MENINOS DO FLAMENGO

Por Cláudio Ignatiuk Wanderley (*)

Postado por Marcos Lima Mochila

 

Cláudio com seu filho Tiago Guina, jogador de futsal, que iniciou sua carreira nas divisões de base do Flamento e atualmente joga no  Orchies Pévèle Futsal, na França.
Cláudio com seu filho Tiago Guina, jogador de futsal, que iniciou sua carreira nas divisões de base do Flamento e atualmente joga no Orchies Pévèle Futsal, na França.

Durante sete anos, presenciei a formação do meu filho nas bases de futsal do Clube de Regatas do Flamengo. Convivi com a alegria dos garotos das categorias de base na vitória e a tristeza na derrota, mas em todos sempre a mesma motivação, o mesmo empenho, a mesma solidariedade entre companheiros, os mesmos sonhos, ao continuar a trilhar o caminho que cada um buscou para si. Era para nós uma festa, pais torcedores na arquibancada, unidos no grito de guerra no refrão ‘’uma vez, Flamengo, sempre Flamengo’’ – que eu cantava junto – mesmo sendo botafoguense de carteirinha. Os garotos, vários deles atletas profissionais que se tornaram no futuro, eram nosso próprio espírito de competição, vestindo a camisa do clube com emoção e, acima de tudo, respeito ao adversário.

Por tudo isso, vejo nessa tragédia a parte de uma história que termina sem ter ao menos começado como devia.

(*) Cláudio Ignatiuk Wanderley é jornalista e artista plástico carioca. 

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Fechar