De acordo com informações obtidas através do Sistema de Informações Sobre Orçamentos Públicos (SIOPS), o município não teria enviado ao Ministério da Saúde dados referentes à prestação de contas no último biênio de 2019. A situação se torna mais preocupante porque todos os moradores precisam estar cadastrados na Secretaria de Saúde, de modo que a cidade receba recursos suficientes para realizar operações de saúde básica suficientes a fim de atender a demanda de 100% da população. Dados oficiais do governo federal indicam que Camaragibe cadastrou somente 63.832 moradores dos 157.828 existentes. O prazo de envio das informações acaba em abril e a Prefeitura Municipal necessita cadastrar aproximadamente 100 mil habitantes em poucos dias.

Muitos profissionais da atenção básica se sentiram desmotivados com a notícia da possibilidade de perda de recursos. Uma Agente de Saúde em reserva afirmou que “… nós fazemos toda a cobertura, visitamos e cadastramos os moradores. O problema é que, quando os cadastrados chegam à prefeitura eles simplesmente somem”. Apesar disso, a prefeitura chegou a divulgar nota oficial esclarecendo que o caso fora originado porque a empresa responsável pela consolidação e transmissão dos dados enfrentava problemas de ordem operacional.

Para sanar o problema, os profissionais da atenção básica do município terão que refazer todo o trabalho já anteriormente realizado. Outro problema é a falta de concursos. Há muito tempo a cidade não realiza certames para cobrir as vagas deixadas pelos funcionários aposentados ou falecidos. Alguns postos são preenchidos com cargos contratados, mas grande parte permanece com vacância.

Se conseguir realizar 100% da cobertura municipal, a prefeitura pode garantir uma verba adicional de 2 milhões/ano que seriam aplicados na capacitação e desempenho de novos cargos do setor de atenção básica de saúde.

Não sendo realizados os procedimentos requeridos pelo Ministério da Saúde, a verba ficará bloqueada até que a Secretaria de Saúde do município regularize a situação. Há outras cidades enfrentando o mesmo problema, mas, de acordo com dados da Secretaria de Saúde do Estado de Pernambuco, Camaragibe vivencia uma das piores situações da Região Metropolitana do Recife.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar