Arquivos do mês janeiro 2019

Movimentação é de mudança nos gabinetes para receber parlamentares da nova legislatura, mas cidadão carioca está descrente

Manoela Albuquerque/Metrópoles
Manoela Albuquerque/Metrópoles

Manoela Albuquerque – Enviada Especial

Postado por Marcos Lima Mochila

 

Rio de Janeiro (enviada especial) – De frente para a Praça XV e de costas para o monumental Palácio dos Bandeirantes – onde está o plenário – fica o prédio de seis pavimentos da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (foto em destaque). No edifício, basta pegar o elevador ou subir as escadas para dar de cara com um ou mais gabinetes de deputados presos na Operação Furna da Onça, desdobramento da Lava Jato no estado, deflagrada em novembro de 2018. Apenas no térreo, onde também há instalações, nenhum parlamentar foi alvo da Polícia Federal na ocasião.

Logo no primeiro andar, há o escritório de quatro denunciados: Chiquinho da Mangueira (PSC), Marcelo Simão (PP), Marcos Abrahão (Avante) e Paulo Melo (MDB). No segundo piso, fica o gabinete de mais um denunciado: Marcus Vinícius “Neskau” (PTB). Lá, funcionários comentavam, decepcionados, sobre o futuro. “Cheguei um dia e a Polícia Federal estava aqui. Fiquei perplexa porque achava ele [o deputado estadual] o máximo”, disse uma das servidoras à reportagem.

O terceiro andar abriga o gabinete de Edson Albertassi (MDB). No quarto, estão as placas de Luiz Martins (PDT) e do ex-presidente da Alerj Jorge Picciani (MDB), que permanece preso. No quinto e último andar, ficavam alocados o Coronel Jairo (MDB) e André Correa (DEM).

A Operação Furna da Onça foi deflagrada pela Polícia Federal no dia 8 de novembro de 2018, para investigar a participação de parlamentares da Alerj em crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e loteamento de cargos públicos e terceirizados. Picciani, Albertassi e Paulo Melo já tinham sido presos na Operação Cadeia Velha, em 2017.

Foi a partir da ofensiva deflagrada no ano passado que o relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) com indícios de movimentações atípicas feitas por profissionais da Alerj seguiu para o Ministério Público Estadual do Rio de Janeiro (MPRJ). Os investigadores constataram que parlamentares e assessores alvos da Furna da Onça também tiveram movimentações incompatíveis com seus salários, incluindo Flávio Bolsonaro (PSL) e seu ex-assessor Fabrício Queiroz.

DEPUTADOS DO RJ MUDANÇANova legislatura

Para receber 36 novos parlamentares no dia 1º de fevereiro, os gabinetes já estão sendo modificados. Há também aqueles deputados que escolheram mudar de lugar. Pelos corredores, tinta, caixas e móveis eram vistos nessa segunda-feira (28/1).

Os funcionários responsáveis por passar informações em cada andar ainda não receberam a nova relação de parlamentares e ficam confusos na hora de responder quem entra e quem sai. “Está a maior confusão essa lista. Fica nesse troca-troca”, resmungou um deles.

Algumas portas já estão sem placas com os nomes dos antigos ocupantes. No caso do gabinete 502, os adesivos do presidente Jair Bolsonaro (PSL) dão a pista de que quem trabalhava ali era o filho Flávio, que está de mudança para o Senado Federal. “Foi o gabinete mais movimentado depois das eleições”, contou um funcionário da Alerj.

Sem esperanças

Embora haja renovação de mais da metade dos parlamentares, os escândalos envolvendo a Alerj desanimaram o cidadão carioca. Moradores que passavam pela Praça XV tinham expressão semelhante ao serem perguntados sobre as expectativas da próxima legislatura, como se não fosse necessário dizer a resposta.

“Não acredito mais no ser humano”, disse o aposentado Moacir Santos, 58 anos. “Uma coisa é boa. Estão vindo à tona essas coisas que todos nós já sabíamos, mas ninguém ia atrás. Agora, estão sendo reveladas”, complementou o morador do Méier, na zona norte do Rio.

O motorista Márcio Costa, 46, também não se mostra esperançoso. “Só acredito vendo, infelizmente”, desabafou. A psicóloga Vanessa Grippe, 28, tem pensamento parecido. “Espero que mude, mas pelo que a gente está vendo, não acredito. Espero estar errada, mas é bizarro”, comentou.

Integrante das Forças Armadas, Diogo Ramos, 35, acredita que as coisas só vão começar a mudar quando as pessoas honestas denunciarem quem é corrupto dentro das instituições. “Não adianta a população votar”, afirmou.

“Não acho que vai mudar nada. O país é movido pela corrupção. Quem entrar, vai continuar no esquema. Só vão fazer diferente para ninguém descobrir”, opinou um vendedor ambulante que tem barraquinha em frente ao prédio da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro.

Rafaela Felicciano/Metrópoles
Rafaela Felicciano/Metrópoles

Lilian Tahan – Metrópoles

Postado por Marcos Lima Mochila

 

O governador Ibaneis Rocha (MDB) disse nesta terça-feira (29/1) que a operação da Polícia Federal e do Ministério Público Federal do DF (MPF-DF) contra a ex-cúpula do Banco de Brasília é “apenas a ponta do iceberg de um esquema de corrupção que precisa ser amplamente investigado”. O emedebista enfatizou que o BRB “é uma caixa-preta a ser aberta”.

A operação investiga suposto esquema de pagamento de propinas de R$ 16,5 milhões a diretores e ex-diretores do banco, em troca de investimentos em projetos como o do extinto Trump Hotel, no Rio de Janeiro, atualmente conhecido como LSH Lifestyle.

Entre os investigados, estão integrantes da gestão de Rodrigo Rollemberg (PSB): o presidente licenciado do BRB, Vasco Cunha Gonçalves, recém-nomeado para presidir o Banco do Estado do Espírito Santo (Banestes); e diretores Financeiro e de Relações com Investidores, Nilban de Melo Júnior, e de Serviços e Produtos, Marco Aurélio Monteiro de Castro.

Os três são alvos de mandados de prisão, expedidos pela 10ª Vara da Justiça Federal em Brasília. Agentes da PF estão na sede do BRB fazendo busca e apreensão.

Para Ibaneis, as histórias de malfeitos no BRB sempre circularam nos bastidores do DF. “Por isso mesmo, não aceitei nem um tipo de indicação para montar a diretoria do banco. Deixei Paulo Henrique à vontade para ter um corpo eminentemente técnico”, explicou à coluna.

“Nada justifica, a não ser malversação, o fato de o BRB ser um banco sem resultados. Tratava-se de uma instituição financeira que não servia nem aos servidores nem aos correntistas nem aos empresários. Vamos atuar fortemente para mudar essa realidade. E também no sentido de ajudar as autoridades a desvendar as irregularidades”, concluiu.

O presidente está internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e, por ordem médica, não pode receber visitas

BOLSONARO ACORDA BEM

Agência Brasil

Postado por Marcos Lima Mochila

 

A Assessoria de Comunicação da Presidência da República informou que o presidente Jair Bolsonaro acordou bem na manhã de hoje (28). Boletim médico do Hospital Albert Einstein também informa que o presidente apresenta boa evolução clínica após a cirurgia de ontem (28), que durou sete horas, e reconstruiu o seu trânsito intestinal.

O presidente está internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e, por ordem médica, não pode receber visitas.

De acordo com boletim médico, ele não apresentou sangramentos ou febre, e não teve disfunções orgânicas. Bolsonaro é mantido em jejum oral e recebe analgésicos para controle de dor, hidratação endovenosa e medidas de prevenção de trombose venosa.

Segundo ainda o boletim médico, o presidente volta a se alimentar por via oral de forma paulatina, após avaliação médica que será feita diariamente.

IMG-20190128-WA0226

 

O ministro blindado
Por Arthur Cunha
Colombiano naturalizado brasileiro, Ricardo Vélez Rodríguez aparenta ser um homem educado. Foi assim que ele se comportou, ontem, durante as horas em que esteve no Cinema do Museu, no Recife, para empossar Alfredo Bertini na Fundação Joaquim Nabuco. A Fundaj é ligada ao Ministério da Educação, pasta para qual Vélez foi nomeado pelo presidente Jair Bolsonaro atendendo a uma indicação de Olavo de Carvalho, filósofo-ideólogo-guru-mor do Bolsonarismo. Um pouco tímido, de movimentos calculados, fez questão de cumprimentar a todos que a vista alcançava. Quando teve a palavra, falou pouco (cerca de seis minutos) e preferiu enaltecer unanimidades, dando uma aula sobre a contribuição de Gilberto Freyre e de Nabuco para entendermos o Brasil de ontem e de hoje. Evitou, contudo, mais uma polêmica, a exemplo da sua entrevista ao jornal Valor Econômico.

Tudo dentro do script para a primeira visita de um ministro de Jair Bolsonaro a Pernambuco. Inclusive, pela blindagem que equipe do MEC impôs, impedindo Vélez de dar entrevista ao final do ato, quando ele seria questionado por que considera as universidades espaços para uma “elite intelectual” e não para todos? Uma declaração que lhe rendeu uma chuva de ataques, sobretudo de políticos do PT. Ou como ele vê a influência de Olavo de Carvalho no governo? Ou, ainda, o que ele achou do erro de português cometido pelo presidente do Inep , Marcos Vinícius Carvalho Rodrigues, que não soube aplicar o plural da palavra “cidadão”? Ficou a imagem superficial de um ministro cuja assessoria tenta impedir que ele fale besteira.

Na fala oficial, quando o assunto era Gilberto Freyre, ele deu show. “Com Gilberto vamos encontrar, certamente, uma Sociologia que tenta abarcar a realidade brasileira como totalidade. Duas grandes áreas de reflexão e da pesquisa: o homem rural em ‘Casa Grande e Senzala’; e o homem urbano, em ‘Sobrados e Mucambos’. Encontramos, portanto, um arquétipo da reflexão científica que nos possibilita aprofundar a diversidade que é a nossa sociedade. Encontramos uma previsão holística da realidade brasileira que se distancia das visões diacrônicas ou das visões que tentam simplificar nossa realidade”, explicou Vélez, na presença de familiares do sociólogo.

E seguiu o ministro: “Perante essa globalização, certamente Joaquim Nabuco nos apresenta uma visão corajosa das nossas relações internacionais. Cogita a presença do Brasil no mundo à maneira corajosa e destemida como os navegadores portugueses colocaram a pequena nação Portugal no contexto universal”, argumentou Vélez, arrancando aplausos da plateia, que saiu do evento com a certeza do seu conhecimento sobre os dois pernambucanos ilustres; mas impedida de saber suas opiniões a respeito de outros temas tão importantes para o Brasil do presente.

Olhar para o futuro – Ao contrário do ministro da Educação, o novo presidente da Fundaj, Alfredo Bertini, citou nominalmente o nome de Jair Bolsonaro no seu discurso. Bertini se comprometeu com o resgate da perspectiva histórica do órgão. Destacou um olhar para o futuro sem perder as referências do passado, em uma ação com três vértices: Fundaj, Sudene e Banco do Nordeste. Mostrou conhecimento e já deixou claro que tem um norte para a fundação.

 

IMG-20190128-WA0227

Parcerias – Antes do evento na Fundaj, Ricardo Vélez foi ao Palácio reunir-se com o governador. Em pauta, parcerias na Educação. À tarde, Paulo Câmara foi à Brasília, onde teve audiência com o titular da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas. O socialista foi bem recebido pelo ministro, de perfil técnico. Na próxima semana, as equipes dos dois se reunião para tratar da autonomia de Suape, Transnordestina e da duplicação de um novo trecho da BR-232.

Na cartilha – A posse de Alfredo Bertini na Fundaj seguiu a cartilha do novo governo. O fundo de palco já continha a marca da gestão aplicada em um painel com uma foto de Gilberto Freyre, criador da fundação. Todos de pé em “posição de respeito” para os hinos de Pernambuco e do Brasil, bem como a presença de uma interprete de Libras. Participaram, além da família do dirigente, os ex-governadores Joaquim Francisco, que colocou Bertini na política, e Gustavo Krause; reitores, secretários e servidores.

IMG-20190128-WA0228

 

Best-seller intergaláctico – A coluna apresenta a você, nobre leitor, uma grande promoção deste best-seller intergaláctico da foto. Para traduzir a magnitude da obra, ninguém melhor que a própria biografada. “Só repasso porque o livro é ótimo e está na promoção. De 39,90 por R$ 2,99. Eu não acho que quem comprar ou quem perder de comprar, nem quem comprar nem perder de comprar, vai comprar ou perder de comprar. Vai todo mundo perder se comprar!”
Curtas –
CHUVAS – Chegará o dia em que vai se chover neste estado e as cidades estarão preparadas para a água que cairá. Por enquanto, infelizmente, ainda reina o mesmo despreparo de sempre das gestões municipais, do Litoral ao Sertão. Essa foi a realidade mais uma vez observada, ontem, com as fortes chuvas registradas. As imagens que circularam durante todo o dia comprovaram o perrengue.

REZA OU AGOURO? – Renan Calheiros utilizou o Twitter para dizer que estava rezando pela saúde de Jair Bolsonaro durante a cirurgia de retirada da bolsa de colostomia. Citou que também estava em Brasília no dia em que Tancredo Neves morreu. Aí eu pergunto: é reza ou agouro? Em tempo: a cirurgia transcorreu bem, apesar de mais demorada do que o normal.

APLICATIVO – Na moda do aplicativo, o deputado federal eleito Fernando Rodolfo vai lançar um aplicativo pelo qual os usuários poderão acompanhar os gastos do seu gabinete; e sugerir propostas que podem virar projetos de lei caso obtenham o apoio de outros dez mil usuários. É tipo assim: ganhou muita curtida pode virar lei. Imagina se a moda pega…

Perguntar não ofende: até quando os municípios vão sofrer com falta de estrutura em decorrência das fortes chuvas que caem no estado?

Governador se reuniu, nesta segunda, com ministro da área, que recebeu os pleitos como prioridade

PC E MIN INFRA

 

Postado por Marcos Lima Mochila

 

O governador Paulo Câmara apresentou na tarde desta segunda-feira (28/01) ao ministro da Infraestrutura,  Tarcísio Gomes de Freitas, os pleitos estratégicos de Pernambuco para os próximos quatro anos. A retomada das obras da Ferrovia Transnordestina e ações estruturadoras nos Portos de Suape e do Recife foram recebidas como prioridade pelo ministro, que concordou com a posição de Câmara, de que é preciso encerrar o contrato com a concessionária da ferrovia e iniciar um novo ciclo com a retomada das obras.

“A Transnordestina é uma ferrovia fundamental para Pernambuco, Piauí e Ceará. Precisa ser concluída para estabelecer um novo parâmetro para esse eixo de desenvolvimento importante para o Nordeste e o Brasil”, afirmou o governador.

O ministro da Infraestrutura asseverou que está ao lado dos governadores e que vai buscar uma solução para o caso. “Vamos juntos com os governadores ao TCU (Tribunal de Contas da União)”, atestou.

Tarcísio Gomes de Freitas também escalou um auxiliar para acompanhar cada um dos pontos levados pelo governador ao encontro. Na próxima semana, por exemplo, o secretário Nacional de Portos, Diogo Tonietti, receberá o secretário de Desenvolvimento Econômico, Bruno Schwambach,  para tratar dos temas relativos aos Portos de Suape e do Recife.  Com relação ao Aeroporto do Recife, o ministro informou que o terminal será leiloado no próximo dia 15 de março.

Além do governador Paulo Câmara e do secretário Bruno Schwambach,  participaram da reunião os secretários Alexandre Rebelo (Planejamento e Gestão), Fernandha Batista (Infraestrutura e Recursos Hídricos), Marcelo Bruto (Desenvolvimento Urbano) e Antonio Figueira (Assessoria Especial) e o presidente de Suape, Leonardo Cerquinho.

Fotos: Alberto Ruy/MInfra

Governador conversou, na manhã de hoje, no Recife, com o ministro Ricardo Vélez Rodríguez

PC COM MIN EDUC 1

Postado por Marcos Lima Mochila

 

O governador Paulo Câmara recebeu, na manhã desta segunda-feira (28.01), no Palácio do Campo das Princesas, o ministro da Educação Ricardo Vélez Rodríguez. Os dois trocaram ideias sobre a atual situação da Educação no Brasil e sobre os avanços de Pernambuco na área, nos últimos anos. O chefe do Executivo estadual apresentou ao ministro programas exitosos implementados no Estado que conquistaram visibilidade nacional, como o Ganhe o Mundo, o Programa de Educação Integrada e o PE no Campus. Os gestores aproveitaram a oportunidade para discutir a possibilidade de futuras parcerias para o fortalecimento do setor em Pernambuco.

PC COM MIN EDUC 3“A Educação é uma prioridade no nosso Governo, e Pernambuco tem mostrado ao Brasil como avançar na área. Hoje, temos a melhor Educação pública do País e vamos seguir trabalhando para melhorar ainda mais o ensino nas nossas escolas. O Governo Federal pode ajudar muito para atingirmos nossos objetivos, contribuindo para a ampliação do alcance de nossos programas e o reforço da educação nos municípios”, destacou o governador, afirmando que o ministro demonstrou interesse em um próximo encontro, dessa vez em Brasília, para alinhar parcerias.

O fortalecimento do Ensino Fundamental também foi pauta da reunião. Uma das prioridades da pasta para os próximos anos é a expansão do Programa de Educação Integrada. Atualmente, o projeto funciona em 15 municípios pernambucanos, por meio de parcerias com a rede municipal de ensino, articulando ações de melhorias como a implantação de escola integral nos anos finais do ensino fundamental, além de intervenções em projetos pedagógicos. A expectativa é de que, até 2022, 80 municípios sejam contemplados com esta ação.

Programas

Programa Ganhe o MundoCriado em 2012, o Programa Ganhe o Mundo já enviou, até o momento, mais de 6,5 mil estudantes do ensino médio da rede pública PC COM MIN EDUC 2estadual para países como Argentina, Estados Unidos, Espanha, Uruguai, Nova Zelândia, Chile, Canadá, Alemanha, Colômbia e Austrália. O próximo passo do programa será a implantação da modalidade de intercâmbio para estudantes de nível técnico e professores da rede pública.

Outro projeto pioneiro de Pernambuco que teve destaque na conversa foi o PE no Campus. Lançada em dezembro de 2017, a iniciativa garante apoio financeiro aos jovens de baixa renda aprovados em instituições públicas de ensino superior fora de sua cidade. As bolsas ofertadas são de R$ 950,00 para o primeiro ano do curso, e de R$ 400,00 no segundo ano.

PC COM MIN EDUC 5

 

O ministro Ricardo Vélez Rodríguez, na reunião com o governador, estava acompanhado de Alfredo Bertini que, posteriormente, seria empossado como presidente da Fundaj.

Também participou da reunião o secretário de Educação de Pernambuco, Frederico da Costa Amâncio.

__________________________________________________________

Outros compromissos do ministro em Pernambuco

Na agenda, Vélez também se reuniu com os reitores das universidades Federal e Rural de Pernambuco. Há uma preocupação, externada publicamente pela Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andifes) sobre a nomeação dos reitores e reitoras das universidades. O Governo Federal poderá não nomear os primeiros colocados na lista tríplice, dos gestores eleitos. “Nossa preocupação é com a autonomia das universidades”, pontuou o reitor da UFPE, Anísio Brasileiro. De acordo com a reitora da UFRPE, Maria do Socorro, a escola dos gestores não pode ser atrelada a partidos políticos, no entanto, o assunto não foi discutido a fundo. O ministro da educação terá uma reunião hoje com a Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (Andif).

No final da manhã, o ministro empossou o professor e publicitário Alfredo Bertini como o novo presidente da Fundaj, antes de voltar para Brasília, convocado às pressas para uma reunião sobre o acidente de Brumadinho (MG).

Fotos: Hélia Scheppa/SEI

A solenidade contou com a presença do Ministro da Educação Ricardo Vélez Rodriguez

Posse do novo presidente da Fundaj, Alfredo Bertini (Foto: Arthur Mota/Folha PE)
Posse do novo presidente da Fundaj, Alfredo Bertini (Foto: Arthur Mota/Folha PE)

Por Marcos Lima Mochila

 

Numa solenidade bastante prestigiada, que contou com a presença de dois ex-governadores de Pernambuco – Joaquim Francisco e Gustavo Krause -, do secretário de Educação de Pernambuco, Frederico da Costa Amâncio, além de diversas autoridades e personalidades da área cultural do Estado, o professor e pesquisador Antonio Alfredo Bertini de Torres Bandeira tomou posse na manhã desta segunda-feira (28), como o novo presidente da Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj). A cerimônia foi realizada no auditório do Cinema do Museu, campus Casa Forte, que estava completamente lotado.

A solenidade contou com a presença do ministro da Educação Ricardo Vélez Rodriguez, que veio ao Recife especialmente para dar posse a Bertini, embora tenha incluído outros compromissos na agenda, como um encontro com o governador Paulo Câmara e uma reunião com os reitores das universidades Federal e Rural de Pernambuco. Ontem, ele já havia participado do Domingo na Fundaj, evento realizado no campus Derby da Fundação Joaquim Nabuco.

Às 15h, estava programada uma visita ao Engenho Massangana, no Cabo de Santo Agostinho, mas teve que ser cancelada por conta da chuva que caiu na Região Metropolitana esta manhã, além de uma convocação para retornar a Brasília para uma reunião extraordinária sobre o rompimento da barragem em Brumadinho (MG).

“Este desafio que me foi dado pelo ministro da Educação, pelo presidente Bolsonaro, me deixou bastante honrado. E eu firmo o compromisso de resgatar a Fundação, dar de volta à Fundação a importância que, historicamente, foi dada ao tripé formado com a Sudene e o Banco do Nordeste”, disse Bertini. “A Fundação tem uma tradição na sua área de pesquisa, de ensino, que a gente precisa direcionar para essa política de desenvolvimento, dar essas prioridades estabelecidas pelo Governo Federal e também pelo Ministério da Educação”, continuou.

“Fomos a terceira instituição do Brasil a fazer um estudo sobre índice de inflação, cálculo da taxa de desemprego. Temos que trazer de volta a força que a Fundação representou no País dentro da visão de novas perspectivas em relação às prioridades do Nordeste”, acrescentou.

Sobre os equipamentos culturais, Bertini assegurou que os trabalhos permanecem como prioridade da instituição, até por sua experiência no Ministério da Cultura, como Secretário Nacional do Audiovisual, e posteriormente como Secretário Nacional de Infraestrutura Cultural. Na área de Educação, Bertini colocou-se à disposição do Governo Federal. “Há uma pesquisa de avaliação dos cursos de Matemática, sobre o nível de ensino do Nordeste e podemos contribuir nessa direção”, afirmou Bertini.

Em um discurso breve, o ministro Ricardo Vélez fez menção ao antropólogo e historiador Gilberto Freyre, criador da Fundaj, e ao escritor e diplomata Joaquim Nabuco, patronos da instituição. “Eles representam os arquétipos para a construção da nossa memória cultural. Em Gilberto Freire encontramos uma visão holística da realidade brasileira que se distancia das visões que tentam simplificar nossa realidade. Ele tenta explicar nossa diversidade, nossa identidade”, afirma. “Com Joaquim Nabuco vamos encontrar a visão global. Não se trata de copiar fórmulas já estabelecidas, de copiar pautas internacionais, mas de não negar uma realidade óbvia que é a globalização”, concluiu. Segundo o ministro, todas as pesquisas e atividades promovidas pela Fundaj terão o papel de lembrar ao País essa dupla realidade citada através destes dois grandes nomes.

O último compromisso do ministro no Estado, uma visita ao Engenho Massangana, no Cabo de Santo Agostinho, teve que ser cancelado. Além da forte chuva na capital pernambucana, o ministro foi convocado para retornar a Brasília para uma reunião extraordinária sobre o rompimento da barragem em Brumadinho, em Minas Gerais.

______________________________________________________________

Perfil

POSSE BERTINI ANTESBertini é recifense nascido no Derby. Ele atua há mais de 25 anos na área de audiovisual e recebeu da Assembleia Legislativa de Pernambuco a Medalha de Mérito Cultural Gilberto Freyre pela contribuição ao desenvolvimento da Cultura no Estado de Pernambuco.

O Festival de Cinema do Recife, hoje conhecido como Cine-PE, trouxe fama a Bertini, que também contribuiu para a gestão pública federal como Secretário Nacional do Audiovisual do Ministério da Cultura em 2016. Mais tarde, retornou ao Ministério no cargo de Secretário Nacional de Infraestrutura Cultural, quando operou a gestão do projeto de implantação dos Centros de Artes e Esportes do Governo Federal (CEU’s).

É também autor de diversos artigos e obras, como “O Seguro-Desemprego no Brasil”, tese que garantiu seu grau de mestrado, e livros como Economia Brasileira (1985), Quando o Caso é de Cinema, a Paixão é um Festival (2006) e Economia da Cultura (2008), esse último representando um exercício pioneiro na área atualmente denominada de indústria criativa.

(Fonte: Diário de Pernambuco)

IMG-20190128-WA0016
O deputado federal Fernando Monteiro (PP) esteve, na manhã deste sábado (26), em Itamaracá, no Litoral Norte de Pernambuco, para participar da Buscada da imagem de Nossa Senhora do Pilar, padroeira da Ilha. Considerado o principal evento religioso da cidade, o festejo ocorre todos os anos no último final de semana de janeiro.

Ao lado do prefeito da Ilha, Mosar Tato; do deputado estadual Uchoa Júnior; da primeira dama da Ilha, Giovana Uchoa; do prefeito de Itaquitinga, Geovani de Oliveira, e dos vereadores Germano Andrade e Ferrugem, entre outras lideranças, Fernando Monteiro reforçou a importância da fé e da preservação da cultura pernambucana, com “um povo guerreiro que se mostra incansável na luta pela superação das dificuldades e que não mede esforços para alcançar seus objetivos através de sua crença inabalável e disposição para o trabalho. Me sinto honrado em participar desse momento tão significativo”.

IMG-20190128-WA0017

 

IMG-20190127-WA0069

A redenção do Semiárido nordestino
Por Arthur Cunha
O início da nova Legislatura no Congresso Nacional é, também, um momento mais do que oportuno para reacendemos o debate sobre a instalação da Zona Franca do Semiárido, a Proposta de Emenda à Constituição 19/2011, de autoria do deputado paraibano Wilson Filho e relatoria do pernambucano Gonzaga Patriota. A zona de livre comércio, nos moldes da de Manaus, será a redenção do povo nordestino. Vai melhorar a qualidade de vida do sertanejo, ainda hoje muito prejudicado pela falta de apoio do Poder Público e pelas altas taxas tributárias, além da dificuldade de acesso ao crédito.

Embaixador da Zona Franca do Semiárido, o empreendedor social Antonio Souza explica as vantagens. “Essa intervenção se converte em uma saída para o trabalhador da zona rural. Entre os seus principais benefícios estão as oportunidades de emprego a serem geradas. O projeto já passou por várias etapas, e, agora, está esperando a pauta para votação na Câmara. Ao todo, mais de 90 municípios devem ser beneficiados com a criação da Zona Franca do Semiárido, que contará com 31.416 quilômetros quadrados, área 737 vezes maior que a de Manaus”, argumentou.

Antonio Souza também atentou para o incremento na geração de empregos e incentivos fiscais para as empresas da região, o que estimulará as práticas comerciais nacionais e internacionais sem a existência de tarifas alfandegárias. “A estruturação se dá com a implantação de empresas, mas, primeiro, com o incentivo e apoio às organizações já existentes; não somente às empresas, bem como aos serviços das indústrias, comércio e agricultura”, destacou.

O empreendedor social detalhou ainda outras vantagens da PEC, a exemplo da questão tributária com investimentos em infraestrutura e apoio logístico para melhorar a malha viária e as ferrovias. “Nossos aeroportos regionais vão funcionar para facilitar o escoamento da produção. Vamos trazer desenvolvimento para o nosso Sertão e para Pernambuco como um todo. É imprescindível a chegada de políticas de desenvolvimento econômico e social que transformem a vida do sertanejo para melhor, garantindo milhões de novos empregos e desenvolvimento regional. Esse é um sonho que se tornará realidade quando essa iniciativa sair do papel”, concluiu Antonio Souza.

IMG-20190127-WA0070

Fantasmas de Carpina – Em Carpina, o clima eleitoral já está pegando fogo. O ex-prefeito Joaquim Lapa utilizou suas redes sociais para denunciar o atual gestor da cidade, Manuel Botafogo. Segundo Lapa, Botafogo desviava dinheiro do seu gabinete quando era deputado estadual por meio de seis funcionários fantasmas. Por outro lado, a conversa em Carpina era que o próprio Lapa foi uma espécie de fantasma na gestão de Carlinhos do Moinho: era nomeado secretário de Administração só no papel porque na prática não exercia a função. Ui.

Nepotismo em Bom Jardim – Mais denúncias chegam todos os dias ao WhatsApp Cidadão da coluna, o (81) 99198-0838, de prefeitos que nomeiam filhos e parentes em cargos de destaque nas suas administrações. Um leitor atento informou que o prefeito de Bom Jardim, João Lira, nomeou o filho Edgar Lira, que não teria formação alguma, para a Secretaria de Infraestrutura. A sobrinha do gestor, Elizângela Moura, já fica responsável pela chave do cofre, a Secretaria de Finanças.

Alô, Ministério Público! – A lista em Bom Jardim segue ainda com o cunhado do prefeito João Lira, Edvan Barros, secretário de Governo; além de sobrinhas em direções e coordenações de escolas. E o pior, segundo o leitor: familiares na folha de pagamento do município que sequer trabalham. Alô, Ministério Público! Vereadores de oposição e populares já fizeram denúncias ao órgão. O MP tem recomendado aos prefeitos que exonerem seus parentes.

IMG-20190127-WA0071

A Grande Família – A piada é que Bom Jardim é a versão pernambucana da Grande Família. O prefeito não faz reunião de secretariado, faz encontro familiar. Imagina se um parente eleitor do PT começa a brigar com outro, que votou em Bolsonaro. E teve amigo secreto no final do ano? As redes sociais do município estão repletas de críticas. Com a palavra, o senhor prefeito! Lembrando que, infelizmente, o STF permite esse tipo de prática. Mas, nem tudo que é legal, é moral e ético.

Curtas –

SUPERFATURAMENTO – Um eventual excesso de preço em contratos da Prefeitura de Tracunhaém e a empresa Malta Locadoras de Veículos motivou a Segunda Câmara do TCE a expedir uma Medida Cautelar suspendendo as transações. Foram relatados pagamentos de despesas não comprovadas no valor de R$ 389.700,00 com a utilização de veículos entre os meses de junho e dezembro de 2017.

É CRISE – A cada semana são reveladas novas relações e movimentações suspeitas de Fabrício Queiroz, ex-assessor do deputado estadual e senador eleito Flávio Bolsonaro. O filho do presidente se afunda cada vez mais lama, e, apesar das tentativas do Planalto, vai comprometendo também o novo governo. A crise virou das grandes.

DIVERGENTE – Adotando um tom moderado de discurso, diametralmente oposto ao presidente Bolsonaro, o General Mourão está marcando terreno e mostrando que não será um vice decorativo. Até aí tudo bem. O problema é ele começar a gostar de ser protagonista. A história recente do país está aí para nos alertar.

Perguntar não ofende: As igrejas no Brasil deveriam pagar imposto em decorrência da quantidade de dinheiro que movimentam?

IMG-20190125-WA0315

Armando fica na política. Mas não revela futuro
Por Arthur Cunha
A cinco dias do término do seu mandado, o senador Armando Monteiro Neto garantiu que não deixará a política, como oposicionistas têm comentado em reserva. Em nota, o petebista chamou de “especulações” as informações às quais a coluna teve acesso sobre sua eventual aposentadoria após duas derrotas seguidas para governador. O parlamentar adiantou que vai intercalar a vida pública com atividades privadas a partir de fevereiro. Em seguida, foi para cima dos que falam dele nas sombras. “A fonte, portanto, carece de idoneidade”, cravou.

“Devido ao resultado do processo eleitoral de 2018, estarei, a partir de 1º de fevereiro, circunstancialmente, sem mandato. Ainda que, a partir de agora, me dedicando também à atividade privada, não vou me ausentar da vida pública. Estaremos ao lado dos companheiros que integram as forças de oposição no estado e participaremos das próximas eleições de 2020, apoiando os candidatos ao pleito em todas as regiões do estado”, afirmou o senador, na nota.

No entanto, quando questionado qual seu roteiro após deixar a Casa Alta, e se irá mesmo passar um tempo em Portugal, Armando deu uma resposta evasiva, por meio de sua assessoria, repetindo, basicamente, o que já havia dito na nota. “Após o final do mandato, o senador vai se dividir entre atividades privadas e articulação política de oposição em Pernambuco”, informou, sem revelar quais serão essas “atividades privadas”, o que, vale salientar, está no seu direito, já que são privadas e não públicas.

Este colunista também perguntou ao senador, via assessoria, se ele pretende disputar mandato eletivo novamente; e se a Prefeitura do Recife é uma opção. Como resposta, Armando pontuou que “a disputa de um novo mandato gira em torno de discussões e alianças que não passam pelo momento atual”. “Em hora oportuna, o pleito de 2020 deverá ser discutido entre as forças políticas da oposição no estado”, encerrou.

Para bom entendedor… – Com sua nota à coluna, Armando Monteiro deixou claro para os que torciam pela sua aposentadoria que ele continua, sim, na política. Ao não se posicionar com clareza sobre a eleição do Recife – nem confirmou, nem negou uma eventual candidatura -, o petebista passou o recado de que não vai adiantar seus movimentos. Ficou no ar. Certeza mesmo só que ele está no jogo. E pela oposição. Amigos, 2020 já começou!

IMG-20190125-WA0194

A volta dos que não foram –  Sem espaço em Jaboatão dos Guararapes, depois de ter amargado um péssimo resultado nas urnas da cidade que governou por duas vezes, Elias Gomes está de malas prontas para voltar ao Cabo de Santo Agostinho, e disputar um terceiro mandato de prefeito no município. Do jeito que vai, é bem capaz dele quebrar a cara de novo.

IMG-20190125-WA0193

Rodízio – Um ator relevante da oposição, e de fora da Assembleia Legislativa, observa que os deputados estaduais Marco Aurélio Medeiros e Priscila Krause devem chegar a um acordo de rodízio sobre a liderança da oposição na Alepe. Cada um ficaria dois anos no posto – só precisa saber quem virá primeiro. Priscila tem um perfil mais técnico, vai cascavilhar dados e números. Já Marco Aurélio é mais boca no trombone.

Virado articulando – Enquanto o acordo não é sacramentado, Marco Aurélio segue virado articulando para garantir a liderança da oposição. Silvio Costa Filho já teria assegurado o voto do irmão, João Paulo Costa, para o novato. Dizem que até Mendonça Filho, presidente do partido de Priscila Krause, já foi convocado para fazer a correligionária topar o pacto. Lembrando que Marco Aurélio será uma das vozes de FBC na Alepe.

Curtas –

REFLITAMOS – O prefeito de Floresta, Ricardo Ferraz, enviou nota à coluna onde, em tom professoral, pede uma “reflexão” para se entender os fatos que podem levar a um pedido de Intervenção. Resumindo: disse que prorrogou o prazo de concurso na cidade; que tem menos contratados que a gestão anterior (Alô, Rorró Maniçoba!); e que o TCE negou a Medida Cautelar contra ele.

JARBISMO – Presidente do MDB em Pernambuco, Raul Henry assina a ficha de filiação da deputada estadual Terezinha Nunes ao partido nesta segunda, na sede da legenda, ‪às 12h‬. Jarbas Vasconcelos, de quem ela foi secretária quando governador, participará. Terezinha pode concorrer a uma vaga na Câmara do Recife, em 2020.

VIROU VIDRAÇA – Ser oposição tem seu lado bom: você pode atacar o governo sem pena. Era o que Jair Bolsonaro fazia antes de ganhar a eleição. Hoje, o presidente lamenta a aliados o fato de estarem batendo muito no filho Flávio como uma forma de atingi-lo. Virou vidraça…

Perguntar não ofende: É impressão minha ou Mourão tem dado declarações mais lúcidas que Bolsonaro?

Fechar