Posts da Categoria: Especial

Buzz Aldrin, primeiro homem a pisar na lua (Foto: NASA/Reuters)
Buzz Aldrin, primeiro homem a pisar na lua (Foto: NASA/Reuters)

Paloma Oliveto – Correio Braziliense

Postado por Marcos Lima Mochila

HOMEM NA LUA: HÁ 50 ANOS, A APOLLO 11 ERA LANÇADA RUMO AO SATÉLITE DA TERRA

Há 50 anos, partia da Flórida a missão que mudou a forma como olhamos para o Universo. Desde que o homem pisou em solo lunar, seguimos desbravando o espaço, impulsionados pelos avanços tecnológicos e pela curiosidade de descobrir o que existe além da Terra

 

Era 16 de julho de 1969. As rádios norte-americanas tocavam sem parar o hit Sugar, sugar, dos Archies; a expectativa do Festival de Woodstock estava no imaginário dos jovens que participariam do lendário evento dali a um mês. No Brasil, os jornais noticiavam que a ditadura militar estudava extinguir o Senado. Já na Inglaterra, David Bowie lançava o LP Space Oddity para coincidir com um fato que mudaria para sempre a relação do homem com o Universo: às 10h32 (horário de Brasília), três homens partiriam da Flórida para conquistar a Lua.

Tripulação da Apollo 11: Michael Collins, Neil Armstronge e Buzz Aldrin (Foto: NASA/Reuters)
Tripulação da Apollo 11: Michael Collins, Neil Armstronge e Buzz Aldrin (Foto: NASA/Reuters)

16 07 LUAAo entrar na Apollo 11 um ano antes da invenção dos microcomputadores, Michael Collins, Buzz Aldrin e Neil Armstrong realizavam um sonho que sempre acompanhou a humanidade. Desbravar o espaço, ultrapassar os limites da Terra e até, quem sabe, dar de cara com alguma forma de vida eram desejos antigos, expressos em diversas culturas do Ocidente e do Oriente. Mais próximo objeto extraterrestre, a Lua exercia um fascínio especial — praticamente todas as sociedades têm mitologias associadas a ela.

Curiosamente, o século 20 não começou tão atento ao satélite. “Naquela época, os astrônomos estavam interessados

Neil Armstrong
Neil Armstrong

apenas em objetos fora do nosso Sistema Solar. Eles viam a Lua como uma amolação que iluminava o céu noturno, dificultando o estudo das estrelas e galáxias mais fracas”, contou, por meio da assessoria de imprensa do Instituto de Ciência Planetária, em Tucson, William Hartmann. O astrônomo e divulgador científico foi um dos primeiros alunos de pós-graduação do célebre cientista norte-americano Gerard Kuiper, considerado o pai da ciência planetária moderna.

Ao contrário da maioria dos astrônomos da época, o grupo liderado por Kuiper na Universidade do Arizona não só se interessava pela Lua como produziu, a partir de fotos, os primeiros atlas lunares. Essas publicações ajudaram a Agência Espacial Norte-Americana (Nasa) a compreender a geologia do satélite e a escolher os melhores locais para as sondas e, futuramente, os homens pousarem nas missões Apollo.

A capa do Correio de 17 de julho de 1969: dia histórico (Foto: Arquivo /CB/D.A Press)
A capa do Correio de 17 de julho de 1969: dia histórico (Foto: Arquivo /CB/D.A Press)

Guerra fria

Naquele fim de década, o espaço já não era algo tão novo para o homem. Oito anos antes, o cosmonauta russo Yuri Garagin tomava para si o título de primeiro homem a sair da Terra. Em plena Guerra Fria, os Estados Unidos não podiam, é claro, ficar para trás. A corrida espacial começou, oficialmente, em 4 de outubro de 1957, quando a ex-União Soviética lançou o Sputnik 1, levando a Nasa a, freneticamente, desenhar um programa muito mais ousado.

Os norte-americanos não apenas ultrapassariam a fronteira terrestre, mas deixariam pegadas na Lua. “Enviar uma missão tripulada era muito mais pelo glamour do que pela validade científica”, explica o astrônomo Naelton Mendes de Araújo, do Planetário do Rio de Janeiro. “As sondas automatizadas são muito mais rápidas, seguras e baratas. Por isso, o voo tripulado foi muito mais por política que por ciência.”

Antes de enviar Collins, Aldrin e Armstrong para a Lua, a Nasa preparou três missões não tripuladas: Ranger, Surveyor e Lunar Orbiter. Entre 1961 e 1965, nove sondas Ranger foram lançadas. A primeira bem-sucedida foi a 7, que partiu em 28 de julho de 1964, pousou na planície Mare Congitum, ao sul da cratera Copernicus, e, de lá, mandou mais de 4,3 mil fotos para a Terra.

 Edwin Aldrin fotografado por Neil Armstrong
Edwin Aldrin fotografado por Neil Armstrong

Em fevereiro do ano seguinte, a Ranger 8 alunissou no mesmo lugar que os astronautas da Apollo 11 deixariam suas pegadas: o Mar da Tranquilidade. A última nave Ranger foi lançada em março de 1965 e enviou 5,8 mil novas imagens desde a cratera Alphonsus. Trabalhadas na Universidade do Arizona, essas fotografias foram a base dos atlas produzidos pela equipe de Gerard Kuiper.

 

Entre 1966 e 1968, cinco de sete missões Surveyor foram bem-sucedidas e, além de mais de 90 mil fotos, realizaram experimentos, examinaram o solo lunar abaixo da superfície e identificaram a composição mineral de alguns pontos da Lua. Uma das principais descobertas — por sinal, muito mais importante do ponto de vista científico do que qualquer realização da Apollo 11 — foi a existência de basalto, indicando que, no início da história do satélite, a formação das grandes crateras levou ao derretimento de material do interior da Lua, o que deflagrou violentos vulcanismos.

O mapeamento completo do satélite, um passo essencial para enviar uma missão tripulada, ocorreria com a Lunar Orbiter, que, entre 1966 e 1967, investigou detalhadamente a topografia e a geologia de diversos tipos de terrenos lunares com objetivo de encontrar o local mais apto para a alunissagem da Apollo. Com tantas informações nas mãos, a Nasa marcou a data de lançamento da esperada ida do homem à Lua. Assim, há 50 anos, Michael Collins, Buzz Aldrin e Neil Armstrong davam o primeiro “grande salto para a humanidade”.

A Opiniões de

16 07 HOMEM NA LUA 3

Antonio Pedro Timoszcz, membro sênior do Instituto de Engenheiros Eletricistas e Eletrônicos (IEEE) e especialista em  engenharia de sistemas

 

A Nasa foi muito ousada ao mandar uma missão tripulada à Lua em 1969?

É importante a gente ter em mente o contexto da época em que isso aconteceu. Já no fim dos anos 1950 e início dos anos 1960, a guerra fria dos Estados Unidos com a antiga União Soviética estava em curso. O que aconteceu foi que, de repente, os russos começaram a progredir muito em relação a essa questão espacial. Eles foram os primeiros a colocar um satélite em órbita, o Sputnik, e, quando os americanos se preparavam para colocar os satélites deles, os russos enviaram o astronauta Yuri Gagarin, provocando uma certa surpresa nos Estados Unidos. Então, os EUA, como uma forma de reagir a essa perda de liderança na questão da tecnologia espacial, colocaram como objetivo do país ir à Lua. Realmente, em termos de tecnologia, estava se aprendendo muito à época, mas, notadamente, esse objetivo fez com que diversas dificuldades tecnológicas fossem superadas, tivéssemos um grande desenvolvimento na área de engenharia, de materiais, tudo que serviu de suporte para que viabilizasse essas missões. Lembrando que a Apollo 11 foi a concretização de um objetivo, mas, até ela, várias outras missões aconteceram. Foi uma sucessão de progressos, e as dificuldades tecnológicas foram sendo superadas. O desafio é o que faz que se supere os obstáculos e que se produza novas tecnologias, o que chamamos de inovação.

E agora há mesmo necessidade de uma nova missão?

É claro que isso permitiu avançar o conhecimento em termos da Lua, do espaço, das condições de vida no espaço, o que permitiu desenvolver os ônibus espaciais, a Estação Espacial Internacional. Mas o que classifico como algo muito interessante é o transbordamento dessa tecnologia toda que foi desenvolvida para o programa espacial para nossa vida do dia a dia. Essa transferência de tecnologia que aconteceu talvez tenha sido o ponto mais marcante em termos de benefícios para a sociedade. Só para citar alguns exemplos, os tênis que usamos hoje em dia vieram das botas que foram feitas para os astronautas. As lentes resistentes dos óculos vieram do fato de se precisar ter visores resistentes à poeira, que não riscassem nem arranhassem. A espuma que é usada nos travesseiros evoluiu a partir da que foi usada nos assentos e em várias partes das naves para diminuir o impacto durante o pouso. A própria computação passou por um avanço muito grande pela necessidade de ter equipamentos que fizessem cálculos mais rápidos e precisos. Então, o ponto mais interessante é que todo esse programa espacial produziu como resultado lateral uma série de benefícios que está no dia a dia de todas as pessoas.

MM COM SÍLVIO COSTA FILHO

 

 

O empresário Marcelo Mesquita, diretor-presidente da Revista TOTAL e do Blog Revista TOTAL foi considerado pelo Blog do Matuto, da cidade de Gravatá, como um dos homens mais articulados dos meios político e empresarial de Pernambuco. Na opinião do Matuto, Mesquita mantém uma posição de destaque nos últimos dez anos, devido ao sucesso das publicações que dirige.MM COM FBC E EDUARDO CAMPOS

Mesquita foi entrevistado pelo blogueiro e explicou detalhes do funcionamento da TOTAL, principalmente sobre os motivos que fazem com que a revista tenha tanto sucesso e alcance tanta repercussão, em um momento de crise nos meios empresariais da imprensa escrita. “Um dos principais incentivadores que encontrei foi o ex-governador Eduardo Campos. Ele confiou em nosso trabalho e nos deu muito apoio. Ele fazia questão de ser a primeira pessoa a ler cada exemplar da revista.

MM COM PC

O governador Paulo Câmara e o prefeito Geraldo Julio também têm nos incentivado bastante por reconhecerem a relevância do trabalho realizado por nossa equipe”.

Marcelo também destaca que o sucesso dos dois veículos de propriedade do Grupo TOTAL – Revista e Blog – deve-se a esses incentivos com que sempre contou, desde o lançamento da Revista, em maio de 2004, além de uma equipe ultraprofissional e totalmente dedicada aos produtos de comunicação da empresa. Essa equipe é composta de velhos parceiros e colaboradores, como o conceituado jornalista Márcio Maia, com um currículo invejável, o designer Sandemberg Pontes Lima, o jornalista Elias Roma e Silva – colaborador da revista há 12 anos – e o publicitário José Nivaldo Júnior – também um grande parceiro, conosco desde o início da revista -, o conceituado marquetólogo LucasMM COM LUCIANO BIVAR SÓ Salles que, inclusive, fez parte da campanha do então candidato a presidente, Jair Bolsonaro. Em  julho do ano passado, Marcelo Mesquita contratou também para a equipe o jornalista e blogueiro Marcos Lima Mochila, conhecido profissional de comunicação de rádio, tv e jornal, que atuou no Jornal do Brasil (RJ), TV Universitária (PE), TV Pernambuco (PE) – durante os oito anos das duas gestões de Eduardo Campos – e diversos outros veículos de Comunicação.

“São esses profissionais que fazem com que nossos veículos venham atingindo, desde o início, níveis tão altos de aceitação e aprovação dos leitores, empresários e, sobretudo, políticos”, finalizou Marcelo Mesquita.

Marcelo Mesquita em visita ao empresáraio J C Gontijo, de Brasí9lia (DF)
Marcelo Mesquita em visita ao empresário J C Gontijo, de Brasília (DF)

O blogueiro ressaltou que a Revista TOTAL vem alcançando grande repercussão também no Distrito Federal, Rio de Janeiro e São Paulo, com suas edições nacionais. Por conta desse crescimento, Mesquita vem investindo mais nessas praças, inclusive já contando com o escritório de uma sucursal em Brasília.

O Grupo TOTAL, nos últimos anos, vem diversificando os segmentos que realiza, investindo na qualificação de sua equipe para serviços de Construção de Mandatos, constantes de:

a – Plano de Direcionamento Político – PDP

1- Ação – Mapa geopolítico

2 – Identificação e acompanhamento de parceria

3 – Orientação e capacitação da militância

b – Planejamento e Gestão de Campanha – PGC

4 – Estruturação de campanha

5 – Elaboração de material de divulgação

6 – Cristalização da intenção do voto.

Aos interessados na contratação desses serviços, divulgação de suas empresas e/ou produtos etc, Marcelo Mesquita informa seus contatos particulares, através dos celulares : 81-99660.9090/98803.3470 ou pelo e-mail: revistatotal15@gmail.com

23 06 JOÃO CAMPOS

Por Marcos Lima Mochila

 

Na manhã deste sábado, vítima de um infarto fulminante, morreu João Henrique Carneiro Campos, conselheiro do Tribunal de Contas do Estado.

Ele se encontrava com a família em Gravatá, onde hoje comemoraria seu aniversário de 50 anos. Acordou cedo, tomou café com a família e voltou a deitar. Pouto tempo depois foram chama-lo e ele já estava morto.

O velório e o enterro aconteceram ontem mesmo, no cemitério Morada da Paz, pois a família não quis enterrá-lo no mesmo dia em que aniversariava.

23 06 JOÃO CAMPOS COM A FAMÍLIAJoão Campos tinha 49 anos de idade e  deixa a viúva Rosana Mousinho Wanderley Campos, chefe da Procuradoria de Apoio Jurídico-Legislativo ao governador, e os filhos Luiza, João Pedro e José Henrique.

João Campos com sua esposa, Rosana, e os filhos João Pedro, José Henrique e Luiza. Foto: Arquivo Pessoal.

João era filho do escritor Renato Carneiro Campos, primo do ex-governador Eduardo Campos e de Antônio Campos e tio da primeira-dama do Estado, Ana Luíza Câmara.

João Campos foi nomeado para ingressar no TCE em 2011, no governo de Eduardo Campos. Ele também já ocupou os cargos de diretor jurídico da Fundação de Desenvolvimento Municipal do Interior de Pernambuco (FIAM), vice-presidente da Escola de Direito Eleitoral do Tribunal Regional Eleitoral e desembargador do Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco.

Repercussão

23 06 ANTONIO CAMPOS

Bastante emocionado, Antonio Campos suspendeu todos os seus compromissos, inclusive o jantar de comemoração de seu aniversário, que se realizaria no próximo dia 25.

“A perda de João Campos representa muito para nossa família. Eu não perdi apenas um primo, perdi um  irmão. Tivemos uma história muito marcante juntos”, salientou, bastante abalado, Antonio Campos.

Geraldo Julio (PSB), prefeito do Recife, por meio de nota, se manifestou sobre a morte prematura do amigo.

“Foi com surpresa e muita tristeza que recebi a notícia da morte precoce do meu amigo e conselheiro do Tribunal de Contas de Pernambuco (TCE), João Campos. Um homem íntegro e de grande sensibilidade. Aos familiares deixo meu abraço e que Deus os conforte nesse momento de profunda dor.”

Marcos Loreto, presidente  do Tribunal de Contas de Pernambuco, emitiu uma nota lamentando a morte de João Campos e demonstrando solidariedade aos familiares.

“É com profundo e imenso pesar que comunicamos o falecimento do conselheiro do Tribunal de Contas de Pernambuco, João Henrique Carneiro Campos, ocorrido neste sábado, 22, na cidade de Gravatá, ocasionado por um ataque cardíaco.

A notícia deixa a todos nós, que fazemos o TCE, extremamente consternados”.

O Náutico, time do qual o alvirrubro João Campos era conselheiro, utilizou um Twitter para lamentar a morte do seu torcedor e conselheiro.

O Clube Náutico Capibaribe lamenta o falecimento de seu conselheiro, João Carneiro Campos, vítima de infarto, neste sábado. Aos amigos e familiares nosso mais profundo pesar pela perda desse grande alvirrubro. #Luto pic.twitter.com/fqXfdclmox — Náutico (@nauticope) 22 de junho de 2019

O governador Paulo Câmara também expressou seu sentimento.

“Expresso aqui, com extremo pesar, minha dor pelo falecimento do meu amigo e conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE) João Carneiro Campos. Um profissional dedicado, jurista de renome e, acima de tudo, um grande ser humano. Toda a minha solidariedade e carinho à sua esposa Rosana e aos filhos João Pedro, José Henrique e Luiza.”

Em 2015, o marquetólogo foi um dos ganhadores do Prêmio Destaque Total, comprovando a capacidade de Marcelo Mesquita em descobrir novos talentos

 

20 06 LUCAS SALLES

Por Marcos Lima Mochila

 

Profissional de Marketing, Lucas Salles jamais aceitou ser chamado de marqueteiro. Para quem o tratava assim, ele imediatamente explica que o termo a ser usado para profissionais desse segmento é marquetólogo, pois ele abomina a outra denominação.

20 06 LUCAS SALLES 1Na verdade, este sempre foi o termo adequado, mas começaram a usar marqueteiro em todas as campanhas e o nome foi se tornando mais popular e o verdadeiro foi esquecido. Em abril de 2010, numa discussão cujo tema era marketing político, o jornalista, escritor e ex-assessor de imprensa no Congresso Nacional, Gustavo Fleury, já utilizava este termo, sem também querer usar a palavra marqueteiro.

Em 2015, na reunião da equipe da Revista Total para escolha dos nomes dos homenageados, o presidente Marcelo Mesquita apresentou o nome de Lucas Salles. Diante da surpresa da equipe, por se tratar de um nome ainda não muito conhecido a nível de Brasil, Marcelo vaticinou:

20 06 LUCAS SALLES 4

“Guardem este nome pois ele vai ser o maior profissional de Marketing do país. Por isso, já estou me antecipando em homenageá-lo”.

Mas isso não vem ao caso, agora. O que importa foi a maneira como Lucas encarou uma campanha a presidente dispondo de apenas 7 segundos diários para conquistar o eleitor pela TV.

20 06 LUCAS SALLES 5

Lucas assumiu a campanha de Bolsonaro em maio de 2018, quando o nome do atual presidente não contava nem com dois dígitos de aprovação.

20 06 LUCAS SALLES 6

Dono da 9ideia, uma agência de comunicação paraibana, Lucas Salles se encontrava ainda em uma fase de estudos para fazer a campanha de Julio Lossio (Rede), candidato ao governo de Pernambuco, quando recebeu o convite para trabalhar para Bolsonaro.20 06 LUCAS SALLES 2Salles chegou até Bolsonaro levado pelo vice-presidente do PSL, Julian Lemos. A primeira pergunta de Bolsonaro para Lucas foi se ele estava preparado para a missão. Sem titubear, Lucas respondeu que sim, baseado na sua vasta participação em campanhas vitoriosas das quais já havia participado, como do próprio Júlio Lóssio que, como candidato a prefeito de Petrolina derrotou Eduardo Campos duas vezes, além de diversos vereadores, deputados estaduais, federais, prefeitos e governador. Ele se sentia, portanto, preparado para o desafio.

Quando perguntamos a Lucas o que foi que ele mudou em Bolsonaro, como conseguiu conquista-lo, ele explica que o próprio candidato foi curto e direto, ao se conhecerem: “Eu não quero que me mude”. E foi isso que Lucas fez: não mudou a essência do candidato a presidente, mostrou a sua autenticidade e isso foi um dos pontos que o levaram à vitória.

O grande dilema era: o que daria para fazer em sete segundos de TV? Lucas diz que otimizou o tempo da forma mais criativa possível, lembrando que há alguns anos, cerca de 70% dos eleitores decidiam o voto com base na propaganda eleitoral na TV. Mas isso mudou e as redes sociais passaram a ter fundamental importância em processos eleitorais.

Passadas as eleições presidenciais, Lucas Salles já se movimenta e se prepara para as próximas eleições, as municipais, ao mesmo tempo em que presta assessoria a prefeituras e outros clientes de sua agência.

20 06 LUCAS SALLES 3

Podemos dizer que Lucas está num período de incubação de ideias novas, porque 2020 está batendo à porta. Ou podemos dizer que ele está se preparando e treinando para a próxima corrida.

Deputado Federal Luciano Bivar (PSL/PE) ladeado por Marcelo Mesquita e Mickaell Mesquita, recebendo exemplar da  Revista Total em Brasília

Deputado Federal Luciano Bivar (PSL/PE) ladeado por Marcelo Mesquita e Mickaell Mesquita, recebendo exemplar da Revista Total em Brasília

Por Marcos Lima Mochila

 

Mesmo transferindo quase todas as suas operações para Brasília, desde o lançamento nacional, em dezembro do ano passado, a Revista Total não se descuida nem abandona as suas origens. Tanto que, juntamente com as matérias nacionais que passaram a permear as últimas edições, em todas elas sempre constaram matérias alusivas a Pernambuco, seus políticos, seus empresários.

Neste mês de junho, por exemplo, a revista traz em suas capas dois jovens prefeitos pernambucanos que, pela maneira como vêm administrando suas cidades, têm-se sobressaído e conquistado os munícipes.

Tratam-se de Ricardo Ramos e Marcello Maranhão, respectivamente prefeitos de Ouricuri, município localizado no Sertão pernambucano e Ribeirão, município da Zona da Mata Sul do Estado.

edição_106

Ricardo Ramos já é prefeito pela segunda vez, pois ganhou as eleições em 2008 e administrou a cidade por quatro anos, voltando a candidatar-se em 2016, quando novamente venceu as eleições.

Ricardo carrega nas veias o sangue de uma mulher guerreira, sua mãe Maria Gorete – falecida em 2003 – mulher dedicada aos trabalhos comunitários prestados ao povo de Ouricuri. O filho decidiu dar continuidade ao trabalho voltado à prestação de assistência aos mais carentes e foi esse o ponto principal para a sua vitória nas eleições de 2008.

Como prefeito, desenvolve uma excelente articulação política, o que o ajudou a levar para Ouricuri a instalação de importantes órgãos, como: Justiça Federal, Tribunal Regional Eleitoral, Procon, Instituto Médico Legal, Unidade de Pronto Atendimento – UPA-E e a tão sonhada UTI do Hospital Estadual Fernando Bezerra.

Toda essa história de entrega à sua cidade natal, o respeito e o reconhecimento dos cidadãos ouricurienses o capacitam a uma reeleição tranquila no próximo ano.

edição_1062

Em Ribeirão, o prefeito Marcello Maranhão, além da preocupação constante em realizar obras e ações que visam a melhoria da qualidade de vida dos ribeirãoenses, também se preocupa em gerar emprego e renda para a população, trabalhando para levar indústrias para o município.

Para conhecer um pouco mais desses dois jovens prefeitos pernambucanos, não perca a próxima edição da revista Total que estará sendo distribuída a partir do dia 30 de junho próximo.

 

17 06 BOLSO X LEVY

Por Marcos Lima Mochila

 

 

Quando, durante a campanha à Presidência da República, o presidente Jair Bolsonaro afirmou diversas vezes em discursos e publicações em redes sociais que o BNDES é uma “caixa-preta” e afirmou que daria mais transparência às operações do banco, Joaquim Levy, com certeza, já estaria ciente que seria o presidente do banco. Mesmo que ainda não estivesse ciente, deve ter acompanhando o noticiário e ouviu o que Bolsonaro prometeu.

O ainda candidato também criticou empréstimos do banco à Venezuela e disse que o Brasil, por meio do BNDES, “patrocinava o socialismo”. Depois de eleito, continuou falando em dar mais transparência às operações.

Logo na segunda semana de mandato, Bolsonaro deu posse aos novos presidentes do BNDES, da Caixa Econômica Federal e do Banco do Brasil.

Passaram-se, portanto, cinco meses e Joaquim Levy nada fez para cumprir as promessas do chefe.

17 06 MARCOS BARBOSA PINTONo sábado (15), o presidente Jair Bolsonaro deu uma bronca pública no presidente do BNDES, Joaquim Levy, e ameaçou demiti-lo caso ele não suspendesse a nomeação do advogado Marcos Barbosa Pinto do cargo de diretor de Mercado de Capitais do banco de fomento. “Levy nomeou Marcos Pinto para função no BNDES. Já estou por aqui com o Levy”, disse o presidente neste sábado. “Falei para ele: (Levy) demite esse cara na segunda (dia 17) ou eu demito você (Levy) sem passar pelo Guedes (ministro da Economia)”, afirmou o presidente.

17 06 BOLSO EM SANTA MARIA

Bolsonaro deu a declaração ao sair do Palácio do Alvorada, residência oficial da Presidência, em direção à base militar, de onde partiu para Santa Maria (RS), onde participou de uma cerimônia militar, tendo sido recebido com uma calorosa recepção. “Governo tem que ser assim: quando coloca gente suspeita em cargos importantes e essa pessoa, como Levy, já vem há algum tempo não sendo leal àquilo que foi combinado e que ele conhece a meu respeito, ele (Levy) está com a cabeça a prêmio há algum tempo”, continuou o presidente. Ao ser questionado por uma jornalista se estava demitindo publicamente o presidente do BNDES, Bolsonaro negou. “Você tem problema de audição?”, questionou à repórter.

Na sexta-feira, durante café da manhã com jornalistas, Bolsonaro demitiu o presidente dos Correios, general Juarez

(Brasília - DF, 05/04/2019) Presidente da República, Jair Bolsonaro durante café da Manhã com Jornalistas. Foto: Marcos Corrêa/PR
Presidente da República, Jair Bolsonaro durante café da Manhã com Jornalistas. (Foto: Marcos Corrêa/PR)

Cunha, por ter-se comportado como “sindicalista”, sendo contrário à privatização da estatal, avalizada pelo presidente. Agora, o que irritou Bolsonaro foi o presidente do BNDES ter colocado Pinto – que já tinha trabalhado como assessor do BNDES durante o governo PT, de 2005 a 2007 – na diretoria que terá como foco a venda de participações da BNDESPar, braço de participações do banco de fomento. O próprio Levy foi ministro da Fazenda de Dilma entre 1º de janeiro e 18 de dezembro de 2015, primeiro ano do segundo mandato da petista.

… para janeiro/2019

Vale lembrar que, após 10 dias de Joaquim Levy ter sido eleito – não se sabe se orientado pelo novo presidente do banco estatal -, o BNDES divulgou uma lista dos seus 50 maiores clientes, em cuja divulgação constava também a relação dos seus maiores devedores:

BNDES divulga lista com os 50 maiores clientes do banco

17 06 BNDES

Banco criou página para organizar informações que já estavam disponíveis

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) divulgou nesta sexta-feira (18) a lista dos seus 50 maiores clientes e todas as operações com eles realizadas nos últimos 15 anos.

De acordo com o banco, os dados já estavam no site, mas as informações estavam fragmentadas em diversas páginas, separadas por linhas de financiamento, disponíveis de uma “maneira difícil para a maioria das pessoas”. Agora os dados estão concentrados em um único link.

Criado durante o governo de Getúlio Vargas, em 1952, o banco estatal tem como objetivo financiar o desenvolvimento da economia, e historicamente tem oferecido empréstimos de longo prazo e taxas de juros mais favoráveis tanto para empresas como para governos estaduais e municipais. O BNDES gere recursos públicos e tem o Tesouro Nacional como seu acionista.

Desde 2004, figuram entre os cinco maiores clientes do banco: Petrobras, Embraer, Norte Energia, Vale e a construtura Odebrecht, envolvida em escândalos de corrupção na Operação Lava Jato.

De acordo com os dados divulgados pelo BNDES, a construtura fechou empréstimos no valor de R$ 18 bilhões nos últimos 15 anos. O maior tomador de recursos é a Petrobras: R$ 62,429 bilhões.

Segundo o BNDES, o objetivo da mudança é “tornar a navegação mais amigável e acessível”, conferir mais transparência e facilitar ao público entendimento sobre as operações e investimentos do banco.

“A disponibilização da lista, com acesso a um grande número de detalhes de cada operação, é parte do esforço de transparência que o Banco tem feito e que deve ser a marca das suas ações sempre”, informou o banco por meio de nota divulgada nesta sexta.

Cinco maiores tomadores de recursos do banco nos últimos três anos (2016-2018):

Embraer SA

Xingu Rio Transmissora de Energia

Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul

Fibria Celulose SA

Belo Monte Transmissora de Energia SA

De acordo com as últimas estimativas divulgadas pelo banco, o BNDES deve fechar 2018 com o menor volume de empréstimos dos últimos 10 anos, com um total de cerca de R$ 71 bilhões em desembolsos, o que representa 0,99% ao Produto Interno Bruto (PIB) do país.

O valor fica pouco acima do montante contratado no ano anterior, que somou R$ 70,8 bilhões, mas menor que o percentual em relação ao PIB, que foi de 1,08% em 2017.

Investimentos no exterior

O banco também facilitou acesso direto a todos os contratos de exportação de bens e serviços brasileiros de engenharia para projetos em outros países.

Foi disponibilizado um link que permite acessar, na íntegra, os contratos assinados entre o BNDES, o país importador e a empresa brasileira exportadora de bens e serviços de engenharia.

Estão disponíveis os contratos de projetos na Argentina, Paraguai, Peru e Venezuela, assim como em Honduras, Equador, Costa Rica, Guatemala, México, República Dominicana e Cuba, além de Angola, Gana e Moçambique.

 

Nessa primeira edição na Capital Federal os homenageados serão agraciados com o Troféu J C Gontijo

Dr. Armando Monteiro Filho entrega troféu Destaque Total ao provedor do Real Hospital Português, Dr.  Alberto Ferreira da Costa, dois dos homenageados pela Revista TOTAL
Dr. Armando Monteiro Filho entrega troféu Destaque Total ao provedor do Real Hospital Português, Dr. Alberto Ferreira da Costa. Ambos foram homenageados pela Revista TOTAL

 

Especial

Por Marcos Lima Mochila

 

 

FBCComo sempre promoveu em Pernambuco, durante vários anos, a escolha de personalidades dos mundos político e empresarial, a Revista Total, após se lançar nacionalmente, realizará em Brasília (DF), a festa dos destaques, agora com dimensão nacional, com o título de FESTA DO PRÊMIO DESTAQUE TOTAL NACIONAL 2019.

Os agraciados receberão o Troféu J C Gontijo, numa homenagem a um dos maiores empresários do ramo imobiliário de Brasília, o engenheiro e presidente da J C Gontijo Engenharia, José Celso Gontijo.

J C GONTIJO X MMA opção pelo nome de Dr. José Celso Gontijo ao Troféu Destaque  Total Nacional 2019 remonta a outubro do ano passado, quando o diretor-presidente do Grupo TOTAL (revista e blog), Marcelo Mesquita,  realizou as primeiras viagens ao Distrito Federal com o intuito de promover o lançamento da Revista Total a nível nacional, a partir de Brasília, o centro dos acontecimentos.

Naquela oportunidade, Marcelo conheceu o Dr. José Celso e ele, de imediato, apoiouJ C GONTIJO X MM1 o projeto, inclusive sendo um dos primeiros parceiros patrocinadores da Capital Federal.

Além disso, trata-sede um empresário que adotou Brasília como o centro de seus negócios, assim como foi adotado por Brasília.

O evento deverá se realizar no mês de outubro e a equipe do Grupo TOTAL, sob o comando e orientação do diretor-presidente Marcelo Mesquita, já começou a fazer levantamentos para escolha dos  homenageados.

As personalidades agraciadas, desta vez, poderão ser de qualquer parte do país mas, com certeza, na lista constarão muitos pernambucanos.

Quem é José Celso Gontijo

J C GONTIJO PRINCIPAL 1José Celso Gontijo é o presidente da J C Gontijo Engenharia S/A, empresa que há 10 anos deu início a uma nova construção de Brasília, realizando empreendimentos residenciais, comerciais, shopping centers e loteamentos de alto padrão, que mudaram os conceitos de projetos imobiliários. Com o mesmo arrojo e dedicação, a empresa se estendeu também para grandes lançamentos no Rio de Janeiro, fazendo prevalecer a mesma qualidade desenvolvida no Distrito Federal.

José Celso graduou-se em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Minas Gerais, em Belo Horizonte (MG), em 1967 e, em dezembro do mesmo ano, já estava trabalhando em Brasília.

“Deus foi muito generoso comigo, dando-me a oportunidade de construir mais de 20 milhões de metros quadrados em obras de edificações, o que, transformando em apartamentos médios de três quartos, com 100 m2 de área, corresponde a 200 mil apartamentos”, ressalta José Celso Gontijo. Se for considerado que cinco pessoas habitam cada apartamento, tem-se uma população de 1 milhão de habitantes, portanto, o dobro do total de residentes no Plano Piloto.

METRÔ DE BRASÍLIA

A JC Gontijo também realizou a construção de  milhares de quilômetros de estradas, viadutos, túneis, pontes, estações de tratamento de água e de esgotos, adutoras e redes coletoras de esgoto. Participou da construção de parte de três metrôs (Brasília, Belo Horizonte e Recife), sendo que, desde 1968, vem participando de quase todas as mais importantes obras de Brasília. Parte do metrô, da sede da Câmara Distrital, do Museu de Brasília e da Torre Digital.

PONTE JK

Foi contemplado com a maior dádiva que um engenheiro pode receber. Construir em Brasília, cidade que tanto ama e que escolheu para viver, a terceira ponte do Lago Sul, a ponte JK, obra-prima de toda a sua carreira profissional – tanto que foi escolhida em Pittsburg, nos Estados Unidos, como a ponte mais bonita do mundo.

MEDALHA

É importante ressaltar que este prêmio, Medalha Gustav Lindenthal, foi concedido apenas três vezes. Gustav Lindenthal foi um engenheiro austríaco, que se naturalizou americano por volta do ano de 1880, tendo sido responsável pela idealização e construção de muitas pontes metálicas na América. Em 1912, a ponte Queensboro, construída pelo próprio Gustav Lindenthal, entre os anos de 1901 e 1910, foi escolhida como a mais bonita. Na década de 1940, a ponte Golden Gate, em São Francisco, talvez hoje a mais conhecida, fotografada e filmada ponte do mundo, foi contemplada com o prêmio.

No Brasil, em junho de 2003, a ponte JK recebeu também esta valorosa honraria, motivo de muito orgulho para todos os integrantes da empresa.

Ele acredita muito na força do trabalho sério e continuado. O grande físico Albert Einstein dizia que somente no dicionário a palavra sucesso vem antes de trabalho.

PRÉDIO 1

José Celso tem orgulho de todas as obras que já fez. Os milhares de engenheiros que já trabalharam com ele, no decorrer de todos esses anos, poderão confirmar que todas as suas orientações foram no sentido de fazer sempre o melhor possível. Por isso, diz que quer crescer, gerar mais empregos e negócios, mas, antes de tudo, quer uma Brasília melhor para nós e para as gerações futuras, como nossos netos e bisnetos.

O seu amor por Brasília é muito grande. Portanto, ele tem a obrigação moral de construir melhor. José Celso acredita que Brasília sempre lhe deu muito mais que merece. Já recebeu todas as condecorações possíveis. No dia 4 de março de 2004, recebeu o título de embaixador de Brasília. Ao todo, são 15 personalidades que representam com sucesso a capital no Brasil e no exterior, como Nelson Piquet, Oscar Niemeyer, Athos Bulcão, Joaquim Cruz, José Aparecido, entre outros grandes nomes. Coube a ele representar o empresariado da capital federal. A Câmara de Brasília também lhe prestou uma homenagem, outorgando-lhe o titulo de cidadão honorário da cidade, que recebeu em maio, por ocasião de seu aniversário.

Com a ajuda de Deus, com muito trabalho e seriedade, José Celso tem certeza e convicção absoluta de que ele e toda a plêiade de pessoas competentes que estão juntas nesta caminhada farão sempre o melhor possível por Brasília, oferecendo o que há de mais moderno e atual no ramo da construção civil.

PRÉDIO 2

E é por essa razão que foi decidido que a empresa levaria seu nome, pois ele tem muito orgulho e satisfação de assinar todos os empreendimentos da José Celso Gontijo Engenharia S.A.

Na solenidade, Paulo Câmara também recebeu o título de membro honorário da instituição

04 06 PC 4

Postado por Marcos Lima Mochila

 

 

04 06 PC 6O governador Paulo Câmara participou, nesta terça-feira (04.06), no Palácio do Campo das Princesas, de uma solenidade em homenagem aos 100 anos do Clube de Engenharia de Pernambuco. Durante o evento, foi lançado pelo Governo do Estado um selo comemorativo à data. O chefe do Executivo também foi agraciado pela comissão do centenário do clube com o título de membro honorário.

“É uma justa homenagem. Durante esses cem anos o Clube de Engenharia tem participação ativa em diversos momentos do Estado. É uma instituição que merece nossos aplausos e nossos agradecimentos por todas as parcerias e por tudo que fez de bom em Pernambuco”, afirmou o governador.

Fundado em 1919, o Clube de Engenharia de Pernambuco é formado por engenheiros que organizam e mobilizam sua categoria profissional. Através da promoção de debates e estudos sobre os avanços científicos e tecnológicos – além de projetos de promoção social – a instituição vem participando do processo de desenvolvimento econômico e social do Estado.04 06 PC 5

A vice-governadora Luciana Santos, formada em Engenharia Elétrica pela Universidade Federal de Pernambuco, fez questão de destacar a relevância da homenagem. “O gesto de celebrar essa data é de muita importância. Faz jus à tradição, ao orgulho e à força da história da engenharia em Pernambuco”, destacou.

“A comemoração do centenário do Clube de Engenharia de Pernambuco é um reconhecimento da importância da entidade para a engenharia brasileira, para a luta do avanço científico e para o crescimento econômico e social do país”, disse o presidente da instituição, Alexandre Santos.

04 06 PC

Participaram do evento os secretários estaduais Cel. PM Carlos Viana (Casa Militar) e Fernandha Batista (Infraestrutura e Recursos Hídricos). A secretária executiva de Segmentos Sociais da Secretaria de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude, Laura Gomes, representou o secretário Sileno Guedes. Estiveram presentes ainda os deputados estaduais Sinvaldo Albino e Simone Santana; o presidente da Fundarpe, Marcelo Canuto; o reitor da UPE, Pedro Falcão; o presidente da Academia Nacional de Engenharia, Francis Bogossian; a diretora regional dos Correios, Deise Ferraz; e membros da Comissão do Centenário do Clube de Engenharia.

Fotos: Hélia Scheppa/SEI

25 05 J C GONTIJO

Por Marcos Lima Mochila

 

25 05 J C GONTIJO 1O diretor-presidente do Grupo TOTAL, Marcelo Mesquita, tem realizado constantes viagens a Brasília (DF), no intuito de solidificar cada vez mais o nome da Revista TOTAL como um veículo de  âmbito nacional.

Em uma de suas recentes viagens, além de diversas outras reuniões, teve um encontro com o engenheiro civil e grande empresário do segmento da construção civil, José Celso Gontijo, presidente do JC Gontijo Engenharia, uma das grandes parceiras da Revista Total no Distrito Federal, para consolidar ainda mais a parceria entre as duas empresas.

José Celso é um dos empresários mais bem conceituados do Brasil. Tendo se graduado em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Minas Gerais, em 1967, no mesmo ano mudou-se para Brasília e iniciou uma carreira de sucesso como empresário do mercado imobiliário.

25 05 PONTE JK BRASÍLIA

Desde 1968 José Celso vem participando de quase todas as mais importantes obras de

Brasília, como a construção de parte do metrô, a sede da Câmara Distrital, e o Museu de Brasília.

Sua empresa, a J C Gontijo Engenharia, que hoje é considerada uma grife do segmento da construção civil, também assina obras em diversos outros estados do Brasil, o que faz do seu presidente um empresário conceituado e respeitado em todo o país.

13 04 RT BOLSO

Por Márcio Maia e Marcos Lima Mochila

 

Foram 15 anos de sucesso, desde a edição de lançamento – em abril de 2004 – até novembro 2019, com o foco voltado para todo o Estado de Pernambuco, mas, a partir de dezembro do ano passado, coincidindo com a posse do pernambucano José Mucio Monteiro como presidente do TCU, a Revista Total foi lançada nacionalmente.

Desde o lançamento, têm sido inúmeros os elogios para a revista: o teor das matérias, a qualidade editorial, a linha jornalística, que busca noticiar a verdade, sendo sempre imparcial, mas sem agredir nem tomar partido de nenhum grupo.

13 04 RT TRUMP

A nova edição de circulação nacional da Revista TOTAL vem repercutindo intensamente em todos os setores empresariais e políticos do Brasil, principalmente em Pernambuco, onde todos têm-se mostrado impressionados com a coragem e o arrojo da equipe.

Todos enfatizam que, enquanto as grandes publicações de circulação nacional, como a Veja, Carta, Isto é e outras, vêm tendo sérios problemas para continuarem sendo impressas, a TOTAL mostra uma vitalidade impressionante, como ressaltou o presidente nacional do PSL, deputado federal Luciano Bívar. “Sou um entusiasta do empreendedorismo e a TOTAL me surpreende a cada dia pela ousadia de seus integrantes”.

O também deputado federal Pastor Eurico (PATRIOTA) disse conhecer o trabalho e a competência do diretor-presidente Marcelo Mesquita há muito tempo, mas, mesmo assim, nunca imaginou que a revista iria se expandir tão rapidamente e alcançar tão ampla repercussão. “Fico muito satisfeito com o que está acontecendo, pois sou um defensor das coisas de Pernambuco e a TOTAL tem-nos representado muito bem. Aqui em Brasília, os elogios são enormes e constantes”.

FBCPara Fernando Bezerra Coelho (MDB), líder do Governo na Câmara Federal, a TOTAL vem mostrando uma pujança digna dos maiores elogios. “Quando vi muita gente lendo a revista no prédio do Congresso Nacional, fiquei surpreso. Logo depois, adquiri um exemplar e constatei o porquê do sucesso. Eram as matérias de capa com os presidentes do Brasil, Jair Bolsonaro (PSL), e dos Estados Unidos, Donald Trump. A TOTAL tem demonstrado muito fôlego”.

O prefeito de Jaboatão dos Guararapes, Anderson Ferreira (PR), também demonstrou alegria ao ser informado através de correligionários em Brasília, do sucesso alcançado pela revista. “Algumas vezes eu comentei com amigos, em Brasília, sobre a qualidade editorial da Revista TOTAL e alguns chegaram a duvidar das minhas palavras. Agora, eles estão confirmando tudo que eu falava”.

Marcelo Mesquita tem agradecido o apoio recebido e promete que a TOTAL continuará com seu projeto de ampliação da área de circulação, pois já atinge, além de Brasília, o Rio de Janeiro e São Paulo. Na próxima edição, está prevista a edição de reportagens sobre a vida política e empresarial de Minas Gerais. “Estamos felizes com a repercussão positiva de nosso trabalho e prometemos aos nossos leitores, que vamos continuar investindo no setor, pois confiamos na qualidade do trabalho editorial realizado por nossa equipe comandada pelo experiente jornalista Márcio Maia, desde julho/2018 também com o jornalista Marcos Lima Mochila que, inclusive, é o editor do Blog Revista TOTAL, outro veículo nosso que vem crescendo bastante” salienta, orgulho, Mesquita.

Opiniões

Outros políticos e empresários também vêm acompanhando o sucesso da Revista TOTAL e também têm comentado e emitido suas opiniões, em encontros com nossa equipe.

“Marcelo Mesquita é um grande amigo, um grande companheiro. Eu fico muito feliz com o sucesso de sua revista, AGLAILSON JÚNIORveículo que ele comanda com muita competência”.  (Aglailson Júnior (PSB/PE) – Prefeito de Vitória de Santo Antão)

“A Revista Total é, como a Pitu, um orgulho para o povo vitoriense. Eu costumo dizer que ela segue o mesmo caminho da Pitu: de Vitória para ALEXANDRE FÉRRERtodo o Estado de Pernambuco, para todo o Brasil e depois para o mundo. A Total só falta agora conquistar o mundo porque nos Estados Unidos ela já chegou, com essa excelente matéria de Donald Trump”. (Alexandre Férrer – Diretor Comercial e de Marketing da Pitu)

 

ERIBERTO MEDEIROS 1

“É sempre um grande orgulho, para todos os pernambucanos, o sucesso de um produto nosso. E é este sentimento que todos nós temos ao ver o sucesso da Revista Total”. (Eriberto Medeiros (PSB/PE)Presidente da ALEPE)HENRIQUE QUEIROZ A

 “Quando a gente fica sem mandato, como me encontro no momento, fica muito curioso pra se inteirar dos fatos políticos. É aí que entra a Revista Total, nos abastecendo e nos atualizando nesse segmento. Parabéns a toda a equipe”.  (Henrique Queiroz (PR/PE) – ex-Deputado Estadual)

14 05 AMUPE 9A “Marcelo Mesquita é um grande amigo, um grande companheiro e eu fico muito feliz com o sucesso de sua revista, veículo que ele comanda com muita competência”. (João Campos (PSB/PE) – Deputado Federal)

 “Como empresário e como profissional de rádio, eu sempre tive a curiosidade de conhecer de perto e ver como funciona um veículo impresso. O convite de Marcelo Mesquita para ser diretor da revista em Brasília (DF) satisfez meus dois desejos. Tenho muito orgulho de fazerMARÍLIA ARRAES parte desta grande equipe”. (Joaquim Neto – Diretor da Revista Centro-Oeste)

 “Qual não foi minha surpresa ao me deparar com Marcelo Mesquita nos corredores da Câmara e receber de suas mãos um exemplar da Revista Total, da minha terra. De imediato eu o parabenizei e fiz votos de que ela continue sendo distribuída aqui  e cresça ainda mais”. (Marília Arraes (PT/PE)

MÁRIO FLOR PREF DE BETÂNIA 1“Durante a XXII Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios eu recebi um exemplar da revista e me surpreendi quando a moça que entregou me falou que a revista agora era distribuída também em Brasília. Parabéns”. (Mário Flor(PTB/PE) – Prefeito de Betânia)

 “Marcelo é meu amigo e meu parceiro e eu o conheço também que nada disso me surpreende. Ela vai ainda mais longe, vocês vão ver”. (Sérgio Redó – Presidente da API – Associação Paulista de Imprensa)SÍLVIO COSTA FILHO

 “O primeiro mandato gera sempre muita expectativa, principalmente quando é fora do nosso Estado. Mas quando eu cheguei e, no primeiro dia, recebi um exemplar da Revista Total lá na Câmara, em Brasília, eu disse: estou em casa. E só tenho a parabenizar essa visão empreendedora do Marcelo e de sua equipe”. (Silvio Costa – (PRB/PE))

 “Independente de partido, de viés político, de qualquer coisa, todos que conhecem admiram a Revista Total como um grande veículo de comunicação pernambucano, dirigido por pernambucanos e orgulho de todos nós. Só tenho a parabenizar a toda equipe e a seu presidente, Marcelo Mesquita”. (Tadeu Alencar – (PSB/PE).

Fechar