São lives de todos os segmentos, para todos os gostos: shows musicais, aulas de tudo, palestras, debates, orações, festas…

Por Marcos Lima Mochila (*)

.

Em tempos de pandemia, como essa do Covid-19, que invadiu o mundo, em que o mais sensato é seguir as orientações da OMS – muito embora essa “O” não esteja 100% inteirada sobre o que fazer, nesse

 momento atual -, e ficar em casa, o tédio muitas vezes extrapola o simples aborrecimento, ultrapassa o estresse, muitas vezes desencadeando uma síndrome do pânico no indivíduo.

Segundo o vice-presidente da Associação Brasileira de Psiquiatria, Dr. Claudio Martins, “essa mudança comportamental repentina e a diminuição das relações interpessoais, associados a um estresse coletivo de medo, podem resultar em diversos transtornos psicológicos”.

O psiquiatra também aconselha que “é importante manter o autocuidado com a alimentação, hidratação e se comunicar por meios eletrônicos. É necessário ocupar a mente com outras coisas e não passar o dia vendo notícias sobre coronavírus. Não pode ficar concentrado na doença, pois isso pode gerar uma obsessão mental e incapacitar as pessoas de se desenvolverem”.

Bem, opções para se seguir esse manual antitédio – ou antiestresse, ou antipânico -, tem aos milhares. Para quem tem filhos menores (ou mesmo maiores, não importa) e vive ocupado as 24 horas do dia, sempre trabalhando, sem ter tempo de dar um tempo para os pequeninos, esta é uma boa hora de tirar o atraso.

Então, esses métodos antitédio podem se iniciar com passeios – ao redor do seu prédio, que tal? -, prática de jogos, quebra-cabeças, improvisar um karaokê, em suma, tem opções à vontade, é só querer.

No entanto, uma prática que, até então existia mas se desenvolvia muito timidamente, as lives, se popularizaram e passaram a fazer parte do dia a dia das pessoas.

São lives de todos os segmentos, para todos os gostos: shows musicais, aulas de tudo, palestras, debates, orações, festas… Que o diga o competente jornalista Magno Martins, que está produzindo lives quase que diariamente, desde ex-presidentes da República a pré-candidatos a prefeito.

Em nosso Pernambuco, pelo menos, o pessoal está aproveitando e passando o tempo – e ajudando outros a passar também – fazendo muita coisa boa e, ao mesmo tempo, fazendo o que gosta. E, de quebra, mostrando que esse animal racional que Deus criou e colocou no mundo, pode fazer o que quiser, pode transformar esse mundo.

Pra variar – e aproveitar este espaço – sugiro mais algumas lives que, decerto, valem a pena assistir:

Dia 29 de junho

18h – Desafios e Oportunidades para os Clubes do NE

Participantes:

  • Alfredo Bertini – Especialista em Cultura e Entretenimento
  • Amir Somaggi – Sócio da Sports Value
  • Cássio Zirpoli – Jornalista especializado em Futebol Nordestino
  • Guilherme Bellintoni – Presidente do Esporte Clube Bahia 

20h – Perspectivas de uma Gestão Pública para a Sociedade após Pandemia

Participantes:

  • Isaltino Nascimento – Deputado estadual, líder do governo de Pernambuco
  • Jurandir Filho (Joca) – Diretor da Facig

Dia 30 de junho

17h – Leitura para Bebês

Participantes:

  • Fabiana Barboza – Grupo Avançar
  • Rosângela Lima – Grupo Avançar

Aproveitem. Assistam, curtam e divirtam-se. E tenha calma: isso tudo vai passar. Porque Deus assim o quer!

(*) Marcos Lima Mochila é jornalista, redator-chefe da Revista Total e do Blog Revista Total e Editor do Portal Difusão Brasil

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar