IMG-20190612-WA0119Integrantes da Cooperativa de Jornalistas durante uma reunião. Imagem: Facebook/Cooperativa de Jornalistas de Pernambuco.

 

A cooperativa de Jornalistas de Pernambuco, é a primeira cooperativa da profissão no estado. Surgida com a ideia do jornalista Antonio Magalhães, a cooperativa conta com o apoio da AIP (Associação da Imprensa de Pernambuco) e reúne jornalistas egressos das redações de jornais tradicionais, em busca de adaptações ao novo mercado de trabalho.

A Cooperativa funcionará como uma entidade sem fins lucrativos, com caráter de pessoa jurídica, mas que poderá prestar serviços jornalísticos, podendo participar de licitações. Cada integrante terá autonomia para buscar um serviço, o foco inicial será na produção de informação e cultura, para a plataforma multimídia.

As reuniões para a estruturação da cooperativa, começaram no dia 13 de fevereiro e vigoram até hoje. Até agora, o estatuto da cooperativa já foi votado e será chamado “comunicando”. Antonio Magalhães explana que “o verbo está no gerúndio, o gerúndio dá a ideia do movimento e a continuidade, nós vamos estar sempre comunicando, então, essa é uma das ideias que estamos trabalhando”.

Para a formação da cooperativa, Magalhães confirma os departamentos que já estão com nomes definidos, Alexandre Accioly integrará a presidência. No Conselho Administrativo foram nomeados, Rosa Soares e Aimé Kyrillos. Já no conselho fiscal, fazem parte, Elene Moura como presidente do Conselho, Elisabeth Porto e Roberto Nascimento,farão parte da gestão da cooperativa. Antonio e os demais integrantes farão planos, projetos e planejamentos para o andamento da cooperativa, que possui no total, 11 integrantes.

Segundo o Estatuto da cooperativa, na seção “da admissão dos integrantes” , “podem ingressar na cooperativa, quaisquer profissionais jornalistas, radialistas e fotojornalistas”, desde que se dediquem à prática da busca pela informação. Os interessados ainda passarão por uma avaliação no Conselho Administrativo, por meio de um preenchimento de ficha, para saber se eles estão dentro da visão da cooperativa.

Sobre o início das atividades, Magalhães diz que trabalhos como o da cooperativa, representam a autonomia que o profissional de comunicação adquiriu para exercer o jornalismo.

Fonte Diário da imprensa.

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Fechar