Posts de Revista Total

Enquete aponta polarização certa entre Lailton e MaryA quarta enquete do Portal Escada News para a prefeitura de Escada, aponta mais uma vez que a eleição para a prefeitura de Escada em 2020, será polarizada entre os pré-candidatos Lailton Nogueira (PSDB), e Mary Gouveia (PL). Com a participação de 3.052 leitores internautas, com duração de três dias de 04 a 06 de dezembro.A enquete aponta o que as últimas consultas onlines já vinham apontando, uma disputa polarizada entre dois grupos políticos, o clã Gouveia liderado pelo ex-prefeito Jandelson Gouveia (PSC), e o grupo de oposição formado pelo ex-vice-prefeito Lailton, que na última semana definiu o seu partido com a presença de várias lideranças políticas de Pernambuco.Quando a pergunta é feita de forma espontânea em quem o eleitor pretende votar para prefeito de Escada no ano que vem, os dados são os seguintes: Lailton lidera a intenção de voto com 40% das menções, seguido pela ex-deputada Mary que foi citada por 24% dos participantes, em terceiro com 10% vem o ex-prefeito Zé Alves (MDB), e os demais ficam com a seguinte porcentagem, Klaus Lima (sem partido) 4%, Jadson Caetano (cidadania), e Piedade Buarque (sem partido) com 1% das intenções de voto. Os eleitores que preferem outros nomes, pretendem votar nulo ou branco, e estão indecisos somam 20%.Já quando a pergunta apresenta os nomes dos pré-candidatos a diferença entre os dois principais concorrentes fica mais próxima mas ainda assim com uma vantagem de 11% para Lailton que aparece com 41% das intenções de voto, já Mary Gouveia sobe para 30% na preferência do eleitorado, Zé Alves também ganha alguns pontos percentuais chegando a 14% das intenções de voto, seguido por Klaus Lima com 10%, Jadson Caetano com 4%, e Piedade Buarque com 1%.Quando o quesito é rejeição a que lidera com larga vantagem, quando a pergunta é em quem você não votaria, é a ex-deputada Mary Gouveia (PL), que é rejeitada por 60% dos eleitores, liderando com vantagem, seguida pelo secretário Klaus Lima (sem partido) que aparece com 20%, Zé Alves (MDB) vem em seguida com 10%, Jadson Caetano (Cidadania) com 7%, Lailton (PSDB) tem 2% de rejeição, e a advogada Piedade Buarque é a que aparece com o menor índice 1%.No quesito apoio os dados são os seguintes, perguntado se votariam com o apoio do presidente Jair Bolsonaro (Aliança), Sim somam 34%, talvez 34%, e sim 32%. O ex-presidente Lula (PT) aparece como um bom cabo eleitoral pois 58% disseram que votariam em um candidato apoiado pelo petista, 24% talvez, e 18% não votaria. Quando perguntados sobre o apoio do atual governador Paulo Câmara (PSB), 41% não votariam, 33% reponderam quem sim, e 26% talvez. Já quando se trata do apoio do atual prefeito Lucrécio Gomes (PSB), 84% rejeitam o candidato que tiver seu apoio, 14% reponderam que talvez votariam, e 2% votariam no candidato que tiver seu apoio.

Não há favorito ou favorita para a eleição de 2020 na cidade do Recife. É isso o que revela a última pesquisa ipe realizada entre os dias 30 de novembro e 2 de dezembro de 2019. Os números apontam para uma disputa competitiva entre as principais forças políticas da cidade.

“O teste de cenários eleitorais deixa clara a competitividade da disputa. Nenhum dos nomes testados conseguiu chegar a 20% da preferência do eleitorado nos cenários de 1º turno. O percentual de eleitores afirmando preferir votar em branco, nulo, ou que estão indecisos é maior que a intenção de voto em qualquer candidata ou candidato”, explica Rodolfo Costa Pinto.

No momento a deputada Marília Arraes (PT) lidera a disputa, com 17% das intenções de voto no primeiro cenário.

Em seguida aparece o deputado João Campos, com 16% e o ex-ministro Mendonça Filho, com 15% das intenções de voto. Daniel Coelho (10%), Túlio Gadelha (9%), Felipe Carreras (3%) e André de Paula (1%) completam a lista de nomes testados.

No segundo cenário testado, com menos nomes, Marília segue na liderança, com 19%, seguida por João Campos, com 18% e Mendonça Filho com 17%. Daniel Coelho aparece na quarta colocação com 11% das intenções de voto. No segundo cenário o percentual de votos brancos e nulos chega a 26% e indecisos somam 10%.

“Esse quadro sugere uma disputa muito mais acirrada pois os nomes testados são relativamente bem conhecidos da população. Isso quer dizer que ao longo dos próximos meses e durante a campanha oficial não surgirão muitas novidades sobre os candidatos e candidatas na disputa”, explica o cientista político.

“É uma situação diferente de 2012 por exemplo, quando Geraldo Júlio saiu de uma das últimas colocações nas pesquisas para vencer a eleição no 1º turno. Ele era virtualmente desconhecido e foi apresentado ao eleitorado ao longo da campanha”.

O cientista político destaca ainda que, em 2020, também não teremos um impacto tão forte de “grandes eleitores” no cenário local, como foi o caso da atuação de Eduardo Campos para eleger Geraldo Júlio.

“A avaliação do trabalho de Geraldo é apenas mediana e a do governador Paulo Câmara é bastante negativa. A eleição será difícil mesmo para um nome como o de João Campos, com histórico familiar e posição central na atuação política do PSB”, arrisca Rodolfo Costa Pinto.

Segundo turno

De acordo com o cientista político, atualmente os números apontam que a eleição de 2020 será decidida no 2º turno. A pesquisa ipe testou quatro cenários de 2º turno na eleição para prefeito do Recife no ano que vem.

Assim como nos testes de 1º turno, Marília Arraes parece ser a candidata mais bem posicionada para um eventual 2º turno. Porém a possível candidata do PT ainda não conseguiu alcançar a marca simbólica dos 50% dos votos totais na segunda etapa.

No primeiro cenário de 2º turno testado Marília lidera com 49% das intenções de voto contra 31% de João Campos.

Já o segundo cenário mostra João Campos ganhando do ex-governador Mendonça Filho. João conseguiu 40% das intenções de voto, contra 36% de Mendonça. Nesse cenário, João aparece especialmente forte entra as pessoas com nível de instrução até o ensino médio, enquanto Mendonça aparece mas forte entre eleitores homens e com educação até o nível fundamental.

O terceiro cenário testado mais uma vez revelou a maior competitividade de Marília Arraes, que apareceu com 45% das intenções de voto, contra 32% de Mendonça Filho.

No quarto e último cenário de 2º turno testado, Marília Arraes aparece vencendo Daniel Coelho com 49% das intenções de voto, contra 28% do deputado federal do Cidadania.

Blog de Jamildo

Ligado ao público evangélico, com programas de rádio, tv, e com um trabalho de recuperação de dependentes químicos que tem crescido a cada dia em Vitória, o jovem Felipe Cézar tem se destacado como pré-candidato a vereador em Vitória de Santo Antão-PE. Filiado ao PP e apadrinhado dos deputados Pr. Cleiton Collins, e Eduardo da Fonte; Felipe tem se articulado e buscado parcerias com diversas lideranças, entre elas, o ex-deputado Henrique Queiroz, que encabeçou a chapa do PP colocando o seu filho e atual secretario de indústria em Vitória, Carlos Henrique Queiroz, como presidente da sigla no município.
Com o apoio do partido, das igrejas, e com o trabalho de recuperação desenvolvido pelo mesmo na cidade, Felipe poderá ser uma das grandes surpresas em 2020, uma vez que na sua primeira eleição, com muito menos, ficou como segundo suplente na coligação do atual prefeito Aglailson Júnior.

O prefeito Cleomatson Vasconcelos(PMN) está realizando uma gestão competente e que tem intensa repercussão entre a população do município de Santa Filomena e da Região do Araripe, onde também preside o CISAPE (Consórcio Intermunicipal do Sertão do Araripe Pernambucano). A organização da gestão mantendo a folha de pagamento dos servidores rigorosamente em dias, melhoria nos atendimentos de saúde com casas de apoio em três cidades(Ouricuri, Petrolina e Recife), o destaque na educação que está entre as 10 melhores do Estado, a preocupação com o agricultor com a construção e reforma de barragens, perfuração de poços e compra da merenda escolar aos produtores e criadores locais e o grande número de obras de grande relevância garantem a reeleição do gestor, no próximo pleito de 2020.
A equipe da Revista TOTAL, sob o comando de Marcelo Mesquita, realizou estudo técnico e confirmou que Cleomatson Vasconcelos tem sua reeleição garantida para a Prefeitura Municipal de Santa Filomena.
Cleomatson, que é filho do ex-prefeito Geni Lemos, grande liderança política da região, começou sua carreira política como vereador e se destacou por ter trabalhado intensamente pela emancipação política de Santa Filomena, à época, distrito de Ouricuri. Depois de três mandatos no legislativo, elegeu-se prefeito.
Sua gestão é exemplo por promover o equilíbrio financeiro da Prefeitura Municipal e conseguir manter rigorosamente em dia, o pagamento dos servidores públicos e dos fornecedores. Reformou a frota, adquirindo 15 veículos, entre máquinas e ambulâncias.
Na Saúde, ainda contratou médicos especializados para atender a população, além de construir o saneamento básico no centro da cidade, um desejo antigo dos Filomenenses.
Para dar melhores condições de funcionamento e oferecer um ensino de qualidade, reformou as escolas, além de ter organizado o fornecimento da merenda escolar que é totalmente adquirida no comércio local. Essa é uma forma de melhorar a qualidade e garantir renda e trabalho no município. Conseguiu através de entendimento com o governador Paulo Câmara (PSB), a retomada da construção da Escola de Referência Raimundo de Castro Ferreira, que será inaugurada em breve.
Visando reduzir o angustiante problema de falta dágua, construiu e reformou as quatro principais barragens de Santa Filomena, promoveu a limpeza, ampliação e construção de barreiros e barragens em pontos estratégicos, perfurou poços artesianos e manteve o programa de distribuição de água através de carros pipa. Enfim, uma verdadeira mudança na forma de administrar que vem fazendo a diferença no Município de Santa Filomena-PE.

A Prefeitura da Vitória de Santo Antão, através da Secretaria Municipal de Saúde promove na próxima segunda-feira, dia 09 de dezembro, uma ação de saúde em alusão ao Dia do Fonoaudiólogo. O evento será realizado das 9h às 15h, na Clínica de Fisioterapia e Fonoaudiólogo “Dr. Evandro Couceiro” na Praça Dom Luiz de Brito – Matriz.

Serão ofertados gratuitamente a toda população diversos atendimentos, como a práticas integrativas, orientações fisioterapêuticas, aferição de pressão arterial e de glicemia, além de palestras.

Serviço:

Ação de Saúde (DIA DO FONOAUDIÓLOGO)
Segunda-feira, 09 de Dezembro
Local: Praça Dom Luiz de Brito
Horário: 9h às 15

Estudantes vivenciaram o dia a dia dos parlamentares em Brasília durante cinco dias

A participação de estudantes pernambucanos no Estágio-Visita de Curta Duração da Câmara dos Deputados, em Brasília, promovido pelo deputado federal Fernando Monteiro (PP-PE) foi sucesso absoluto. Os estudantes de Direito Jadson Danilo, de Belém do São Francisco, e Gabriela Alves, de Primavera, participaram do “Luz, Câmara, Ação”, iniciativa do parlamentar. O objetivo foi fazer uma seleção democrática, através das redes sociais, onde os internautas escolheram os vídeos elaborados pelos participantes que melhor mostrassem o potencial turístico e vocação econômica de suas cidades.

O representante de Belém do São Francisco, que teve o segundo vídeo com o maior número de “likes”, está vivenciando a experiência em Brasília até esta sexta-feira (06). Aluno do 9º período do curso de Direito na Facesf, ele avalia o programa como uma vivência enriquecedora e extremamente diferente. “Conhecer a rotina dos deputados, aprender sobre o processo legislativo e acompanhar sessões no plenário em um momento repleto de reformas e mudanças polêmicas me mostrou como a rotina da Câmara é corrida. Pretendo compartilhar tudo o que aprendi com a minha comunidade. Quero esclarecer os pontos que não são mostrados na mídia”, revela.

A estudante de Primavera, que obteve o maior número de votos dos internautas, esteve na capital federal durante cinco dias no final de novembro, também conhecendo de perto o dia a dia na Câmara, acompanhando sessões do Plenário, reuniões das comissões e um pouco da rotina do gabinete do deputado pernambucano. “Foi uma experiência que vou levar para toda a minha vida, no campo pessoal e profissional. Tive a oportunidade de ver como as coisas realmente funcionam, conheci pessoas novas, de outros estados. Cada momento foi único”, avalia Gabriela Alves, que cursa o segundo período de Direito do campus de Santo Agostinho da Uninassau.

Fernando Monteiro comemora a oportunidade de dividir experiências com os estudantes, que levarão para suas cidades a bagagem do conhecimento adquirido nos dias de aprendizado. Segundo o deputado, “pensar no futuro é apostar no presente. Levar para nossos jovens a vivência da democracia foi uma oportunidade especial e necessária”. Os selecionados tiveram hospedagem e alimentação pagas pela Câmara dos Deputados e passagens custeadas pelo parlamentar.

O repasse adicional de 1% em dezembro do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) – no valor total de R$ 4,5 bilhões – será creditado às prefeituras na segunda-feira, 9 de dezembro, até as 18 horas. Na terça, 10, ocorre o repasse do primeiro decêndio do mês. A quantia extra é fruto de conquista da Confederação Nacional de Municípios (CNM) em 2007 por meio da Emenda Constitucional 55.

Os gestores podem conferir o valor que será creditado ao Município na nota técnica da CNM sobre o 1% de dezembro. As informações foram agrupadas por Estados e coeficientes, as tabelas têm os valores brutos do repasse e com o desconto do Pasep.

Tal adicional é referente a 1% do valor da arrecadação do Imposto sobre Produto Industrializado (IPI) e do Imposto de Renda (IR) contabilizado de dezembro do ano passado até o fim de novembro de 2019. Com base em dados do relatório de avaliação fiscal do Ministério da Economia, a Confederação estimou e divulgou o montante previsto em R$ 4,448 bilhões – valor apenas 0,25% abaixo do valor a ser repassado.

O adicional de 1% de dezembro é 8,36% maior do que o repasse de 2018, que somou R$ 4,152 bilhões. Nos últimos 13 anos, ou seja, de 2007 a 2019, os cofres municipais receberam R$ 38,844 bilhões relacionados a repasses extras – consequência de luta constante da CNM em prol dos Municípios. É importante destacar que a quantia ajuda os gestores a pagarem o 13º salário e as folhas de pagamento.

Todos os anos, nos meses de julho e dezembro, os Municípios recebem 1% da arrecadação do IPI e IR referente aos 12 meses anteriores ao mês do repasse. O FPM é composto de 22,5% da arrecadação desses tributos – repassados a cada decêndio e distribuídos de forma proporcional de acordo com tabela de faixas populacionais, os chamados coeficientes.

Cabe salientar ainda que, de acordo com a redação da Emenda Constitucional 55/2007, ao 1% adicional do FPM não incide retenção do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). No entanto, por se tratar de uma transferência constitucional, os valores devem incorporar à Receita Corrente Líquida (RCL) do Município e, consequentemente, ser aplicados em ações de Manutenção e Desenvolvimento de Ensino (MDE).

Da Agência CNM de Notícias
Imagem: Arte/CNM


Por Marcio Maia
A Prefeitura Municipal, os comerciantes, escolas municipais e a população de um modo geral do Município de Garanhuns estão realizando espetáculos que estão deixando todos entusiasmados e admirados com a beleza, a criatividade e a competência da produção da Magia do Natal, naquela cidade. As Avenidas Santo Antônio e Rui Barbosa e a chamada Praça do Relógio estão belíssimas, com uma decoração e iluminação de altíssima qualidade.
As apresentações artísticas, começando com o canto da Ave Maria pela cantora Andrea Amorim, que todos emocionados. O desfile do Papai Noel e seus centenas de seguidores em carros alegóricos também é muito bonito e deixa encantados adultos e crianças.
O único ponto fraco e que me deixou revoltado foi a postura dos responsáveis por dois prédios onde estão instalados estabelecimentos de duas grandes empresas nacionais, o Banco Itaú e o Magazine Luíza. Ambos estão na Avenida Santo Antônio, o ponto principal dos festejos natalinos. No entanto, destoam totalmente das feéricas iluminações dos prédios da Prefeitura, da Ferreira Costa e de muitas lojas e restaurantes.
É absolutamente incompreensível que os responsáveis por estes dois estabelecimentos não tenham a sensibilidade de perceber a relevância da Magia do Natal para a economia e para a vida da cidade de Garanhuns. Não podemos entender que os gerentes das duas filiais não tenham conseguido recursos para instalar uma decoração adequada para o importante acontecimento religioso, cultural e econômico para aquela cidade.
A sorte desses pseudos responsáveis é de que os brasileiros não têm a prática de protestos dos americanos, por exemplo. Caso isso ocorresse, com toda certeza, há vários dias os garanhunenses estariam promovendo movimentos de protestos nas calçadas daqueles estabelecimentos.
É lamentável constatar que os donos e responsáveis pela rede de lojas e de bancos estão interessados simplesmente em ganhar o dinheiro dos consumidores daquela região, sem qualquer compromisso com o envolvimento com a vida das comunidades.
Demonstraram enorme insensibilidade ganância.


Prefeitos de Municípios com menos de cinco mil habitantes e representantes das entidades estaduais lotaram o auditório Petrônio Portela, do Senado Federal, na manhã desta terça-feira, 3 de dezembro. Aos mais de 800 participantes da Mobilização Municipalista contra a extinção de Municípios, o presidente da Confederação Nacional de Municípios (CNM), Glademir Aroldi, falou sobre os pleitos do movimento que motivaram a convocação.

Ele também aproveitou para destacar estudo divulgado pela entidade com dados inéditos dos efeitos da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 188/2019, no que diz respeito à extinção de Municípios. “Serão 1.820 Municípios impactados, que têm 33 milhões de habitantes. A arrecadação de FPM [Fundo de Participação dos Municípios] nesses locais, atualmente, é de R$ 25 bilhões por ano. Se houver fusão, eles vão ficar com arrecadação de apenas R$ 18 bilhões e não terão condição de continuar prestando os mesmos serviços”, lamentou.

Segundo Aroldi, os argumentos devem ser apresentados e amplamente discutidos não só no Parlamento, como também com a sociedade civil e o governo federal. “O estudo que fizemos e estamos entregando aos senadores hoje mostra que o gasto com estrutura administrativa, cargo no Executivo, secretários, servidores, Câmara de Vereadores, é de R$ 80 bilhões. E só 5% desse valor vai para os Municípios que correm risco de extinção”, comparou.

Ag. CNMCritérios
A PEC 188/2019 propõe a extinção dos Municípios de até cinco mil habitantes que não atingirem, em 2023, o limite de 10% dos impostos municipais sobre sua receita total – critério fiscal questionado pelo presidente da CNM. “Eles chamam equivocadamente de receita própria. Tratar como receita própria apenas ITBI [Impostos de Transmissão de Bens Imóveis], IPTU [Imposto Predial e Territorial Urbano] e ISS [Imposto Sobre Serviços], que aliás está concentrado em alguns Municípios do país, é um erro”.

Como ele explicou, o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) e o Imposto de Renda (IR), considerados federais, “não acontecem na União, acontecem em cada Município do Brasil”. “É lá que as empresas industrializam o produto, geram emprego, renda e possibilitam o recolhimento dos impostos. Tanto pessoa jurídica quanto física”, completou. Mesmo entendimento vale para o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), arrecadado pelo Estado, mas distribuído aos Entes municipais por cota parte – seguindo modelo federativo instituído pela Constituição.

Rufino Ag CNMPara finalizar a apresentação da PEC, Aroldi lembrou da história e do potencial dessas localidades. “Tem Municípios que foram criados há cem, 70, 40 anos. Se voltarmos para distrito, o patrimônio da população vai diminuir. Sem contar o prejuízo de investimentos de médio e pequeno porte que já está acontecendo. Empresário e investidor estão aguardando decisão se a cidade é extinta ou não para investir”, alertou.

Pleitos Antes de encerrar sua fala, ao lado de membros do Conselho Político e da diretoria da entidade, além de parlamentares, o presidente da Confederação lembrou os projetos que podem avançar até o recesso legislativo. “Com o Senado, vamos trabalhar especialmente as duas matérias que aguardam votação, licitações e transferências direta de recursos de emendas parlamentares”, disse, referindo-se ao Projeto de Lei (PL) 1.292/1995 e apensados e à PEC 48/2019.

Sobre a articulação política na Câmara, ele comemorou a aprovação do Projeto de Lei Complementar (PLP) 461/2017, que possibilita a redistribuição do ISS, no plenário da Câmara na noite desta segunda-feira, 2 de dezembro. Mas lembrou de outras duas matérias pendentes, a PEC 391/2017, do 1% do FPM para setembro, e a inclusão de Municípios na Reforma da Previdência, prevista na PEC 133/2019.

Por: Amanda Maia e Livia Villela
Fotos: Rufino/Ag. CNM
Da Agência CNM de Notícias

03122019 presidente APM 1A programação da Mobilização Municipalista contra dispositivo da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 188/2019, que prevê, dentre outros pontos, a extinção de Municípios foi retomada na tarde desta terça-feira, 3 de dezembro, com visitas a parlamentares. Presidentes de entidades estaduais manifestaram a importância da manutenção das cidades que seriam incorporadas a outros entes vizinhos se a proposta for aprovada no Congresso Nacional.

Os presidentes das entidades estaduais entregaram aos senadores o estudo da Confederação Nacional de Municípios (CNM) que mostra graves consequências com a possível extinção dos Municípios. De acordo com o levantamento, a extinção traria perdas de R$ 7 bilhões anuais na arrecadação de 1.820 localidades envolvidas, além de impactos sociais. Outras demandas municipais também foram tratadas na Câmara dos Deputados. Acesse aqui a íntegra do estudo da CNM.

Por: Allan Oliveira

Da Agência CNM de Notícias

Fechar