FB_IMG_1552578456801

Por Márcio Maia

O deputado federal João Campos (PSB) foi designado pela liderança do partido na Câmara Federal para ocupar uma das vagas na Comissão de Constituição e Justiça, considerada como a mais importante, por ser responsável pela análise dos projetos apresentados pelos parlamentares. Será a primeira grande missão a ser enfrentada pelo jovem parlamentar, pois as proposições só são encaminhadas para outras comissões ou ao Plenário, caso sejam aprovadas na CCJ.
O líder do PSB na Câmara, Tadeu Alencar, disse que João Campos está preparado para ocupar a função, por ter, apesar de jovem (25 anos), uma grande vivência política em companhia do pai, o ex-governador Eduardo Campos, e outros políticos importantes. ele adiantou certeza que João Campos vai realizar um grande trabalho na CCJ por ter uma base política muito sólida e ter pleno conhecimento das diretrizes e entendimentos do Partido Socialista. Apesar de jovem, ele declarou ter plena confiança na capacidade política de João. Garantiu que, em pouco tempo, todos vão perceber que tomamos a decisão correta.
João Campos reconheceu que a responsabilidade é muito grande por entender que os trabalhos da CCJ são de grande relevância para todos os aspectos da vida dos brasileiros e que são vistos com intensidade por setores de muita influência e poderio. Afirmou ter recebido a indicação com surpresa, mas adiantou estar preparado para ocupar o cargo e cumprir a difícil missão que recebeu dos líderes partidários. Adiantou que vai tomar decisões de acordo com os propósitos do PSB, que é um partido que tem como ponto principal, a defesa dos interesses do povo brasileiro, especialmente das camadas mais carentes.
Sobre a primeira grande missão que vai encarar, que são as discussões sobre a proposta de reforma da Previdência Social encaminhada pelo presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), João Campos já revelou que é contrário à proposta. Explicou que logo que assumir a função, vai analisar os detalhes da propostas, mas pelo que já tomou conhecimento pela Imprensa, é contrário a vários pontos por entender que, se aprovada, vai prejudicar seriamente os trabalhadores rurais e urbanos, notadamente os mais carentes.
Vamos torcer para que o jovem João Campos siga os caminhos percorridos pelos ex-governador Miguel Arraes e Eduardo Campos e represente com competência e seriedade o povo pernambucano.

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Fechar