por ter tido o meu nome escolhido e aprovado pelo grupo políticos de nossa cidade. Vou trabalhar com afinco para conseguirmos mais uma grande vitória nas urnas”, afirmou o candidato.
A reeleição de Lucrécio já é considerada como certa e ele conta com o apoio das maiores lideranças da região. Dos treze vereadores, o prefeito conta com o apoio de nove deles, os quais ele fez questão de elogiar a atuação e a permanente preocupação com os problemas da cidade. “Esses vereadores foram competentes e foram fundamentais para que a maioria de meus projetos tenha sido aprovada na Câmara Municipal, por isso, tenho certeza que todos serão reeleitos”, afirmou.
Fazem parte da coligação que apoia a reeleição do prefeito, além do PSB, o PTB, partido do candidato a vice Bigodão, PMDB, PDT, DEM, PPS, PTdoB, PSC, PLTB E SD.
A convenção aconteceu na Quadra da Vila Operária, que ficou lotada por pessoas de todos os bairros, que demonstravam total apoio à candidatura do prefeito Lucrécio Gomes. Muita gente portava bandeiras e cartazes de apoio.
Du

Blog do Magno Martins

e9a22da59eEm Afogados da Ingazeira, minha terra natal, na beira do rio Pajeú, a figura patética do coronel Saruê, personagem interpretado por Antônio Fagundes na novela Velho Chico, se encarnou de alma e espírito no prefeito José Patriota, do PSB. O coronel Saruê do Pajeú tem um ingrediente real, diferente do fictício da cidade imaginária Grotas de São Francisco.

Ele tipifica em gestos, atos, modo de discursar e até na adoção ao branco das suas camisas o ex-governador Eduardo Campos. Em tudo, literalmente. Como seu guru, que primeiro inventou Geraldo Julio no Recife e depois Paulo Câmara, o Saruê pajeuzeiro também tem sua mais grotesca invencionice: seu novo vice em sua chapa, que será oficializada hoje em convenção.

Atende pelo nome de Alessandro Palmeira, o Sandrinho, para os íntimos, que ocupou a pasta de Cultura, a que promove shows na gestão municipal.  Sua maior virtude? Lealdade ao coronel, a quem bateu continência desde que foi escolhido para o primeiro escalão. Diferente de tantos aliados que ajudaram o Saruê do Pajeú a impor uma histórica derrota à Gisa Simões, já falecida, em 2012, nunca disputou uma eleição, não tem voto e está sendo alçado ao posto por uma questão muito especial.

É que o coronel Saruê do Pajeú tem planos para disputar um manda eletivo nas eleições de 2018 e quer deixar na Prefeitura um boneco, para ser de fato o prefeito, ou seja, quer ao mesmo tempo ser deputado e prefeito. Nunca se viu tamanha ganância pelo poder em terras banhadas pelo emblemático rio Pajeú, que embala de poesia o coração dos poetas e repentistas.

O Saruê da novela Velho Chico é ardiloso e prepotente. Dono de muitas terras à beira do Rio São Francisco, é um dos homens mais ricos da região, com muita influência na política. O Saruê do Pajeú até que se apresentava mais moderno, mas ao pisotear todas as lideranças que o ajudaram a chegar ao poder, para implantar uma capitania hereditária em minha terra, mostrou que o lema da sua política é o poder pelo poder a qualquer custo.

Ganancioso, de ambições desenfreadas. O que lhe move é o coronelismo arcaico.

Blog do Josias Souza

 

MoroCamaraAlanMarquesFolha“’É impossível fazer um prognóstico’ sobre o fim da Operação Lava Jato, disse Sérgio Moro na comissão especial da Câmara que analisa medidas anticorrupção propostas pela força-tarefa de Curitiba na forma de um projeto de lei de iniciativa popular. Questionado sobre declarações que fizera no sentido de que o caso poderia terminar no final de 2016, o juiz esclareceu:

“Isso foi um cometário que eu fiz. É mais um desejo —porque eu confesso que estou um pouco cansado, o trabalho tem sido desgastante— do que propriamente uma previsão objetiva. O juiz e todos tabalham com base em deveres legais que dizem que, se surgem provas de conduta criminosa, isso tem que ser apurado e extraídas as consequências. Evidentemente ninguém vai fechar os olhos para essas questões.”

Moro pronunciou, então, a frase definitiva sobre o tema: “O trabalho continua enquanto existir material com que trabalhar. É impossível um prognóstico.” A certa altura, em resposta a uma questão sobre o futuro, o juiz da Lava Jato fez considerações sobre o que gostaria que ocorresse como consequência da operação:

“Nenhum país está fadado a conviver com níveis de corrupção dessa magnitude. Nós tivemos conquistas relevantes do povo brasileiro no passado. Podemos mencionar aqui a restauração da dermcoracia. Talvez, naqueles períodos mais duros da ditadura, alguns acreditassem que isso nunca iria ocorrer, mas veio.”

Moro prosseguiu: “Nós tivemos o período do descontrole inflacionário, da hiperinflaçao. Num período, acreditávamos que aquilo era natural, assim é a economia do Brasil. Mas foi uma questão que foi devidamente equacionada, também fruto de uma conquista da democraica brasileira. Tivemos também avanços significativos em relação à diminuição da desigualdade e da erradicação da pobreza nos últimos anos.”

O juiz arrematou: “Da mesma forma, não existe nada que, dentro de um regime democrático, não possa ser enfrentado, desde que haja vontade, não só da sociedade, mas também das instituições. Então, não creio que o Brasil está condenado a ser visto como um país extremamente corrupto. Podemos tomar passos a cada dia, avançando na reforma das nossas instituições, dentro da democracia.”

Pressionando aqui e aqui, você chega a notícias com mais informações sobre a passagem de Sérgio Moro pela comissão da Câmara. Abaixo, um vídeo com a manifestação do magistrado contra o foro privilegiado para autoridades e detentores de mandatos eletivos.

Blog da Folha

jorgealexandre2Pense numa confusão. Depois praticamente ter desistido de disputar a reeleição, o prefeito de Camaragibe, Jorge Alexandre (PSDB), refletiu e decidiu, já na madrugada desta sexta-feira (5), voltar ao páreo. A cvonvenção, que havia sido cancelada na quinta-feira (4), ficará para esta sexta, último dia de prazo pela lei. A dúvida que fica é se a candidatura resiste até a convenção, ás 18h.

Foram várias reuniões durante todo o dia. No final da noite, o prefeito já havia decidido que o candidato seria o seu vice e companheiro de chapa Bosco Silva (PMN).

Após cancelar a convenção, o tucano passou a ouvir aliados. O ministro das Cidades, Bruno Araújo, foi um deles. Informações iniciais, confirmada por um tucano de bico grande, era que o ministro teria ido a Camaragibe para tentar convencer o gestor a desistir da desistência.

Outras fontes afirmam que Araújo teria ido apenas se certificar da situação e teria opinado pela desistência.

Mas já na madrugada desta sexta, após uma rodada de conversas, ocorrida em uma empresa de publicidade, Jorge Alexandre decidiu encarar a disputa.

Mal nas pesquisas internas e alvo de uma operação da Polícia Federal que investiga suspeita de fraudes em licitações públicas para compra e venda de medicamentos, com desvios que chegaria a R$ 100 milhões, esses eram os motivos que ameaçam levar o prefeito Jorge Alexandre a desistir da empreitada.

Durante o dia, os rumores era de que ele iria elevar o seu vice, Bosco Silva (PSD), à condição de candidato. Mas havia rumores de que ele poderia optar pelo apoio ao deputado estadual Beto Accioly, que há duas semanas anunciou publicamente que apoiaria a reeleição do gestor.

Por Márcio Maia

 

vagas-de-emprego-petrolina-2016A campanha para a Prefeitura de Petrolina será uma das mais disputadas do Estado e nela estão envolvidos dois deputados estaduais e um federal, integrantes de três grupos políticos de grande influência não só no município, como em toda a região.

Como já havia sido definido há algum tempo, o governador Paulo Câmara (PSB) vai manter-se afastado da disputa embora entre os postulantes exista um integrante de seu partido, o deputado Miguel Coelho. Essa distância faz parte de sua estratégia de não se envolver nas cidades onde dois ou mais candidatos de sua base de sustentação estejam pleiteando o cargo de prefeito.

Entre os candidatos estão os deputados estaduais Miguel Coelho (PSB) e Odacy Amorim (PT) e o federal Adalberto Cavalcanti (PTB). Além desses também são candidatos o vereador e ex-secretário Ednaldo Lima (PMDB), com o apoio do prefeito Júlio Lóssio (PMDB), e Maria Perpétua (PSOL).

Com uma forte estrutura e apoio de grandes nomes, como o senador Fernando Bezerra Coelho e o deputado federal e atual ministro Fernando Filho, Miguel Coelho vem sendo apontado como o favorito para conquistar o pleito, como já antecipou o Blog Revista TOTAL.

No entanto, Odacy Amorim, que já foi prefeito, e Adalberto Cavalcanti, que já foi gestor em Afrânio, são apontados como fortes concorrentes, da mesma forma, Ednaldo Lima, que tem o apoio do atual prefeito Júlio Lóssio. Será uma disputa acirrada e que se a cidade tivesse mais de 200 mil eleitores, com certeza haveria segundo turno.

Da mesma forma que a majoritária, a disputa pelas vagas na Casa Vereador Plínio Amorim será duríssima. Cerca de duzentos candidatos irão disputar as cadeiras e os eleitores da sede e dos distritos já estão sendo contatados, assim como os líderes comunitários, sindicais e empresariais.

Fechar