Teotônio Vilela Filho contraria partido, que se aliou ao senador na disputa em Alagoas

images

Um dia depois de de o senador Fernando Collor (PTC) se lançar na disputa pelo governo de Alagoas, começam a surgir as primeiras fraturas na frente oposicionista montada em torno do ex-presidente da República.

Principal nome do PSDB no estado, o ex-governador de Alagoas Teotônio Vilela Filho (PSDB) emitiu uma nota nesta segunda-feira (6) na qual afirma que não irá apoiar nem votar em Collor na eleição deste ano.

PSDB aliou-se a Fernando Collor e indicou o vereador de Maceió Kelmann Vieira para compor a chapa como candidato a vice-governador.

“Desde o primeiro instante, manifestei minha posição contrária a aliança do PSDB com o PTC de Collor, sobretudo pela forma impositiva como ela ocorreu. Meus correligionários sabem que não voto em Collor em nenhuma hipótese”, afirmou Vilela.

Apesar da crítica, o ex-governador evitou criticar a decisão do presidente estadual do PSDB, o prefeito de Maceió Rui Palmeira, de firmar a parceria. Disse que entende a decisão de firmar a aliança diante da necessidade de uma coligação eleitoral viável para os candidatos a deputado.

Também contrário à aliança, o candidato ao Senado Rodrigo Cunha (PSDB), postou um vídeo nas redes sociais no qual, sem citar Collor diretamente, afirma que tocará sua campanha de maneira independente.

“Infelizmente, nosso atrasado sistema político gera muitas confusões na mente dos eleitores, como se fôssemos todos farinha do mesmo saco”, disse Cunha, que vai dividir a chapa com Collor, mas não o mesmo palanque.

Governador de Alagoas entre 1987 e 1989, Collor vai disputar o cargo pela terceira vez. Vai enfrentar nas urnas o governador Renan Filho (MDB), de quem foi aliado nos últimos quatro anos, inclusive com indicações para secretarias estaduais.

 

Folha de São Paulo

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Fechar