O fenômeno poderá ser visto de qualquer parte do Brasil e acontece quando a Terra, o Sol e a Lua ficam alinhados

No Brasil, o eclipse poderá ser visto no início da noite, com o auge do espetáculo às 18h30 (Foto: Miguel Medina/AFP)
No Brasil, o eclipse poderá ser visto no início da noite, com o auge do espetáculo às 18h30 (Foto: Miguel Medina/AFP)

CB Correio Braziliense

Postado por Marcos Lima Mochila

 

 

No dia em que é comemorado os 50 anos do lançamento da missão Apollo 11, quando o homem pisou pela primeira vez na Lua, o Brasil poderá acompanhar um eclipse lunar parcial, nesta terça-feira (16/7).

O fenômeno acontece quando parte da Lua passa pela umbra, que é a parte da Terra que não recebe luz solar. Como é parcial, a lua cheia ficará parecida com a sua fase crescente. No Brasil, o eclipse poderá ser visto no início da noite, com o auge do espetáculo às 18h30.

16 07 ECLIPSE DA LUA RENOVA MÍDIAPor 3 horas, eclipse lunar total é observado em várias partes do mundo

A duração da fase umbra será de 2 horas e 51 minutos. Essa é a fase que a sombra da Terra começa a ser observada na Lua. Se todo o período do eclipse for considerado, incluindo a fase de penumbra (quando a sombra da Terra sobre a Lua ainda é vista de forma borrada), a duração total do fenômeno chega a 5 horas e 33 minutos.

Confira:

15h43: começa a fase de penumbra

                                                17h01: começa a fase da umbra

                                                19h52: fim da fase da umbra

                                               21h17: fim da fase da penumbra

O fenômeno desta terça-feira, é diferente do eclipse solar observado duas semanas atrás. A Terra, o Sol e a Lua vão se alinhar novamente, mas desta vez não será um alinhamento perfeito. No entanto, será mais fácil observar o eclipse de hoje em relação ao anterior. Por ser lunar, não é necessário o uso de proteção para os olhos.

(Foto: Bernd Thissen/DPA/AFP )
(Foto: Bernd Thissen/DPA/AFP )

Esse será o segundo eclipse lunar do ano. O primeiro aconteceu em janeiro. O próximo evento astronômico do tipo só acontecerá novamente em 2021.

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Fechar