IMG-20180813-WA0032Geraldo Alckmin, candidato do PSDB à Presidência da República, participou de sabatina nesta tarde na redação de ISTOÉ. Ex-governador de São Paulo, o candidato conta com o apoio do Centrão, grupo de partidos que inclui PP, PR, PRB, DEM e Solidariedade.

Sobre as eleições, Alckmin disse estar confiante mesmo com a concorrência de Jair Bolsonaro pelos votos de centro-direita. “Nem tenho certeza se ele vai para o segundo turno”, disse o candidato do PSDB. Sobre a corrida eleitoral no Nordeste e Norte, o candidato reforçou a importância das alianças. “Teremos ao nosso lado 52% dos prefeitos do Brasil, e nossas alianças vão fornecer palanques competitivos nos estados do Norte e do Nordeste”, afirmou.

Alckmin falou também sobre as críticas que recebeu ao se aliar aos partidos do Centrão. “Todos os partidos têm bons quadros. Alianças são necessárias não só para ganhar a eleição, mas sim para governar e fazer as reformas de que o Brasil precisa. Todo mundo tentou fazer aliança. Fizemos aliança sem dar nada, ninguém nos pediu nada. Escolhi a vice que eu quis”, disse o candidato. Ele disse ainda que pretende formar alianças com base em programa de governo. “Nada de cooptação de parlamentares. Isso é coisa do PT”, disse o candidato.

Reformas

Caso eleito, Alckmin diz que fará reformas. “Medidas como reforma política, simplificação tributária e reforma da Previdência são fundamentais para o País. Pretendo apresentar meu plano de reformas no primeiro dia de governo e aprová-las rapidamente, nos primeiros seis meses”, disse o candidato.

Isto É

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar