Posts da Categoria: Brasília

 

O programa “O Futuro da Minha Cidade” é promovido pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), com correalização do SESI Nacional

DIÁLOGOS CBIC: O Futuro da minha cidade e Brasília.rrRealização CBICrCorrealização SESIrApoio CODESE/DF e GDFrrRealizado no dia 10 de maio de 2019rno Pontão do Lago Sul, Brasília - O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, o presidente da CBIC, José Carlos Martins, do coordenador do projeto, Silvio Barros, o presidente do Codese-DF, Paulo Muniz, e o jornalista Gilberto Dimenstein (Crédito: Tereza Sá)
O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, o presidente da CBIC, José Carlos Martins, do coordenador do projeto, Silvio Barros, o presidente do Codese-DF, Paulo Muniz, e o jornalista Gilberto Dimenstein (Crédito: Tereza Sá)

 

 

 

O programa convida toda a sociedade para ser voluntária e pensar ações para daqui a 20 anos

Qual futuro que você, enquanto cidadão, quer para a sua cidade e para o Brasil? Pensar em soluções para os problemas locais e promover o desenvolvimento dos municípios é o objetivo do projeto “O Futuro da Minha Cidade”, promovido pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), com correalização do SESI Nacional. O programa convida toda a sociedade para ser voluntária e pensar ações para daqui a 20 anos, visando a formação de um Conselho de Desenvolvimento Econômico, Sustentável e Estratégico (Codese) local.

A iniciativa, criada em 2012 e já presente em 28 cidades do país, foi apresentada nesta sexta-feira, 10, durante o “Diálogo CBIC: O Futuro da Minha Cidade e Brasília”. Mediado pelo jornalista Gilberto Dimenstein, fundador da Catraca Livre, o evento teve a participação do governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, do presidente da CBIC, José Carlos Martins, do coordenador do projeto, Silvio Barros, e também do presidente do Codese-DF, Paulo Muniz.

Fundador da Catraca Livre, Gilberto Dimenstein mediou o evento em Brasília (Crédito: Tereza Sá)
Fundador da Catraca Livre, Gilberto Dimenstein mediou o evento em Brasília (Crédito: Tereza Sá)

O projeto transforma as pessoas em protagonistas no planejamento econômico e sustentável do futuro dos municípios a curto, médio e longo prazos. “É impossível você querer mudar o mundo e não querer mudar o que está em torno. Às vezes, com soluções muito pequenas, como cuidar de uma calçada, de se envolver na escola pública, no posto de saúde e na questão ecológica, por exemplo, você pode fazer uma cidade melhor”, comenta Dimenstein sobre a necessidade da participação dos cidadãos.

O planejamento do programa é feito por meio do Conselho, formado por Câmaras Temáticas, que pensa estratégias levando em conta várias temáticas: saúde, educação, segurança, meio ambiente, gestão pública, mobilidade urbana e desenvolvimento econômico. “O que nós fazemos é fomentar o debate. Desde então, nós usamos uma frase que é a base da ação _ se a mudança é inevitável, você tem que optar: ser refém ou protagonista. Nós optamos por ser protagonistas dessas mudanças do nosso dia a dia”, explica Martins.

A experiência de Maringá

A ideia da criação do “O Futuro da Minha Cidade” surgiu a partir da experiência bem-sucedida de Maringá, no Paraná, por meio do seu Conselho de Desenvolvimento Econômico (Codem). Em 1996, a sociedade civil organizada resolveu assumir o controle do planejamento a longo prazo, 20 anos para frente, sabendo que, como os mandatos duram quatro anos, esse programa passaria por cinco prefeitos com pensamentos diferentes. “A população entendeu que o prefeito é o servidor público e vestiu a camisa de ‘patrão’ dele. Ele é um executivo contratado pelo voto para administrar aquilo que pertence a todos. Quem define o rumo é a sociedade”, afirma Silvio Barros, coordenador do projeto e ex-prefeito de Maringá.

Segundo ele, entre os muitos projetos que demonstram essa mobilização, a sociedade civil decidiu que não queria tirar a linha do trem do centro da cidade, e sim rebaixá-la, e deixar o metrô pronto nos próximos 20 anos. A obra levou, no total, quatro mandatos para ficar pronta. “O nosso metrô, no dia que a gente tiver necessidade, já está construído e a linha de trem não atrapalha mais o movimento da cidade. Esse pensar nunca seria do poder público, mas é o pensar de quem vive e quer continuar vivendo em um lugar cada vez melhor”, diz.

“O que a cidade precisa, não pode parar. No ano passado, Maringá foi eleita a melhor cidade do país para se viver. Não é uma causalidade, é a consequência do que a comunidade resolver fazer”, conclui Silvio.

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, procurou o Codese para a criação de um conselho de políticas públicas (Crédito: Tereza Sá)
O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, procurou o Codese para a criação de um conselho de políticas públicas (Crédito: Tereza Sá)

O futuro de Brasília

No evento em Brasília, os participantes destacaram um dos exemplos mais atuantes no projeto: o Codese do Distrito Federal. “No fim de 2017, definimos que todo o nosso programa seria pautado nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, do qual o Brasil é signatário. Não apenas seguimos as ODS, mas também pegamos as nossas metas e atrelamos a elas”, afirma Paulo Muniz, presidente do conselho. As propostas formaram o documento “O DF que a gente quer!”, que teve a participação voluntária de 240 da sociedade civil, empresários, técnicos e acadêmicos, representantes de mais de 90 entidades de diversos segmentos.

O documento foi apresentado à sociedade em agosto de 2018 e entregue a todos os candidatos durante a campanha eleitoral ao governo do DF. Após as eleições, o governador eleito do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, procurou o Codese para a criação de um conselho de políticas públicas. “Brasília tem a oportunidade de ser um laboratório para o Brasil. As experiências aqui são muito mais fáceis de implantar porque você consegue colher o resultado”, ressalta Ibaneis.

De acordo com Muniz, no balanço dos 100 dias de governo do Distrito Federal, mais de 25 ações já foram emplacadas e outras estão a caminho. “Propusemos em agosto de 2017 medidas emergenciais, como abrir as delegacias 24 horas”, exemplifica o presidente do Codese-DF. A decisão imediatamente implementada pelo atual governo já resultou na redução de cerca de 40% da criminalidade.

Confira OS VÍDEOS:

https://catracalivre.com.br/cidadania/projeto-transforma-cidadao-em-protagonista-do-futuro-das-cidades/?fbclid=IwAR03Bm-ysfbv8L1JBZc20EF-hVI95QtZZFkEdjh_9keJ3c09_8LGQv0OjTI

Para quem pretende curtir um happy hour pelas noites de Brasília, preparamos uma lista com barzinhos e restaurantes que servem petiscos deliciosos

10 05 PETISCOS EM BRASÍLIA

Postado por Marcos Lima Mochila

 

Para curtir as noites em Brasília, não há nada melhor do que convidar os amigos para aquele programinha diferente, independente do dia da semana. Felizmente, a capital federal oferece inúmeras alternativas, sempre com uma para cada gosto e orçamento. É possível encontrar desde ambientes mais simples até os mais sofisticados, mas que prezam por oferecer a boa combinação entre petiscos e cerveja gelada ou drinques mais elaborados.

Pensando nisso, nós aqui do Portal Dia Online preparamos uma listinha com os melhores barzinhos e restaurantes para quem pretende curtir aquele happy hour com a galera. Oferecem cardápios variados e servem desde pratos completos até porções individuais, por exemplo. Confira!

Encontre lugares para comer os melhores petiscos de Brasília:

10 05 PETISCOS EM BRASÍLIA 1Piratas Bar

Para quem adora bons petiscos em Brasília, o Piratas Bar é uma das melhores alternativas. Por ali é possível encontrar de tudo um pouco, desde chopp e cervejas geladas, até drinques, vinho e comidinhas especiais.

São diversas opções de petiscos na casa, sendo possível encontrar combos especiais para toda a galera e porções para comer sozinho. Vale lembrar ainda que rola promoção para aniversariantes. Basta levar 15 pessoas e você ganha um drinque exclusivo. É preciso apresentar documento de identificação.

Como o próprio nome sugere, o bar é inspirado no tema “piratas”, representando um espacinho bem diferente na capital , perfeito para ir com os amigos. Vale a pena conhecer! Clique aqui e confira o cardápio.

Horário de atendimento: segunda a quinta, das 11h30 às 00h / sexta, das 11h30 às 2h / sábado, das 12h às 2h / domingo, das 12h às 00h

Telefone: (61) 99909-5051- Endereço: SIG, Q. 06 Rua L, 15152

10 05 PETISCOS EM BRASÍLIA 2Rossoni

A Rossoni é uma pastelaria bastante popular em Brasília. Conta com um ambiente bastante agradável e proporciona experiências únicas para seus clientes. Por ali, é possível encontrar variedade, fartura e preços acessíveis.

Além de pastéis para todos os gostos, o cardápio ainda oferece caldos, refeições completas, salgados, doces e petiscos deliciosos, que podem ser bem acompanhados daquela cervejinha gelada! Confira aqui o cardápio completo.

Horário de atendimento: terça a domingo, das 8h às 23h (os horários podem ser diferentes de acordo com a unidade).

Telefones: (61) 3234-1119 / (61) 3541-5569 –

Endereços: SRES s/n 37, SRES – Cruzeiro Velho / Asa Sul Comércio Local Sul 307 Loja 03, BL B

10 05 PETISCOS EM BRASÍLIA 3Mavericks Comida de Boteco

Reconhecida pela qualidade de seus produtos e serviços, esta é uma das casas mais frequentadas de Brasília. A choperia oferece um ambiente amplo e bastante agradável, decorado com quadros e lembranças inspiradas no antigo carro da Ford, o Maverick, que foi um ícono dos anos 70 e dá nome ao lugar.

Para deixar a experiência de seus clientes ainda melhor, a casa toca diversos estilos musicais que vão do rock, MPB, pop rock até sertanejo. Por ali é possível pedir chopp gelado, cervejas diversas, drinques diferentes e vinhos.

Para acompanhar, nada melhor que alguns petiscos, não é mesmo? Então vale conferir o menu, que oferece mais de 30 pratos diferentes e petisquinhos para todos os gostos. Além disso, ainda é possível encontrar ofertas de combos de sushi! Confira o cardápio clicando aqui.

Horário de atendimento: todos os dias, das 11h à 1h

Telefone: (61) 3597-6484 – Endereço: Rua 4, Chácara 01 A – Lote 01 – Loja 2, 3

10 05 PETISCOS EM BRASÍLIA 4Bar Brahma

O Bar Brahma é, sem dúvida, um dos melhores lugarzinhos para quem pretende degustar bons petiscos em Brasília! Com um ambiente alegre e descontraído, o público encontra um lugar que representa bem o espírito brasiliense, com muita música, cerveja no ponto e comidinhas especiais.

Dando ritmo ao bar, é possível encontrar desde o samba ao jazz, rock ao forró, baião à MPB e muito mais! O cardápio é variado e serve desde almoço executivo até as comidas de boteco para aquele happy hour com a galera. Confira o cardápio clicando aqui.

Horário de atendimento: segunda a sábado, das 11h45 às 00h

Telefone: (61) 3224-9313 – Endereço: Asa Sul Comércio Local Sul 201 – Asa Sul

10 05 PETISCOS EM BRASÍLIA 5Beco

O Beco é um barzinho com decoração rústica e climinha bem agradável, perfeito para levar a galera! Lembrando os mais tradicionais bares cariocas, é possível desfrutar de uma experiência única em Brasília!

No cardápio os clientes encontram variedade em bebidas, pratos e petiscos! É tudo uma delícia e preparado com ingredientes de alta qualidade! Vale a pena conhecer!

Horário de atendimento: segunda a quarta, das 12h às 00h / quinta a sábado, das 12h às 2h / domingo, das 12h às 22h

Telefone: (61) 3443-7735 – Endereço: Quadra 407, Bloco A, Loja 34/36 – Asa Sul

10 05 PETISCOS EM BRASÍLIA 6Esquinão do Petisco

Em menos de um ano no mercado de Brasília, o Esquinão do Petisco já representa um dos lugares preferidos para quem pretende aproveitar bons petiscos acompanhados de bebidas do seu gosto. É possível contar com um cardápio de primeira, servindo sempre produtos de alta qualidade.

Destaque para a carta de chachaças, drinques e cervejas, que apresenta o que há de melhor do mercado nacional e internacional. Além disso, o ambiente ainda conta com clima descontraído e sofisticado, representando uma das melhores opções da região. O melhor é que o atendimento é 24 horas!

Horário de atendimento: todos os dias, 24 horas

Telefone: (61) 3055-3851- Endereço: St. Res. Leste | Buritís I Q 1 Cl Conjunto Quadra Lote 40 – Planaltina

10 05 PETISCOS EM BRASÍLIA 7Restaurante Braseiro

O restaurante é mais uma excelente opção para quem pretende comer bons petiscos em Brasília. Embora sirva um buffet completo no almoço, é possível encontrar um ambiente perfeito para reunir os amigos durante a noite.

Assim, é possível contar com um cardápio variado onde dá para pedir pratos à la carte ou petiscos maravilhosos, que vão desde as batatas fritas até iscas de peixe, que podem ser servidos com acompanhamentos de sua escolha.

Durante o sábado é comum que o lugar receba música ao vivo, deixando a experiência ainda mais agradável! Vale a pena conhecer!

Horário de atendimento: domingo a sexta, das 11h às 16h e das 17h à 1h30 / sábado, das 10h à 1h30 (os horários podem ser diferentes de acordo com a unidade)

Telefones: (61) 3081-8091 / (61) 3226-1401

Endereços: Vila Planalto Acamp Rabêlo Lote 11 – 134, Guará I QI 11 – Guará, Brasília

10 05 PETISCOS EM BRASÍLIA 9Aldeia Lanches & Petiscos

Excelente lugar para comer petiscos em Brasília, a casa conta com um ambiente bastante agradável e acolhedor, no entanto, vale considerar que é bem agitado e conta com som alto durante a noite. Para quem adora lugares com tais características, certamente a experiência será intensa e muito boa!

O cardápio é variado e é possível encontrar bebidas diversas, comidinhas da casa e petiscos deliciosos! Vale a pena conhecer!

Horário de atendimento: segunda a sábado, das 10h às 3h / domingo, das 10h às 00h

Telefone: (61) 3877-4403 – Endereço: St. O QNO 3 Conj. 28 – Ceilândia

10 05 PETISCOS EM BRASÍLIA 10Confraria do Petisco

O bar é uma boa opção para curtir um happy hour com os amigos. Por ali é possível encontrar cerveja gelada, comidinhas bem servidas e bons petiscos para acompanhar. Destaque também para o atendimento da casa, que é bastante cordial e pronto para melhor servir. Também é possível contar com musiquinha ambiente para deixar o clima mais agradável.

Telefone: (61) 3202-9093 – Endereço: BL A – Quadra loja 07 – Asa Norte

Confraria do Chico Mineiro

Restaurante bastante tradicional em Brasília, é conhecido pela qualidade de seus produtos e serviços, servindo sempre pratos com ingredientes frescos e selecionados, garantindo sabores intensos e marcantes.

Durante o dia o ambiente funciona principalmente como restaurante, no entanto, durante as noites de terça e sexta, rola aquele climinha descontraído de boteco, onde os amigos costumam se reunir para desfrutarem de deliciosos petiscos e daquela cerveja gelada.

O cardápio de petiscos é bem variado sendo possível encontrar opções para todos os gostos. É possível contar tanto com as tradicionais fritas, quanto com receitinhas especiais da casa. Clique aqui e confira!

Horário de atendimento: segunda, sábado e domingo, somente almoço até 17h / terça e sexta, das 10h às 00h

Telefone: (61) 3963-1956 – Endereço: Asa Norte Comércio Local Norte 104 – Asa Norte

Há eventos na Praça dos Três Poderes, que começam com a Troca da Bandeira, e atrativos na Esplanada dos Ministérios, que culminam em shows

Brasília(DF), 09/09/2015 -  Brasília por outro ponto de vista. De cima, Ponte JK e Ministérios se unem em imagem não tão corriqueira, ainda assim, encantadora. Foto: Rafaela Felicciano/Metrópoles
Brasília(DF) – Brasília por outro ponto de vista. De cima, Ponte JK e Ministérios se unem em imagem não tão corriqueira, ainda assim, encantadora (Foto: Rafaela Felicciano/Metrópoles)

Isadora Teixeira – Metrópoles.com

Postado por Marcos Lima Mochila

 

 

Brasília comemora 59 anos neste domingo (21/04/19) com extensa programação. O dia iniciará com a solenidade da Troca da Bandeira, na Praça dos Três Poderes. Na área central, o agito fica por conta de artistas na Esplanada dos Ministérios.

A partir das 9h, os cidadãos poderão assistir apresentações da Esquadrilha da Fumaça, descidas de tirolesa e rapel do alto do prédio do Congresso Nacional, além de outras atrações que integram turismo cívico preparado pelo Governo do Distrito Federal (veja ao fim da matéria).

Revitalizado, o Centro de Atendimento ao Turista (CAT), da Casa de Chá, será reaberto ao público ao som do Quarteto da Escola de Música, às 11h. As unidades dos Setores Hoteleiros Sul e Norte, que estavam fechadas desde o fim da Olimpíada 2016, também voltarão a abrir as portas. Ainda estão previstas outras programações culturais durante a manhã.

A festa do aniversário da capital se estende ao Complexo Cultural da República e no gramado central da Esplanada, próximo à Rodoviária do Plano Piloto. Os eventos começam às 9h, divididos entre três palcos e o Mosaico Culturas Populares, cuja tenda terá apresentações de teatro, circo, balé junino e capoeira.

Anitta é a atração principal

A cantora Anitta é a atração principal. Também se apresentarão: Henrique e Ruan, Pedro Paulo e Matheus, Bloco Eduardo e Mônica com participações especiais de Marceleza, do Maskavo, e da banda Scalene e da Surf Sessions, que dividirá o palco com PJ e com Digão e Canisso, dos Raimundos.

Outros eventos se espalham pelas regiões administrativas. Às 16h, a roda de samba Boca de Matilde vai receber os Filhos de Dona Maria num show que marca o retorno do grupo aos palcos da capital. A festa rola no Círculo Operário do Cruzeiro.

Quem curte exposições também estará bem servido: vale a visita ao CCBB e à Referência Galeria de Arte (202 Norte). Cada lugar abriga uma parte da exposição Natureza Inventada, de Carlos Vergara.

Na Esplanada dos Ministérios:

Palco Brasília

10h – Dow Jones

11h – Sapekaí

12h – Juliana Marques

13h – Luciano Ibiapina

14h – Galo Cego

15h – O Bando

16h – Capitão do Cerrado

17h – Dhi Ribeiro

18h – Paraná

19h – Lupa

20h – Dona Cislene

22h30 – Aborto Elétrico

Barão e Mauá nos intervalos das bandas, entre 13h e 18h

Palco Ipê Amarelo

14h – Daniela Firme

16h – Surf Sessions convida PJ + Digão e Canisso, Raimundos

18h – Intervalo DJ

19h – Projeto Identidade: Henrique e Ruan + Pedro Paulo e Matheus

21h – Anitta

23h – Bloco Eduardo e Mônica – Convidados e participações: Marceleza – Maskavo / Scalene

Palco Gastronômico

10h – Gustavo Trebien

11h30 – Diego Azevedo

13h – Allan Massay

14h30 – Diboresti

16h – Distintos Filhos

17h30 – Magoo

19h – Real Samba

Mosaico Culturas Populares, das 9h às 16h

Capoeira Mãe África

Maculelê

Balé Junino

Grupo Pellinsky

Bateria Furiosa

Programação da Troca da Bandeira comemorativa ao aniversário de 59 anos de Brasília:

09h – Apresentação do efetivo ao governador (início da solenidade)

09h30 – Desfile da tropa

09h50 – Encerramento da solenidade de Troca da Bandeira

10h – Apresentação da Esquadrilha da Fumaça

10h30 – Demonstrações Técnico-Profissionais do Corpo de Bombeiros Militar do DF (CBMDF) com rapel e tirolesa a partir do Congresso

11h – Reabertura do CAT Casa de Chá com apresentação de Quarteto da Escola de Música (Oboé, Viola, Violoncelo e Violino) e repertório Wolfgang Amadeus Mozart.

11h30 – Atividades Físicas RunWay Life Place

Atrativos ao longo da manhã cívica, na Praça dos Três Poderes, das 9h às 12h:

Exposição de veículos e equipamentos militares

Interação com animais adestrados

Interação com Trupe Circense

Tenda SESC de Educação e Cultura

Oficina de Ilustração e Pintura Livre

Biblioteca Volante BiblioSESC

Unidade Móvel RunWay Life Place para avaliação física

Expresso Ambiental Caesb

Food Trucks

Distribuição de água

Presença de guias de turismo

Micro-ônibus da TCB fazendo o transporte de turistas no Eixo Monumental

20 04 PRUDENTE GOVERNADOR MAIS JOVEMAna Maria Campos Corrreio Braziliense

Postado por Marcos Lima Mochila

 

Com a viagem do governador Ibaneis Rocha (MDB) e do vice Paco Britto (Avante) à Europa na próxima semana, o presidente da Câmara Legislativa, Rafael Prudente (MDB), assume o comando do Palácio do Buriti e se torna o mais jovem político a ocupar tal posto. Aos 35 anos, completados em novembro, ele vai responder pelo Executivo até o início de maio. Trata-se, mais do que tudo, de uma deferência ao parlamentar do MDB, que poderá ter no currículo a passagem pelo Executivo.

O investimento para montar toda a estrutura do evento e bancar contratação de artistas chega a R$ 3 milhões

Cantora Anitta é a principal atração e deve se apresentar por volta das 21h no Palco Ipê Amarelo (Foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
Cantora Anitta é a principal atração e deve se apresentar por volta das 21h no Palco Ipê Amarelo (Foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)

Alexandre de Paula – Correio Braziliense

Postado por Marcos Lima Mochila

 

 

 

Brasília está preparada para comemorar 59 anos. Neste domingo (21/4), quando a capital faz aniversário, a Esplanada dos Ministérios receberá diversos shows a partir das 10h. Sucesso da música pop atual, a cantora Anitta é a grande estrela da festa montada para comemorar a cidade. A estrutura para o evento está toda preparada. Neste sábado, apresentações de música religiosa abriram a programação.

O investimento para montar toda a estrutura do evento e bancar contratação de artistas chega a R$ 3 milhões. Do total, R$ 1 milhão provêm de recursos próprios da Secretaria de Cultura. O restante vem de aporte de entidades estatais e de emendas parlamentares. O cachê da cantora Anitta ficou a cargo do Banco de Brasília (BRB). O show custou R$ 315 mil, com passagem e hospedagem incluídas. No ano passado, o GDF investiu R$ 1,6 milhão. A festa, na ocasião, teve como destaques Xand Avião e Preta Gil.

Neste ano, a estrutura montada na Esplanada dos Ministérios conta com três palcos. No principal (chamado de Ipê Amarelo), tocarão as atrações de mais destaque como Anitta, o Bloco Eduardo e Mônica e os sertanejos Henrique e Ruan e Pedro Paulo e Matheus. Os outros dois palcos, Brasília e gastronômico, recebem, sobretudo, artistas da capital.

A intenção, com os dois palcos alternativos, é  manter espaço nobre e amplo para os nomes brasilienses, segundo o secretário de Cultura do DF, Adão Cândido. “Será uma comemoração marcada pela pluralidade e focada em valorizar a produção artística da capital, que pulsa cultura em todas as suas vertentes”, destaca Cândido. “É uma oportunidade para as pessoas virem e ocuparem o espaço público, aproveitarem com suas famílias e amigos”, complementa.

Dhi Ribeiro, Dona Cislene, Lupa Capitão do Cerrado e Distintos Filhos são algumas das atrações candangas. Criadora do movimento artístico Made in Brasília,  a cantora Daniela Firme se apresentará no palco principal e destaca a importância do convite e da participação de artistas da cidade no evento: “Para mim, é um reconhecimento de toda a luta e de todo o nosso trabalho”, avalia.

Segurança

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública do DF, oitocentos policiais militares trabalharão durante o evento. Além da tropa convencional, participarão policiais de unidades especializadas, como Rotam, Patamo, Bpcães e Cavalaria. A PMDF fez uma série de recomendações para o público curtir o aniversário de Brasília em segurança. A Polícia Civil contribuirá para a segurança do aniversário com reforço de efetivo na 5ª Delegacia de Polícia, da Delegacia da Criança e do Adolescente e na Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam).

Dois postos médicos e quatro UTIs serão disponibilizados para o público que for à Esplanada. O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e o Corpo de Bombeiros (CBMDF) ficarão responsáveis pelos atendimentos pré-hospitalares. Em caso de necessidade de encaminhamento, pacientes serão levados para o Hospital Regional da Asa Norte (HRAN) e Hospital de Base do DF.

Alterações no trânsito

O Departamento de Trânsito (Detran-DF) e a Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) controlarão o tráfego das 9h às 23h, no domingo, na região central de Brasília, onde ocorrerão os shows de aniversário. A partir das 9h, a Via S1 estará fechada e o fluxo será desviado para o Eixo Rodoviário Sul. Às 10h, o desvio chegará até a altura da L2 Norte para permitir o acesso aos estacionamentos dos Ministérios. Os ônibus com destino à Rodoviária do Plano Piloto acessarão apenas a alça leste para embarque e desembarque de passageiros. O DFTrans vai reforçar a frota de 50 ônibus para a Rodoviária do Plano Piloto e para a Esplanada do Ministérios.

Programação

Aniversário de 59 anos de Brasília

Domingo (21/4), a partir das 10h. Esplanada dos Ministérios.

Palco Ipê Amarelo

14h – Daniela Firme

16h – Surf Sessions convida PJ + Digão e Canisso Raimundos

18h – Intervalo DJ

19h – Projeto Identidade: Henrique e Ruan Pedro Paulo e Matheus

21h – Anitta

23h – Bloco Eduardo e Mônica – Convidados e participações: Marceleza – Maskavo / Scalene

Palco Brasília

10h – Dow Jones

11h – Sapekaí

12h – Juliana Marques

13h – Luciano Ibiapina

14h – Galo Cego

15h – O Bando

16h – Capitão do Cerrado

17h – Dhi Ribeiro

18h – Paraná

19h – Lupa

20h – Dona Cislene

22h30 – Aborto Elétrico

Barão e Mauá nos intervalos das bandas entre 13h e 18h

Palco Gastronômico

10h – Gustavo Trebien

11h30 – Diego Azevedo

13h – Allan Massay

14h30 – Diboresti

16h – Distintos Filhos

17h30 – Magoo

19h – RealSamba

Sem conclusão da rede de captação de águas pluviais e pavimentação em Vicente Pires, problemas devem persistir. Trechos prontos, como na Vila São José, estão se desfazendo pela demora

Trabalhos de construção interrompidos têm gerado mais transtornos no asfalto, que cede com a passagem de água e buracos que fazem os carros atolarem. (Foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
Trabalhos de construção interrompidos têm gerado mais transtornos no asfalto, que cede com a passagem de água e buracos que fazem os carros atolarem. (Foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)

Bruna Lima / Correio Braziliense

Postado por Marcos Lima Mochila

 

Quando chove, alaga e ainda há uma enxurrada de lama. Se faz sol, sobe a poeira. Esse é o cotidiano da Vila São José, em Vicente Pires. Mesmo com a rede de drenagem praticamente concluída e parte das ruas pavimentadas, moradores reclamam que a situação piorou. Na principal via que corta a região, o asfalto cede com a passagem da água, que chega com força das ruas de cima e inunda casas e comércios. Os buracos, tapados provisoriamente com terra vermelha, reaparecem com o passar da correnteza e dos carros. Enquanto isso, construções em outros trechos diretamente ligados à vila podem prolongar a continuidade dos problemas.

Moradora da área há 19 anos, a empresária e cozinheira Nair Dias, 66 anos, acredita que as obras trouxeram mais transtornos do que resultados. “O asfalto era grosso, parecia um tapete. Substituíram por esse, fininho, que não aguenta água”, diz.

Parte da correnteza e o que ela arrasta vai diretamente para as casas, que foram construídas em uma espécie de vale. O lote do chacareiro Osias Andrade, 59, serve como entrada para esse problema. “Toda a água que desce da rua vem para cá, por ser o lote mais baixo”, conta. Para tentar resolver o problema, Osias comprou manilhas que pretendia instalar na chácara, mas, com o início das obras do GDF, interrompeu o processo por acreditar que, com elas, a questão seria solucionada. “Por mais que, por enquanto, seja só transtorno, sei que o serviço não é fácil e está sendo bem-feito”.

A Secretaria de Obras e Infraestrutura do DF confirma o estágio avançado das intervenções na Vila São José, o que não se traduz em efetividade imediata do sistema, como observa o subsecretário de Acompanhamento e Fiscalização de Obras (Suaf), Marcelo Galimberti. “Mesmo que as instalações das manilhas estejam prontas, ainda não há funcionalidade, já que o sistema precisa estar interligado e isso requer a conclusão das construções de drenagem, pavimentação e abertura das bocas de lobo nas demais áreas”, explica. Ele explica, ainda, que a manta asfáltica aplicada é provisória e serve  para dar mais conforto à população.

Para resolver o problema das águas que vêm do Pistão Norte, em Taguatinga, entram na Vila São José e ganham força ao longo da Rua 8 de Vicente Pires, é preciso, primeiramente, concluir toda a obra ao longo da via, que tem mais de 4,6 quilômetros de extensão. Por causa da declividade da rua, que tem uma diferença de 125 metros — o equivalente a um prédio de 41 andares —, a força do acumulado de chuvas chega a atingir 60 metros por segundo. O canal da Rua 8 deverá se encontrar com o da Rua 3. A coleta das tubulações desse trecho vai ser lançada em uma das 22 bacias de contenção que estão sendo construídas na cidade. Com tudo pronto, a expectativa é de que a velocidade com que a água desce seja reduzida para dois metros por segundo.

Desistência

O governo espera entregar as obras da Rua 8 em outubro. No entanto, um entrave fez com que parte das obras parasse há mais de três meses. A construtora vencedora da licitação do lote 8, um dos quatro trechos que parcelam a Rua 8, rompeu o contrato com o GDF. A segunda colocada, a GAE Construtora, chegou a se instalar para assumir os trabalhos, mas, alegando falta de rentabilidade, também está passando o serviço adiante. A Secretaria de Obras tem de chamar, agora, a empresa que ficou em terceiro lugar. O trâmite deve demorar, no mínimo, um mês. Caso nenhuma das selecionadas queira concluir a obra, a alternativa é fazer uma nova licitação, o que pode levar mais de um ano de processo.

Enquanto isso, moradores da região arcam com falta de estrutura e custos para consertar veículos. É o que afirma a atendente Larissa Machado, 22. “Os carros ficam atolados”, reclama. Grandes buracos abertos para instalar as tubulações tomaram uma das faixas da pista, que é de mão dupla, por isso, os veículos precisam se revezar na travessia. Por falta de calçadas e rampas, quem também divide o espaço com os carros são as rodas do cadeirante Marcos Rabelo, 30. “São muitos buracos e nenhuma acessibilidade. Na hora de pedir um Uber, é outra complicação, porque muitos rejeitam ao saberem que a corrida sairá de Vicente Pires”, lamenta.

O motivo que leva à desistência por parte das empresas construtoras seria a existência de uma pedra encontrada no local onde deveriam passar as tubulações. Como o contrato firmado segue o regime de empreitada por preço unitário, ou seja, por serviço executado, interferências como essa não estão previstas na licitação —  já que deveriam ter sido detectadas pela análise geotécnica antes do início das obras. Nesse caso, a alternativa das empresas é solicitar um valor adicional ao contrato. Para o especialista na área Dickran Berberian, engenheiro geotécnico e professor da Universidade de Brasília (UnB), apesar da limitação, o problema pode ser facilmente contornado com sondagens feitas pelas próprias empresas. “Não há razão para paralisar, já que a cidade carece das melhorias. No entanto, a solicitação de um aditivo para solucionar o problema precisa ser rigorosamente fiscalizada”, pondera.

O subsecretário Marcelo Galimberti afirma que essa análise exige pelo menos três meses. “Há um esforço muito grande para dar celeridade ao processo, respeitando a legalidade. Mas é necessário que a população entenda que o que está sendo feito agora é o processo inverso. Vicente Pires nasce de cima para baixo, quando deveria ter sido o contrário”, diz Galimberti, se referindo à construção sem planejamento da cidade.

Entretanto, governador do DF disse que vai negociar ainda, em 2019, pagamento da terceira parcela, atrasada desde 2015, e o retroativo

Brasília(DF), 16/01/2019 Governador Ibaneis Rocha no térreo do Palacio do Planalto após reunião com o Ministro da Casa Civil Onyx Lorenzone.. Local: Palácio do Planalto. Foto: Igo Estrela/Metrópoles
Brasília(DF), 16/01/2019 Governador Ibaneis Rocha no térreo do Palacio do Planalto após reunião com o Ministro da Casa Civil Onyx Lorenzone.. Local: Palácio do Planalto. Foto: Igo Estrela/Metrópoles

Maria Eugênia

Postado por Marcos Lima Mochila

 

 

O governador Ibaneis Rocha (MDB) jogou um balde de água fria nas categorias de servidores do Governo do Distrito Federal (GDF) que o estão pressionando por aumento salarial. Em entrevista à Rede TV na madrugada desta quarta-feira (27/3), o emedebista foi incisivo: “Já deixei bem claro que não vou dar reajuste de salários a ninguém este ano. Não há essa possibilidade”.

Durante a campanha eleitoral, Ibaneis se comprometeu com diversas categorias a reajustar os salários. Agora, afirma que precisa primeiro economizar R$ 2 bilhões e aumentar a arrecadação no mesmo valor para equilibrar as contas. O que vai contra a pressão do funcionalismo público local.

“As categorias querem cada vez mais”, pontuou. Entretanto, afirmou que vai negociar ainda em 2019 o pagamento da terceira parcela do reajuste, atrasada desde 2015, e o retroativo: “Vamos fazer um escalonamento com todo esse passivo”.

De acordo com ele, a partir de 2020, vai sentar com os servidores e começar a fazer a reestruturação das carreiras, o que pode resultar em aumento salarial.

Governo do Distrito Federal diz que despesas da Novacap se devem principalmente à prestação de serviços à comunidade, como o SOS-DF, um programa emergencial para recuperar as cidades, que estavam com sérios problemas de infraestrutura

Tratores expostos no lançamento do SOS DF: programa visa fazer reparos emergenciais, como recapeamento asfáltico (Foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)
Tratores expostos no lançamento do SOS DF: programa visa fazer reparos emergenciais, como recapeamento asfáltico (Foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press)

Correio Braziliense

Postado por Marcos Lima Mochila

 

 

 

Dos R$ 8,2 milhões empenhados pelo GDF no primeiro trimestre de 2018 para o pagamento de passagens, diárias e gastos com locomoção, mais da metade (R$ 4,8 milhões) foram destinados a bancar fretes, locação de veículos e transportes de servidores para obras e projetos do governo, como o SOS DF. Os dados são do Portal da Transparência, que une sob o mesmo guarda-chuva tanto os valores despendidos para custear viagens quanto os destinados para a prestação de serviços.

Do valor total destinado a fretes, locação e transportes de servidores, apenas R$ 1,3 milhão foi efetivamente pago até agora. Isso porque os R$ 4,8 milhões se referem a valores empenhados, ou seja, podem ser previsão do que órgãos pretendem gastar com determinados setores ou se referir a contratos cuja efetivação dos serviços ainda está em andamento.

Órgão com maior valor na lista de despesas do tipo, de acordo com o Portal da Transparência, a Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap) é um dos casos em que os gastos foram destinados primordialmente para o pagamento de fretes, locação de veículos e transporte dos servidores.

Em resposta à reportagem do Correio, o Palácio do Buriti destacou “o estado de abandono de todas as cidades do Distrito Federal que o atual governo encontrou foi o principal responsável pelas despesas de R$ 8,2 milhões, devidamente registradas no Portal da Transparência do GDF e que foram expostas em matéria deste jornal, na edição de ontem”. O programa de recuperação de equipamentos públicos e de ações emergenciais – o SOS-DF — realizou mais de 42 mil intervenções em todo o DF nos três primeiros meses da atual gestão.

Para o secretário-chefe da Casa Civil, Eumar Novacki, os dados que constam da reportagem apresentam uma leitura superficial dos dados do Portal da Transparência. “A Novacap lidera o volume de gastos exatamente pelo trabalho emergencial que estamos fazendo, recuperando uma cidade que estava inteiramente abandonada”, afirma.

Recuperação

Mesmo com toda dificuldade financeira — o governo passado deixou um passivo que supera os R$ 8 bilhões, segundo o Palácio do Buriti —, o GDF entendeu que era necessária uma ação de recuperação imediata das cidades. “Quando assumimos a cidade estava mergulhada no caos. Havia áreas impróprias para que as famílias pudessem ter um mínimo de dignidade. Só de lixo e entulho recolhemos o equivalente a 15 mil caminhões cheios”, diz o secretário.

O presidente da Novacap, Daclimar Castro, afirma que os R$ 2.428.635,00 investidos nestes dois primeiros meses de governo podem ser aferidos nas planilhas de custo da empresa. Foram usados nas obras que estão sendo feitas em toda a cidade e foram fundamentais para que o Distrito Federal batesse o recorde de produção de massa asfáltica usada para recuperar pistas e para asfaltar trechos em praticamente todo o DF, afirma no do GDF.

Somente em janeiro, foram produzidas mais de 5 mil toneladas do produto nas usinas da Novacap e do DER. “A Novacap é o órgão executor de praticamente todas as ações do Governo do Distrito Federal. Em paralelo às atividades realizadas de forma rotineira, a Novacap tem participação em mais de 70% das mais de 42 mil intervenções já efetuadas pelo Programa SOS DF. Para atender todo o Distrito Federal, a companhia contratou, nos três primeiros meses de 2019, 60 equipamentos (caminhões e máquinas) para atendimento das necessidades mais urgentes da população”, afirma o presidente.

Segundo Daclimar Castro, os veículos ficam à disposição das administrações regionais para operações de limpeza, remoção de entulhos, podas de árvores, operação tapa-buraco, remoção de invasões, além de apoio a órgãos do GDF. “Os valores empenhados e executado dizem respeito exclusivamente a atividades realizadas no Distrito Federal, não havendo despesas de viagens”.

Locação

Os contratos de locação englobam mão de obra, manutenção corretiva e preventiva, e nos contratos da patrulha mecanizada, o combustível também é por conta da contratada. “A locação representa uma grande economia em manutenção, tributos trabalhistas e previdenciários e na própria disponibilização do equipamento, pois em caso de quebra, a contratada tem que substituir em 24h, o que é impossível com a frota própria”, afirma.

De acordo com o GDF, a Novacap dispõe de 118 veículos, 35 máquinas e equipamentos, e 18 carros leves, com uma idade média da frota de caminhões e máquinas superior a 20 anos de uso. Ainda assim, os veículos fazem os mais variados serviços. Desde a desobstrução de redes de águas pluviais, tapa-buracos, jardinagem, recuperação de estradas rurais, podas e cortes de árvores, recuperação de estruturas prediais, transportes de materiais diversos, suporte em ações da Agefis, Seops, Adasa e outros.

Estadias

Os números também revelam que foram gastos R$ 7.737,03 em uma viagem da secretária de Turismo, Vanessa Mendonça, a Portugal. Foi uma viagem de trabalho, ressalta Novacki, e que rendeu frutos à sociedade não apenas de Brasília, mas de todos os estados do Centro-Oeste, uma vez que os destinos do sistema stopover, que oferece uma estada maior ao turista, vai alcançar o Pantanal, o Jalapão, em Tocantins, e cidades históricas de Goiás, por exemplo.

“Em momento nenhum foi informado que o governador Ibaneis Rocha arcou com as próprias despesas e de seu pessoal de gabinete. Não houve qualquer custo para o erário, embora ele estivesse trabalhando pela economia do DF e da região”, reagiu o chefe da Casa Civil.

A secretária Vanessa Mendonça afirma que o acordo fechado com a empresa aérea TAP vai beneficiar muitos destinos próximos. “Queremos que os turistas de Brasília também visitem as belezas naturais de outras cidades próximas. Além das atrações arquitetônicas, cívicas, gastronômicas e ecológicas que oferecemos, a nossa capital está rodeada de lugares históricos e com belezas naturais que encantam os europeus que têm, por característica, viajar para vivenciar novas experiências e culturas”, afirmou, depois de se reunir com prefeitos de cidades vizinhas.

Eumar Novacki, secretário
Eumar Novacki, chefe da Casa Civil (DF)

Novacki destaca que não há espaço para desperdício no governo. “O exemplo vem do governador, que usa o próprio carro, paga o combustível e continua morando em sua casa, dispensando o aparato e as mordomias palacianas. Tudo é feito para ter mais eficiência, este é o espírito do governo nesses primeiros dias e que será mantido em todo o mandato”, afirma.

O chefe da Casa Civil ainda lembra que há uma redução de 30% no número de cargos comissionados, além de contratos que estão sendo revistos para otimizar os gastos e “evitar desperdícios e do esforço que estamos fazendo para incrementar a economia da cidade, trazendo novas empresas, ampliando a participação de outras e criando áreas de desenvolvimento”, acrescenta o secretário.

Eumar Novacki, secretário-chefe da Casa Civil DF

Resumo

Quantidade de intervenções efetuadas pelo Programa SOS DF: 42 mil

Número de equipamentos (caminhões e máquinas) locados pela Novacap para atendimentos urgentes: 60

IBANEIS SOS SAÚDE 1

Postado por Marcos Lima Mochila

 

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha, criticou a decisão de Sergio Moro de transferir Marcola para um presídio de segurança máxima de Brasília.

“Já pedi à procuradoria para preparar uma ação judicial, com base na lei de segurança nacional. Essa atitude do ministro Moro demonstra que ele não conhece nada de segurança, realmente”, afirmou neste sábado, durante visita ao evento “SOS DF Justiça”.

“Você não pode trazer um criminoso desse quilate, um criminoso que arrasta com ele todo crime organizado. E olha que nós estamos fazendo nossa parte. Vocês viram ontem pela manhã. Nós prendemos sete integrantes do PCC aqui no Distrito Federal”.

A segunda edição do evento, organizado pela ADPF-DF, será realizada no CICB, e discute as inovações tecnológicas no combate à criminalidade

ADPF - DF/Divulgação
ADPF – DF/Divulgação

Postado por Marcos Lima Mochila

 

 

A Capital Federal se prepara para receber mais uma edição do Simpósio Internacional de Segurança, promovido pela Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal, regional do Distrito Federal (ADPF-DF). O evento será realizado em 19 e 20 de março, no Centro Internacional de Convenções do Brasil, e terá como discussão principal “As inovações tecnológicas no combate à criminalidade”. Os interessados em participar devem se inscrever no www.sintsp.com.br. As inscrições são gratuitas para gestores e servidores públicos das áreas de segurança, tecnologia e inteligência.

Luciano Leiro, vice-presidente da ADPF e diretor regional da ADPF-DF: “tecnologia para otimizar a segurança e ajudar o Estado”

A programação é bastante variada e conta com diversos painéis sobre gestão de fronteiras, segurança pública, crimes cibernéticos, sistema penitenciário e Smart Cities. O encontro visa debater sobre as novas tecnologias aliadas à segurança pública, além de trazer uma feira de exposição de produtos e serviços sobre o tema.

No primeiro dia, o escritor, palestrante e psicólogo clínico Rossandro Klinjey promove um talk show com convidados sobre “Ética no Combate à corrupção”, a partir das 20h. O mediador será o delegado Luciano Leiro, Vice-Presidente da Associação Nacional de Delegados da Polícia Federal e Diretor Regional da Associação, no Distrito Federal. Segundo ele, o evento é uma oportunidade para que as boas práticas já implantadas na Segurança Pública possam ser acessíveis e que os gestores do país tenham o conhecimento delas.

ADPF - DF/Divulgação
ADPF – DF/Divulgação

“Entendemos que o Estado tem dificuldade e escassez de recursos humanos. Sem dúvida alguma é a tecnologia que vai nos ajudar a otimizar esse quadro e a chegar onde o Estado muitas vezes não consegue. Neste diapasão, a ADPF pode ser uma facilitadora de conhecimento entre o setor privado e o público. Por isso, o evento será importante para que os participantes conheçam os casos que deram certo no Brasil e no mundo”, garante Leiro.

Especialistas em segurança pública, empresários do setor e representantes de instituições policiais também estarão nos dias do evento. A expectativa é de que até 2 mil pessoas compareçam ao simpósio.

 

Programação:

19 de março:

8h: Credenciamento

9h: Abertura

10h: Palestra Inaugural

10h30: Cofffee Break

11h: Painel Segurança Pública I

– O uso da tecnologia na gestão de políticas públicas de enfrentamento ao feminicídio no DF com Alessandro Moretti, Delegado da PF e Secretário Executivo da SSP/DF

– Quanto suas informações estão protegidas? Espionagem X Investigação X Sabotagem com Milton Donixeti Heineke, CEO da Berkana

– Combatendo o crime com o uso das tecnologias de comunicação móvel de dados com Márcio Toscano, diretor da Autotrac

– United Technologies – a definir

– Mediador: Luciano Leiro, delegado da PF e Vice-Presidente da ADPF

12h30: Almoço

14h: Transformando a Segurança Pública com inteligência artificial focada em monitoramento, operação e gestão, com Kirk Arthur, Diretor Mundial da Microsoft para Segurança Pública e Inteligência e Ex-Supervisor Especial do Serviço Secreto Americano

14h50: Painel Sistema Penitenciário

– O uso da tecnologia da informação e comunicação para aumentar a segurança nos presídios com Edison Ambrosio, Diretor de Vendas de Defesa e Governo Federal da Motorola Solutions

– Transformação digital no sistema prisional, com o Coronel Alfredo Deak, Diretor Latam de Defesa & Inteligência da Microsoft

– Mediador: representante do Departamento Penitenciário Nacional – DEPEN

16h: Coffee Break / Feira de exposição

16h40: Painel Smart Cities 1

– Convergência e geolocalização de dados no vídeo monitoramento das cidades – Avigilon/HEX – a definir

– Smart Cities – conceito de ontem realidade de hoje – muito além da segurança – a definir – Axis

18h30: Feira de exposição

20h: Palestra “Ética no combate à corrupção” com Rossandro Klinjey

A 1a edição do simpósio organizado pela ADPF-DF foi realizado em 2018

20 de março:

8h: Credenciamento/ feira de exposição

9h: Painel Fronteiras

– Novas tecnologias na tríplice fronteira entre Brasil, Paraguai e Argentina, com Mozart Fuchs, Delegado da PF e Chefe da Delegacia de Foz do Iguaçu/PR

– Fiscalização inteligente: combate ao tráfico de drogas, armas e demais ilícitos nas fronteiras através da implementação de tecnologias de inspeção com Jonatas Maximilian Leite, Diretor Executivo da VMI

– Mediador: Rogério Galloro, delgado da PF e Assessor Especial da Presidência do Tribunal Superior Eleitoral e Delegado para as Américas no Comitê Executivo da Interpol

10h20: Coffee break/feira de exposição

11h: Painel Crime cibernético

– Projetos de combate aos crimes cibernéticos da PF: tentáculos e rapina, com Cassiana Saad de Carvalho, Delegada da PF e Chefe do serviço de repressão a crimes cibernéticos da PF

– Cyber Defense Preditivo – Avaliando o Ciberespaço em constante mudança com Longinus Vieira Timochenco, Diretor de Defesa Cibernética Latam da Stefanini e Diretor Operacional de Inteligência da ABIMEX-FIESP

– Os riscos globais da fusão do mundo real com o cibernético para o policiamento e a segurança com Michael O’Connell, VP e assessor executivo da Nec Corporation e Ex-Diretor Operacional de Suporte e Análise da Interpol

– Machine Learning, o uso da inteligência artificial contra o cibercrime com Leon Homar, executivo da Sophos

– Mediador – Cassiana Saad de Carvalho – Delegada de Policia Federal – Chefe do Serviço de Repressão a Crimes Cibernéticos da Policia Federal

12h30: Almoço

14h: Painel Segurança Pública 2

– Da defesa social à resposta beligerante: uso de tecnologia e estratégia no combate aos atentados do Ceará com André Costa, Delegado da PF e Secretário de Segurança Pública e Defesa Social da SSP/CE

– Inovações tecnológicas no combate à criminalidade contra as agências bancárias com Douglas Alexandre Azi Prehl Junior, Superintendente de Segurança do Banco Santander e Membro da Comissão de Segurança Bancária da Febraban

– Mediador: Edvandir Felix de Paiva, delegado de Polícia Federal, presidente da ADPF

15h20: Coffee Break

16h: Painel Smart Cities 2

– Soluções de segurança para cidades inteligente, com Bruno Lima, Coordenador de pré-vendas da Hikvision.

17h20: Painel Smart Cities 3

– Sistema de comunicação para missão crítica sobre a plataforma 4G privado, com

Ricardo Bovo , Diretor de LTE Privado LATAM da Huawei.

– Mediador: Luciano Leiro, delegado da Polícia Federal e Vice-Presidente da ADPF.

I Simpósio, em 2018 (ADPF - DF/Divulgação)
I Simpósio, em 2018 (ADPF – DF/Divulgação)

II Simpósio Internacional de Segurança

Data: 19 e 20 de março

Horário: a partir das 8h

Local: CICB – SCES Trecho 2, Conjunto 63, Lote 50 – Asa Sul

Informações e inscrições: www.sintsp.com.br

*Inscrições gratuitas para gestores e servidores públicos das áreas de segurança, tecnologia e inteligência.

Fechar