PROFESSOR LUPÉRCIO

Da Redação do Blog Revista Total

 

O que faz um prefeito, um ano antes de se iniciar o período de campanhas eleitorais, se esconder da imprensa?

O telefone que ele próprio fornece a jornalistas, inclusive da Revista Total, não atende e todos os secretários, assessores e demais servidores da Prefeitura que são contatados dizem que não têm como interceder ou então nem sequer atendem ligações, criando uma barreira que blinda o prefeito e ninguém consegue contato com o mesmo.

Ou ele está com medo de falar com a imprensa ou ele está de saco cheio e não quer mais saber de ser prefeito.

Enquanto isso, o PC do B, que comandou a prefeitura por 16 anos, com Luciana Santos (De 01/01/2001 a 31/12/2008) e Renan Calheiros (De 01/01/2009 a 31/12/2016), prepara-se para apresentar um candidato, forte o suficiente para enfrentar qualquer adversário. Trata-se de João Paulo, atualmente atuando como deputado estadual, que não precisa de apresentação. Muito pelo contrário. Seu currículo como prefeito de Recife, em duas gestões – no período de 1º de janeiro de 2001 a 31 de dezembro de 2008 -, que recebeu aprovação total da população recifense, comprovado pela sua reeleição para o segundo mandato e, posteriormente, fazendo o seu sucessor, que esteve à frente da Prefeitura do Recife no período de 1º de janeiro de 2009 a 31 de dezembro de 2012.

Restam, apenas 1 ano e 6 meses para o prefeito olindense Professor Lupércio (Lupércio Carlos do Nascimento), do SD, mostrar as ações e obras de sua gestão, a fim de se cacifar para uma provável candidatura à reeleição, em 2020, ou confirmar claramente que não pretende se candidatar.

Este é um momento que todos os prefeitos – e, obviamente, também os vereadores – dos 5.574 municípios brasileiros, começam a fazer o seu planejamento para as campanhas das eleições do ano vindouro, mesmo sabendo que, oficialmente, a campanha propriamente dita, com veiculação de propaganda eleitoral nos meios de comunicação, só se dará no período de 26 de agosto a 29 de setembro de 2020, com a realização das eleições no dia 04 de outubro e, em casos de necessidade de 2º turno, no dia 25 de outubro.

Como diz o ditado “Quem é coxo, parte cedo”. Esta é, portanto, a hora de começar a se pensar em eleição, muito embora isso não signifique uma entrega total por parte dos candidatos, uma vez que eles têm que dedicar a maior parte do seu tempo a cumprir suas promessas e as obrigações dos seus mandatos.

Aliás, não á toa, as equipes técnicas da Revista Total e do Blog Revista Total, desde o começo deste ano, já começaram a percorrer os 184 municípios pernambucanos, realizando seus estudos e já se inteirando das propostas. dos candidatos às eleições ou reeleições para prefeitos e vereadores.

É, pois, muito estranha essa atitude do prefeito olindense.

Mais estranha ainda quando se vê todos os prefeitos das cidades atingidas pelas últimas chuvas dando satisfação à população, aparecendo nos programas jornalísticos de rádios e tvs, mas o prefeito de Olinda se omite de tudo isso.

Aliás, seria muito bom ele aparecer para dar uma respostas ao povo que o elegeu, principalmente sobre os motivos que impediram, até agora, a conclusão das obras de revestimento do Canal do Fragoso, orçadas em R$ 336 milhões, divididos entre recursos federais e estaduais. Embora seja uma obra de responsabilidade do governo estadual, cabe ao prefeito da cidade cobrar providências e agilidade, principalmente quando se trata de uma obra vital para a segurança da população.

Imagens aéreas mostram o transbordamento do Canal do Fragoso, em Olinda (Foto: Reprodução / TV Globo)
Imagens aéreas mostram o transbordamento do Canal do Fragoso, em Olinda (Foto: Reprodução / TV Globo)

Em matéria do G1 PE do dia 07/06/2016, às 16h14, se expunha que o TCE emitira alerta para cobrar agilidade nas

O acidente aconteceu por volta das 2h30 desta quarta-feira (24) próximo à Praça Ilumiara Zumbi - Foto: Foto: Brenda Alcântara/JC Imagem
O acidente aconteceu por volta das 2h30 desta quarta-feira (24) próximo à Praça Ilumiara Zumbi – Foto: Foto: Brenda Alcântara/JC Imagem

obras do Canal do Fragoso que, segundo o parecer, tinha um atraso de 29 meses.

Três anos e dois meses depois – portanto, não apenas 29 meses, já atingindo 67 meses -, elas continuam inacabadas, trazendo prejuízos e causando catástrofes por toda a cidade mas, sobretudo, no entorno do Canal do Fragoso, onde nos últimos dias, a água chegou na cintura.

É hora, portanto, de o prefeito aparecer e cobrar do governo estadual uma providência urgente para que este s fatos não continuem se repetindo todos os anos.

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Fechar