Posts de Revista Total

IMG-20181206-WA0087

Em visita a cidade de Macapá, Antonio Souza conheceu Naira Carolina, uma estudante de medicina diagnosticada com um caso grave de leucemia. O empreendedor social, então, se comprometeu em auxiliar e contribuir para custear o tratamento da jovem. Além de usar todos os meios de comunicação, principalmente as redes sociais, para divulgar as campanhas de arrecadação de fundos de iniciativa da família e amigos.

“Naira é uma jovem forte e esperançosa, que luta todos os dias contra o descrédito dos médicos e de muitas pessoas. Essa fé fora do comum trará muitas vitórias e resultados positivos. E não vamos medir esforços para ajudá-la”, destacou Antonio.

Naira e sua família também terão à disposição auxílio jurídico por meio da Dra. Julia Queiroz e outros advogados do Grupo Ferreira Souza. O trabalho em equipe será desenvolvido para tentar garantir o tratamento dela pelo Estado, pois trata-se de um direito constitucional. De acordo com a Lei Federal nº 12.732/12, institui-se o direito de pacientes com câncer realizarem o tratamento completo pelo SUS (Sistema Único de Saúde) e de iniciarem o tratamento em, no máximo, 60 dias após o diagnóstico.

HOSPITAIS A2

Por Márcio Maia

 

Os hospitais da Restauração, Correia Picanço e Centro Integrado de Saúde Amaury de Medeiros (CISAM), no Recife; Miguel Arraes, em Paulista e Dom Hélder Câmara, no Cabo de Santo Agostinho, vão receber investimentos do SUS, através do Projeto de Reestruturação de Hospitais Públicos (PRHP) do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (PROADI/SUS).

Três representantes do Hospital Alemão Oswaldo Cruz (HAOC), de São Paulo, que mantém a parceria com o Ministério da Saúde, começaram a traçar um diagnóstico da Hospsital Miguel Arraes. O HMA foi um dos cinco hospitais escolhidos em Pernambuco para participar do projeto, que existe há 9 anos e vem beneficiando mais de 20 instituições públicas em todo o país com orientações e capacitação para melhorias de gestão  e, consequentemente, da qualidade no atendimento ao paciente.

O projeto tem duração de dois anos, com acompanhamento presencial e à distância, realização de cursos e incentivo à criação de comissões internas para que o serviço siga os protocolos de atendimento aos pacientes semelhantes aos utilizados em hospitais de referência no Brasil. A apresentação do RHP aconteceu no auditório e reuniu profissionais de vários setores do HMA.

HOSPITAIS A1

O diretor médico do Hospital Miguel Arraes, Petrus Andrade Lima, destacou a importância do envolvimento nesse projeto. Segundo ele, o HMA foi selecionado pela excelência dos serviços prestados e tem as condições ideais para melhorar processos e indicadores. “A partir do momento que reduzimos custos e otimizamos métodos, temos a capacidade de nos destacar e sermos beneficiados por projetos dessa natureza”.

A farmacêutica Tatiana Francelino faz parte da comissão do HAOC e ficará responsável pelo projeto na unidade pelos próximos dois anos. Ela explicou como funciona o Diagnóstico Situacional de Hospitais e como cada um pode colaborar para o sucesso do projeto. “O objetivo é a segurança do paciente. Estaremos com vocês até o ano de 2020 fazendo avaliações e analisando os resultados. Depois disso, o hospital terá condições de caminhar sozinho, evoluindo a cada ano”.

Após a apresentação sobre os serviços prestados no HMA, a comissão do Hospital Alemão Oswaldo Cruz se dividiu para fazer a primeira avaliação dos diversos setores da unidade hospitalar.

 

Homenagem – Cerimônia, proposta pelo presidente da Alepe, Eriberto Medeiros, contou com a presença de várias autoridades, como o governador Paulo Câmara, além de familiares, amigos e correligionários 
Homenagem – Cerimônia, proposta pelo presidente da Alepe, Eriberto Medeiros, contou com a presença de várias autoridades, como o governador Paulo Câmara, além de familiares, amigos e correligionários 

 

 

Ao final do décimo mandato consecutivo na Assembleia Legislativa, o deputado Henrique Queiroz (PR) foi homenageado, em Reunião Solene nesta quarta (5), pelos 40 anos de atuação na Alepe. A cerimônia ocorreu no Plenário Governador Eduardo Campos e contou com a presença de várias autoridades, como o governador Paulo Câmara, além de familiares, amigos e correligionários.  “Trata-se de um homem de verdadeiro espírito público, democrata e defensor dos interesses maiores de Pernambuco”, disse o presidente da Casa de Joaquim Nabuco, deputado Eriberto Medeiros (PP), que propôs a iniciativa.

Medeiros fez um relato sobre a trajetória de Queiroz, natural de Limoeiro (Agreste Setentrional), mas que sempre teve estreita ligação com o município de Vitória de Santo Antão (Mata Sul), onde foi vereador por dois anos antes de conquistar uma cadeira na Assembleia em 1978. O deputado foi membro efetivo do grupo que elaborou a Constituição do Estado de Pernambuco, em 1989, e presidente das Comissões Permanentes de Meio Ambiente, Educação e Cultura, Negócios Municipais e Redação Final. Assumiu, ainda, importantes cargos no Poder Legislativo, como os de vice-presidente, 3º e 4º secretários, além ter sido vice-líder do Governo Jarbas Vasconcelos.

“Nosso homenageado é autor de mais de cem leis estaduais, em diversas áreas, como cidadania, saúde e meio ambiente. Além disso, sempre marcou posição em prol da educação pública de qualidade. Por sua iniciativa, foi realizado o 1º Seminário de Educação desta Casa”, destacou Eriberto Medeiros. O presidente da Alepe também elencou outros feitos que tiveram a participação de Queiroz, a exemplo da desativação de lixões no Interior; eletrificação rural do Vale do Catimbau (região entre o Agreste e o Sertão do Estado); construção de obras de infraestrutura, como pontes e estradas; e inauguração do Polo Industrial de Vitória de Santo Antão.

“Nesta solenidade, no entanto, gostaria de deixar registrada uma outra grande virtude de Henrique Queiroz: a sua humildade, marcada por uma enorme disposição em sempre aprender mais. Esse, certamente, é um dos maiores traços de sua personalidade e fato que o torna tão admirado por todos os colegas de mandato, funcionários e colaboradores que tiveram a felicidade de usufruir de sua convivência nesta Casa legislativa”, completou Medeiros, que entregou uma placa comemorativa ao homenageado.

HENRIQUE QUEIROZ 40 1

Durante a cerimônia, que lotou o Plenário, também discursaram os líderes da Oposição, Sílvio Costa Filho (PRB), e do Governo, Isaltino Nascimento (PSB). “O Parlamento pernambucano tem muito apreço por Henrique Queiroz, que sempre fez política com seriedade e respeito às pessoas. Vossa Excelência emprestou sua vida à política”, afirmou Costa Filho, acrescentando ser um privilégio poder participar da homenagem.

HENRIQUE QUEIROZ 40 3“São dez mandatos consecutivos, 40 anos dedicados ao Legislativo, uma prova de que o povo acredita no seu trabalho”, observou Nascimento, enfatizando que Queiroz é o deputado com mais mandatos na Alepe. “Ele entra para a história como um dos mais importantes deste Parlamento.”

A servidora Cynthia Barreto, superintendente de Preservação do Patrimônio Histórico do Legislativo, falou em nome dos funcionários: “Esta é uma justa e afetuosa homenagem, um profundo reconhecimento por parte dos que tiveram a satisfação e a oportunidade de conviver com Henrique Queiroz”. Já a servidora Graça Vasconcelos, lotada na Secretaria Geral da Mesa Diretora, entregou ao homenageado uma compilação do trabalho desenvolvido por ele em 40 anos na Assembleia.

HENRIQUE QUEIROZ 40Comenda – O deputado também recebeu do governador Paulo Câmara a Medalha da Ordem do Mérito dos Guararapes, maior comenda do Poder Executivo de Pernambuco. Ao iniciar seu discurso na tribuna, enfatizou: “Dever cumprido, felicidade e esperança. Essas são as palavras que expressam meu estado de ânimo neste momento. Quando assumi meu primeiro mandato, há 40 anos, elegi três metas prioritárias: trabalhar para o povo, trabalhar pelo povo e trabalhar pelo desenvolvimento de Pernambuco”.

Formado em Direito, Queiroz falou sobre sua trajetória política, o trabalho como parlamentar e lembrou a atuação de vários governadores do Estado. “Fiz a escolha certa: fazer política, pois só ela consegue reunir dois pilares fundamentais para qualquer civilização, conhecer as necessidades de um povo e ter o poder de provê-las”, destacou, pontuando que um bom político trabalha pela coletividade.HENRIQUE QUEIROZ 40 8

“Não tenho outra palavra, a não ser dizer aqui para todos: gratidão!” O deputado também agradeceu aos demais parlamentares, aos funcionários da Alepe e à família, em especial, à esposa Cristina. “Hoje, humildemente, na frente de todos e no momento em que fecho este ciclo em minha vida, peço desculpas pela minha ausência.”

Henrique Queiroz se candidatou a deputado federal no último pleito, mas não se elegeu. O filho dele, Henrique Queiroz Filho, foi eleito deputado estadual para a próxima legislatura (2019-2022). A Reunião Solene também teve a participação do Coral Vozes de Pernambuco, do cordelista Luciano Neves e do cantor Ed Carlos.

HENRIQUE QUEIROZ 40 7

Fotos: Giovanni Costa

 

PRESIDENTE DO HOSPITAL PORTUGUÊS

 

 

DR. ALBERTO FERREIRA COSTANa manhã desta quarta-feira (05/12), o presidente da Revista Total, empresário Marcelo Mesquita, realizou visita de cortesia ao Dr. Alberto Ferreira da Costa, provedor do Real Hospital Português de Beneficência em Pernambuco.

O motivo da visita foi para agradecer a parceria da conceituada instituição com os veículos de comunicação do Grupo Total.

Marcelo Mesquita nutre uma grande amizade pelo Dr. Alberto, o qual jamais se negou a atender as reivindicações da revista, além de ser um grande parceiro também na aquisição de espaços de publicidade.

Breve história do RHP

O Real Hospital Português de Beneficência, localizado no bairro da Ilha do Leite no Recife, é o maior complexo hospitalar do Norte-Nordeste do Brasil, com uma área construída de 130.855 m² onde trabalham cerca de cinco mil funcionários.

Possui 804 leitos, quatro laboratórios e 69 clínicas especializadas. Existe também uma unidade avançada do hospital no bairro de Boa Viagem.

O Hospital Português, como é conhecido, é dirigido e administrado por uma Junta Administrativa, formada por membros da Associação RHP. Os integrantes desta Junta, chamados de “mordomos”, elegem, a cada biênio, o Provedor, líder que assume o poder decisório dentro do Hospital e norteia os rumos que o mesmo deve tomar. Atualmente, ele é comandado pelo Provedor Alberto Ferreira da Costa.

O referido hospital entrou em funcionamento, com a denominação de Hospital Português de Beneficência Provisório, no dia 16 de REAL HOSPITAL PORTUGUÊSsetembro, data de grande gala para Portugal, na qual se festeja a subida ao trono de D. Pedro V, filho da brasileira D. Maria II.

Foi o primeiro centro hospitalar de uma série que seria denominada como Beneficência Portuguesa e que se espalharam por diversas cidades do Brasil para atender sobretudo os imigrantes portugueses.

Em 2015, o Real Hospital Português recebeu a certificação Accreditation Standards for Hospitals da Joint Commission International.

BOLSO EDUCAÇÃO

Estadão Conteúdo

 

O ministro extraordinário da transição, Onyx Lorenzoni, informou nesta segunda-feira, 3, que o presidente eleito Jair Bolsonaro terá uma assessoria especial de comunicação quando assumir o cargo.

A assessoria especial será um órgão subordinado à Presidência da República e independente da atual Secretaria Especial de Comunicação (Secom). Entre as atribuições, estará a gestão das redes sociais de Bolsonaro, além de atendimento à imprensa sobre assuntos relacionados diretamente ao presidente eleito.

A Secom tem sido uma das áreas de disputadas no novo governo, chegando a provocar discórdia entre o vereador no Rio de Janeiro Carlos Bolsonaro, um dos filhos do presidente eleito e que coordenou a campanha nas mídias sociais, e o futuro ministro Gustavo Bebianno.

Por causa das disputas, Carlos deixou Brasília há alguns dias anunciando que estava se afastando da sua atuação neste setor. Apesar das polêmicas, Bolsonaro ainda quer convencer o filho, de alguma forma, mesmo que no Rio de Janeiro, a continuar ajudando no comando das postagens das redes sociais. Por isso, o governo quer reduzir o tamanho da Secom e focar os trabalhos na área digital.

A atual Secom continuará sob o comando da Secretaria-Geral da Presidência, que será comandada por Bebianno, mas tratará apenas dos assuntos de governo.

Na semana passada, o presidente eleito disse que o general da reserva Floriano Peixoto Vieira Neto poderá ir para a Secom. Hoje, Onyx Lorenzoni não deixou claro qual será a função de Floriano, mas lembrou que o general já é da equipe de transição e lida com a área de comunicação. A ideia é que o general possa cuidar dos contratos de publicidade do governo, área que gera preocupação entre a equipe presidencial.

Segundo Onyx, ainda não está definido quem será o porta-voz de Bolsonaro. A senadora Ana Amélia (PP-RS) é cotada para o cargo.

IMG-20181204-WA0150

Estamos intensificando os trabalhos de recuperação e melhorias das estradas da zona rural vitoriense, como também a manutenção da iluminação pública e a podação de árvores das comunidades rurais. Nesta semana, estivemos no Sítio Pacas, acompanhando a revitalização de toda estrada. Nosso objetivo é atender todas as comunidades com estradas de qualidade para facilitar o transporte da população e da produção agrícola.

IMG-20181204-WA0147IMG-20181204-WA0151IMG-20181204-WA0149IMG-20181204-WA0152IMG-20181204-WA0148

20181203104958473476e-1
O Arquivo Público Estadual Jordão Emerenciano está comemorando 73 anos de fundação com uma programação bastante festiva. As festividades começam logo de manhã, na sede da entidade na Rua do Imperador, 371, no centro do Recife, com a abertura da exposição “Acervos de Obras Raras da Biblioteca do Arquivo Público”. Em seguida, acontecer´ uma apresentação do Recicoral, com um repertório de frevos de bloco e canções natalinas.

Para Félix Filho, diretor do Arquivo Público, a comemoração festiva é uma forma de atrair para a entidade, estudantes e pesquisadores interessados em conhecer detalhes da história de Pernambuco. “Queremos tornar o Arquivo Público um local de encontro de intelectuais jovens e adultos”.

A biblioteca do Arquivo Público foi criada no ano de 1975 e tem um acervo diversificado, com mais de 6 mil obras, de livros a periódicos raros, que remetem à história de Pernambuco, seus aspectos sociais, políticos e culturais. Uma das obras mais antigas e valiosas é uma edição da História da Navegação do Brasil, escrita no ano de 1586, por Jean de Léry. Também são destaques, os diversos exemplares de uma coleção de cordéis escritos no século XIX.

Grande parte deste rico acervo estará exposto ao público até o próximo dia 21.

O Recicoral, que irá se apresentar na comemoração do aniversário, nasceu durante as aulas de técnica vocal ministradas no Paço do Frevo, no Recife Antigo. Ele é formado por integrantes de blocos líricos da Região Metropolitana e é regido pelo maestro Júlio César Soares.

O Arquivo Público Estadual foi criado pelo Decreto-Lei n° 1.265, assinado no dia 4 de dezembro de 1945, pelo interventor federal José Neves Filho. Inicialmente, funcionou nas dependências do Palácio do Campo das Princesas, sendo transferido para a sede atual na Rua do Imperador, no prédio onde antes era ocupado pela Biblioteca Pública. Em 1972, passou a se chamar Arquivo Público Estadual Jordão Emerenciano, em homenagem ao seu primeiro diretor, que ficou 27 anos à frente da Instituição.

O Arquivo tem a responsabilidade de guardar, conservar e disponibilizar ao público em geral, a documentação produzida pelo Executivo Estadual. “No entanto, suas atividades vão além do campo institucional, levando-se em consideração que são de fundamental importância a guarda, a conservação e a divulgação de documentos da história e da cultura de Pernambuco”, explicou Félix Filho.

O jornalista e pesquisador Lenivaldo Aragão é um dos grandes frequentadores do local. “O Arquivo Público tem um enorme campo para as pessoas interessadas em conhecer detalhes da vida de Pernambuco em todos os sentidos, como na área política, econômica, social e esportiva”.

IMG-20181203-WA0174
Começa hoje e vai até o dia 8 de dezembro (sábado), no Cinema São Luiz, no Recife, a 20ª edição do Festival de Curtas de Pernambuco, o FestCine. O São Luiz, que é considerado o templo do audiovisual e patrimônio histórico de Pernambuco, abre suas portas e ilumina sua tela para exibir o novíssimo panorama do cinema pernambucano.
O festival, que é realizado pelo Governo de Pernambuco (Secult e Fundarpe) e Prefeitura do Recife, acontece em homenagem a dois pernambucanos que estão cravados na história do audiovisual brasileiro, Arlindo Gusmão e Graça Araújo. O cinéfilo e ex-programador de filmes Arlindo Gusmão, atuou em empresas como Art Filmes, Warner Bros, Herbert Richards e Embrafilmes, e colaborou ainda com o único mapeamento do parque exibidor pernambucano nos anos 50/60. A jornalista Graça Araújo, que partiu precocemente este ano, deixando um legado imenso para o telejornalismo e a difusão do cinema pernambucano, atuando, inclusive, como apresentadora oficial de todas as edições do Cine PE.
A secretaria estadual de Cultura, Antonieta Trindade, disse que o Festival é de grande relevância para o cinema em Pernambuco. “O Festival chega à sua vigésima edição reafirmando e incentivando o olhar para a produção audiovisual local. A história do FestCine é marcada pela exibição dos primeiros curtas-metragens de realizadores que hoje são reconhecidos até internacionalmente, então, é com grande alegria que damos continuidade a um evento que representa tanto para toda a cadeia do cinema e da produção audiovisual pernambucana”.

IMG-20181203-WA0170

Para o presidente da Fundação de Cultura Cidade do Recife, Diego Rocha, Pernambuco é um grande celeiro de produção audiovisual. “Pernambuco e principalmente o Recife têm enorme vocação para gerar profissionais sensíveis e inovadores. Por isso os poderes públicos precisam se manter articulados, e o fazem, para potencializar e fomentar o surgimento de novos talentos por trás das câmeras”.

PREMIAÇÕES – O panorama das mostras competitivas desta edição é composto por 64 filmes de todas as macrorregiões do estado, exibindo uma grande diversidade de temas, estéticas, narrativas e processos de realização. São ficções, videoartes, documentários, animações e videoclipes que integram as programações de duas mostras competitivas (Geral e Formação).

IMG-20181203-WA0172

Selecionados entre 209 obras inscritas – um recorde -, os curtas concorrem a uma premiação total no valor de R$ 66,5 mil. Neste montante, consta também o prêmio inédito no Festival, o CIARIO/CONNE que concederá ao filme eleito pelo Juri Oficial como melhor curta de Pernambuco, um crédito na empresa NAYMAR de R$ 8 mil em locação de equipamentos de iluminação, acessórios e maquinaria para uma futura obra audiovisual.

Para Matheus Lins, coordenador geral do FestCine, “este novo prêmio é mais uma forma de incentivarmos a continuidade das carreiras artísticas dos vencedores do FestCine que, também nesta edição, poderão contar com críticas especializadas de suas obras que serão elaboradas pelo jornalista e crítico audiovisual Luiz Joaquim”.

IMG-20181203-WA0171

De acordo com Márcia Souto, presidente da Fundarpe, “a inclusão de pessoas com algum tipo de deficiência no Festival também é um aspecto que estamos fortalecendo nesta edição, com a realização de sessões especialmente direcionadas a este público; e na grade de formação cultural, as mulheres têm prioridade, são o público-alvo de oficinas ofertadas em parceria com o FERA (Feminismo e Equidade para Reinventar o Audiovisual)”.

DEBATES – Outro destaque da programação deste ano é o retorno dos debates diários com os realizadores e ainda a oferta das oficinas “Documentando”, ministrada pelo cineasta Marlom Meirelles, “Estratégia de Marketing Digital para o Lançamento de Filmes”, com o roteirista e diretor Txai Ferraz, e “Inspire. Interpretação para TV e Cinema”, ministrada pelo comunicador e produtor cultural Gilvan Noblat.

Na quarta-feira, (5), o São Luiz acolhe o encontro “Cinema urgente: estratégias de existência do cinema como arte e resistência”, que contará com a participação de diversas realizadoras pernambucanas, partilhando experiências e traçando novas estratégias de intervenção. Já no sábado (8), duas sessões especiais ganham a tela. A primeira, às 17h, vai apresentar – em parceria com Alumiar/Fundação Joaquim Nabuco, dois filmes com audiodescrição e outros recursos de acessibilidade comunicacional: o curta Frequências, de Adalberto Oliveira e o longa O Auto da Compadecida, de Guel Arraes. Logo na sequência, às 19h, acontece a Mostra Documentando,que reúne quatro curtas-metragens produzidos de maneira coletiva em oficinas do projeto que tem percorrido, com incentivo do Funcultura, diversos municípios de Pernambuco.

Governador é acusado de acumular fortuna de R$ 39 milhões, enquanto servidor viveu sem salário
Da pacata Piraí, onde curtia atividades na praça, até morar no Palácio Laranjeiras, Pezão acumulou fortuna ilícita, segundo investigações da Polícia Federal (Ernesto Carriço/Agência O Dia)
Da pacata Piraí, onde curtia atividades na praça, até morar no Palácio Laranjeiras, Pezão acumulou fortuna ilícita, segundo investigações da Polícia Federal (Ernesto Carriço/Agência O Dia)
Por Luana Dandara *

 

Filho de torneiro mecânico e dona de casa, Luiz Fernando de Souza, conhecido como Pezão, experimentou acentuada mudança em sua vida desde 1982, quando, com 27 anos, se elegeu vereador na pacata cidade de Piraí, no Sul Fluminense. Naquela época, era comum vê-lo na Praça de Santana tomando cerveja e petiscando torresmo ou jogando cartas com os amigos. De lá pra cá, a ascensão foi grande. Foi prefeito do lugar por duas vezes e em 2014 tornou-se governador do Rio, após dois mandatos como vice de Sérgio Cabral (MDB). Hoje, Pezão está preso no Batalhão Especial Prisional de Niterói (BEP) sob acusação de receber propinas de R$ 39 milhões.

Enquanto a conta bancária do político aumentava substancialmente, a de vários cidadãos fluminenses mergulhava no vermelho. “Precisei pegar sete empréstimos e comecei a costurar e vender roupas, porque até papel higiênico faltou em casa”, conta Natalina Conceição, uma das milhares de funcionárias públicas prejudicadas pela administração do governador Pezão.

Na época em que ele circulava com tranquilidade por Piraí e ainda não lidava com milhões, a servidora, de 62 anos, tinha dinheiro suficiente para fazer viagens anuais com a família a estados como Paraná e Bahia. Mas há três anos começou o atraso e parcelamento dos salários. Depois de ficar até dois meses sem receber o pagamento no ano passado, Natalina teve um rombo nas contas e modificou a rotina. “O dinheiro não dava nem pra ir a Japeri. Ao mesmo tempo que o meu aluguel, água e luz atrasavam, o Pezão recebia a propina”, conclui ela após a prisão. Ela tem quatro filhos, todos bombeiros, e seis netos. “Estamos ainda em uma corda bamba, sofrendo para pagar as dívidas. O que vendo das roupas vai para os juros do cartão de crédito”, acrescenta.

Desde 2015, a situação no Rio ficou tão ruim que o governo decretou estado de calamidade financeira. Servidores, sem salário, contaram com campanhas de distribuição de alimentos. Serviços básicos foram prejudicados. Segundo a Polícia Federal, até um ano antes desse caos, Pezão ainda recebia a sua “mesada”, que dava direito até a 13º salário e bônus.

Na casa, em Nova Iguaçu, a função de costureira, com que Natalina Conceição tenta equilibrar as contas, rende a ela R$ 800 ao mês, uma quantia bem abaixo dos R$ 150 mil mensais que, de acordo com as investigações, transformaram Pezão, um homem classe média baixa, em um milionário hóspede do Palácio Laranjeiras.

Policial militar ainda está no vermelho

Desde 2016, quando o padrinho político e antecessor Sérgio Cabral foi preso, Pezão viu diversos aliados do esquema de corrupção serem detidos. Simultaneamente, na Polícia Militar, cabo L., chegou a perder amigos que não suportaram a penúria financeira. “Foram diversos atrasos de pagamento e nenhum benefício salarial. Até hoje pago juros de cheque especial, porque financiei minha casa e não pode haver atrasos. O policial já sofre com a Segurança do estado, para piorar não temos tranquilidade em casa com as contas”, conta ele, que tem dois filhos ainda crianças.

Em meio à crise, o governador teve que se afastar devido a um câncer, curado em quatro meses. Já a auxiliar de enfermagem do Hospital Estadual Eduardo Rabello Márcia Regina, de 53 anos, não teve a rapidez em seu tratamento contra a depressão e os companheiros de trabalho tiveram de fazer ‘vaquinha’ para seus remédios. “A doença voltou no momento dos protestos dos servidores. O Pezão curtia bons restaurantes, carro e roupas. Aqui em casa nem carne e leite tinha”, lembra.

* Estagiária sob a supervisão do jornalista Chico Alves

DÓRIA DÁ AS CARTAS

 

O governador eleito de São Paulo venceu a batalha velada travada com Geraldo Alckmin e com o próprio Fernando Henrique Cardoso.

João Dória já definiu inclusive o novo posicionamento ideológico do PSDB: Será um partido de centro.

O ex-governador Alberto Goldman, o maior desafeto de Dória, já está devidamente expulso das hostes tucanas.

Geraldo Alckmin e FHC falam em mudança partidária. Na realidade, ambos estão ‘mortos’ politicamente.

Ou admitem a liderança de Dória ou caem fora.

Fechar