Faltando vinte dias para o primeiro turno das eleições municipais, Mendonça Filho está com 16% das intenções de voto, de acordo com o Ipespe. O democrata está empatado tecnicamente com Marília Arraes (PT) e a Delegada Patrícia (Podemos). No final de semana, o ex-ministro da Educação ganhou o reforço do senador Fernando Bezerra Coelho, que disse não medir esforços para levar o aliado ao segundo turno.

É possível que nos próximos dias Mendonça se apresente como um candidato com força política para chegar ao segundo turno. E para isso conta com um time de três ex-ministros em seu palanque, Armando Monteiro, Bruno Araújo e Fernando Bezerra. Todos com muito prestígio em Brasília e com serviços prestados a Pernambuco.
Um aliado de Mendonça considera que isso pode ser um diferencial em relação às outras duas candidaturas oposicionistas, Marília que não conta com o respaldo do seu próprio partido, enquanto Patrícia tem apenas Daniel Coelho na sua retaguarda para se apresentar ao eleitorado recifense.
Além de um palanque forte, Mendonça aposta na experiência administrativa para se diferenciar das duas mulheres que lhe enfrentam na luta por uma vaga no segundo turno. Nos próximos dias é esperado que o democrata leve ao seu guia eleitoral o seu robusto palanque oposicionista para tentar chegar à segunda etapa da eleição.
Nacionais – Outros nomes que podem reforçar o palanque de Mendonça Filho são: o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), beneficiando parcerias entre a prefeitura do Recife e o governo paulista, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, e o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, correligionários de Mendonça. O prestígio nacional de Mendonça com estes atores certamente será enfatizado nesta reta final.

Edmar Lyra

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar