IMG-20180810-WA0024

Militando na causa de defesa dos animais e do meio ambiente há mais de 20 anos, Manoel Tabosa, que vai disputar pela primeira vez uma vaga a deputado estadual pelo Partido Humanista da Solidariedade (PHS), entra na disputa ao lado do pré-candidato a deputado federal pelo Partido Progressista (PP), Fernando Monteiro. O ambientalista, que se afastou da presidência da Associação de Defesa do Meio Ambiente de Pernambuco (Ademape) para disputar o pleito, tem como principais bandeiras de campanha causas como a extinção de veículos de tração animal, com a adequação do uso de bicicletas pelos carroceiros.

“Hoje, em Jaboatão dos Guararapes, 1.200 pessoas sobrevivem com esta forma de locomoção. No Recife, são 5 mil. Na capital pernambucana já existe lei municipal sobre o assunto, sancionada pelo prefeito Geraldo Julio, mas nunca regulamentada. Isso precisa mudar”, atesta o ambientalista, que tem milhares de seguidores nas redes sociais. Entre as postagens, denúncias de animais agonizando e até morrendo por exaustão e fome.
O risco de zoonoses é outro ponto levantado pelo pré-candidato como necessidade de ações preventivas urgentes e que, segundo ele, não são levadas a sério como deveriam.

“Já fizemos várias notificações oficiais junto ao Ministério Público e secretarias de Saúde sobre o aumento considerável de cavalos com sintomas da doença, conhecida como mormo ou lamparão, e do risco de um surto da enfermidade. Trata-se de uma doença infecciosa causada por bactéria. Quando infectados, os animais apresentam manchas vermelhas no pescoço e na barriga, com secreção pelo nariz, que pode chegar a sangramentos. Esta doença, facilmente adquirida pelos humanos em contato com estes animais, não tem cura. Ela é tão grave que exige que os animais infectados sejam eutanasiados e incinerados, entre uma série de outras normas de segurança. É preciso que se leve o assunto a sério e que se criem normas de fiscalização e controle pelos centros de vigilância ambiental”, destaca Tabosa.

A criação de unidades de triagem do lixo também está nas propostas encabeçadas pelo ambientalista, que vê neste ponto a possibilidade de melhoria de vida de pessoas que sobrevivem dos materiais descartáveis. “Hoje, 90% dos rejeitos que podem ser reutilizados para outros fins vão parar nos aterros pela falta de uma política focada no tema. Só Jaboatão produz 2.500 toneladas de lixo por dia. Isso precisa passar por triagem, pelo bem do meio ambiente e das famílias que sobrevivem dos reciclados”, pontua Tabosa.

A aliança com Fernando Monteiro é vista pelo pré-candidato a deputado estadual como fundamental para a execução de projetos necessários e urgentes. “Com o apoio de Fernando, certamente poderemos tirar do papel questões necessárias para a saúde pública e melhoria da qualidade de vida e do meio ambiente em Pernambuco”, atesta o ambientalista.

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Fechar