NOTÍCIAS DE BRASÍLIA1

 

 

No país, apenas 2,5% dos cursos de graduação avaliados em 2017 tiveram bons resultados junto ao Inep
Brasília (DF), 16/03/2017  Cenas UNB Local: Universidade de Brasília Foto: Felipe Menezes/Metrópoles
Local: Universidade de Brasília (Foto: Felipe Menezes/Metrópoles)
Felipe Menezes/Metrópoles/Agência Brasil

 

A Universidade de Brasília (UnB) foi a única instituição de ensino superior do Distrito Federal a obter nota máxima do Ministério da Educação (MEC). No Brasil, apenas 2,5% dos cursos de graduação analisados em 2017 tiveram desempenho máximo em avaliação realizada para o MEC pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), a fim de medir a qualidade das instituições. Os dados são referentes ao Conceito Preliminar de Curso (CPC), divulgado nesta terça-feira (18/12), pela autarquia.

O CPC classifica os cursos em uma escala de 1 a 5. O conceito 3 reúne a maior parte dos cursos. Aqueles que tiveram um desempenho menor que a maioria recebem conceitos 1 ou 2. Já os que tiveram desempenho superior à maioria recebem 4 ou 5.

Em 2017, apenas 2,5% dos cursos avaliados obtiveram o conceito máximo. Outros 36,3% ganharam conceito 4. A maioria dos cursos – 52% – obteve conceito 3; 9,1% obtiveram conceito 2, e 0,4% obteve conceito 1, o menor na escala de qualidade.

Considerando as modalidades de ensino, mais cursos presenciais obtiveram conceitos superiores a 3: 39%. Entre os cursos a distância, 30,6% obtiveram conceitos 4 ou 5.

Critérios

Ao todo, 10.210 cursos tiveram o CPC em 2017. Ele é calculado a partir da nota dos estudantes no Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade); do Indicador de Diferença entre os Desempenhos Esperado e Observado (IDD) – que mede o quanto o curso de graduação agregou ao desenvolvimento do estudante – ; do perfil dos professores, que leva em consideração o regime de trabalho e a titulação; e do questionário aplicado aos estudantes sobre as percepções do processo formativo.

A cada ano, um grupo diferente de cursos é avaliado. Em 2017, foram analisadas as seguintes áreas com cursos de bacharelado e/ou licenciaturas: arquitetura e urbanismo; artes visuais; ciência da computação; ciências biológicas; ciências sociais; educação física; filosofia; física; geografia; história; letras inglês; letras português; letras português e espanhol; letras português e inglês; matemática; música; pedagogia; química e sistema de informação.

Também foram avaliados cursos de engenharia e engenharias ambiental; civil; de alimentos; de computação; de controle e automação; de produção; elétrica; florestal; mecânica e química, além dos cursos superiores de tecnologia nas áreas de análise e desenvolvimento de sistemas; gestão da produção industrial; gestão da tecnologia da informação e redes de computadores.

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Fechar