IMG-20190619-WA0025
Mais de dois terços dos crimes de homicídios praticados em maio passado têm relação com o tráfico de drogas, acertos de conta ou outras atividades criminosas. Em números absolutos, correspondem a 206 casos, ou 68,9% do total de crimes contra a vida no mês. Nos cinco primeiros meses de 2019, o perfil dos homicídios se assemelha: 1.039 homicídios tiveram essas causas, o que equivale a 69% das ocorrências do período. Quanto à situação das vítimas perante a Justiça, 66% não tinham sido submetidas ao sistema de jurisdição criminal, proporção que passa para 68% no conjunto de janeiro a maio de 2019.

Durante o mês de maio passado, foi registrada uma redução de 16 por cento no número de homicídios em todo o Estado de Pernambuco se comparado como mesmo período do ano de 2018. Foi o 18º mês consecutivo de queda nos Crimes Violentos Letais Intencionais em Pernambuco (CVLIs). Essa sequência de declínios, iniciada em dezembro de 2017, só havia sido alcançada uma vez em toda a série histórica de 12 anos do Pacto pela Vida, no período entre 2009 e 2011. Em maio passado, ocorreram 299 homicídios, enquanto no mesmo mês do ano passado, foram registrados 356. Quando se analisa os cinco primeiros meses deste ano com o intervalo de janeiro a maio de 2018, a regressão chega a 22,7% (caiu de 1.948 para 1.505).

O secretário de Defesa Social, Antônio de Pádua, relatou os último números. “Nos últimos 18 meses de quedas sucessivas, tivemos um total de 6.073 homicídios, contra 7.847 ocorridos no mesmo período antecedente (dezembro de 2016 a maio de 2018). Ou seja, temos um quantitativo significativo de 1.774 mortes a menos ou vidas salvas. Ter resultados compatíveis aos obtidos em uma época de pleno emprego e maior capacidade de investimento por parte do Estado é algo que motiva as forças de segurança e órgãos que integram o Pacto pela Vida. Consolida um planejamento bem executado e um trabalho integrado e dedicado, mas principalmente reduz as perdas do bem mais precioso: a vida. Ainda temos um patamar elevado de mortes e é preciso, dia após dia, reforçar, expandir e reinventar formas de conter e reprimir a criminalidade”.
TODAS AS REGIÕES – Pádua acentuou que mais uma vez, as ações de descentralização da segurança pública fizeram com que o declínio na criminalidade fosse sentido em todo o Estado. “No mês passado, o destaque ficou com o Agreste, onde se observou um recuo de 29,9% nos homicídios. De 97, em maio de 2018, caiu para 68 casos, no mesmo mês de 2019. A Zona da Mata vem logo em seguida, com -25%. Nesse território, ocorreram 54 mortes em maio último, contra 72 no mesmo período do ano passado. O Sertão, que atingiu 8% de queda (37 para 34), e a Região Metropolitana do Recife (exceto a Capital), com -3,9% (101 para 97), fecham a lista”.

Os números indicam que, na soma dos cinco primeiros meses, o Agreste lidera a contenção dos CVLIs juntamente com o Sertão, ambos tendo freado esse tipo de crime em 26%. No primeiro, foram 518 notificações entre janeiro e maio de 2018, contra 380 no mesmo período deste ano, enquanto o segundo terminou com 223 casos no ano passado, contra 165 nos cinco primeiros meses deste ano. A Região Metropolitana segue logo abaixo, com 26% de decréscimo: foram 576 crimes contra a vida em 2018, contra 440 no ano atual. Por fim, nos municípios da Mata, cuja redução ficou em 19%, houve 368 homicídios no ano passado, contra 296, em 2019.

Na Capital, a queda dos crimes contra a vida nos cinco primeiros meses de 2019 chega a 14,8%. Ao todo, foram 224 ocorrências registradas neste ano, contra 263 no mesmo período do ano passado. Quando levado em consideração apenas o mês de maio, o recuo dos homicídios chega a 6%, saindo de 49 mortes em 2018 para 46 no ano corrente. Ainda no Recife, destaque para a Área Integrada de Segurança 01 (AIS 01), que tem sede em Santo Amaro e reúne 11 bairros do Centro. Com uma morte, a área teve o menor número mensal de homicídios em mais de quatro anos, só perdendo para março de 2015.

ZERO CRIME – Entre os meses de janeiro e maio passados, em nada menos de 35 municípios pernambucanos, não aconteceram homicídios. No distrito de Fernando de Noronha, também não foi registrado assassinatos no ano de 2019.

Veja a relação dessas cidades mais pacatas do Estado:

Alagoinha, Bodocó, Brejão, Brejinho, Cabrobó, Calçado, Cedro, Cumaru, Dormentes, Fernando de Noronha, Granito, Iguaraci, Ingazeira, Ibubi, Itacuruba, Itapetim, Jupi, Moreilândia, Palmeirina, Paranatama, Parnamirim, Petrolândia, Quixaba, Salgadinho, Saloá, Santa Cruz, Santa Filomena, Santa Terezinha, São Benedito do Sul, Serrita, Teresinha, Triunfo, Tupanatinga, Tuparetama, Vertente do Lério e Xexéu.

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Fechar