A redução será na folha de pagamento do município. Mas contratos também serão revisados, aliviando assim os cofres públicos

O prefeito de Moreno, Edmilson Cupertino (PSB), enviou na tarde desta quarta-feira (13) o Projeto de Lei que modifica a estrutura administrativa do município. Apesar da criação da Secretaria de Agricultura e Meio Ambiente, o total de pastas será o mesmo do governo anterior, que tinha 9. Isso porque algumas delas foram unificadas a outras, como é o caso de Obras e Serviços Públicos, que agora são uma única secretaria.

Um dos pontos fortes do projeto é a economia, com a retirada do auxílio-combustível que era pago aos superintendentes até o ano passado. Assim, os cofres do município deixarão de gastar R$ 14 mil mensais. O que dará um total de R$ 168 mil por ano. Dinheiro que poderá ser investido em outras necessidades.

A nomeação do vice-prefeito, José Jeronimo, para uma das secretarias também vai reduzir os custos da folha do município. Isso porque ele vai receber para o cargo que foi eleito, sem acumular com o de secretário. Vão ser menos R$ 104 mil a cada ano nos custos com esse subsídio.

Já a indicação de servidores efetivos para ocupar cargos que seriam ocupados por comissionados, também vai gerar uma economia mensal. Duas professoras já estão em cargos na secretaria de educação, enquanto que um guarda municipal assumiu a chefia da corporação. Com isso, eles vão receber apenas um complemento aos seus salários para ficar equivalente as funções gratificadas que estão desempenhando. No final do ano, serão mais de R$ 140 mil economizados nesses três exemplos.

Somando esses montantes, os cofres deixarão de gastar por volta de R$ 414 mil por ano. Outros pontos também vão ajudar a aliviar as contas do município é o fim da locação de veículos e renegociação de contratos.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar