IMG-20180802-WA0180

Movida pela vontade de amenizar as dificuldades enfrentadas pelas pessoas que trabalham com a produção de farinha em Feira Nova, Juliana Chaves, líder da oposição, é responsável por encabeçar Projeto Social que atende cerca de 200 famílias. Intitulado de Programa da Sopa nas Casas de Farinha, o projeto que atende mais de 200 famílias que trabalham em 7 casas de farinha do município, surgiu através de visitas às raspadeiras de mandioca, realizadas por Juliana Chaves.

Em entrevista concedida ao Blog Folha de Feira Nova, ela nos relatou a seguinte experiência: “Eu sempre tive muita vontade de escutar as histórias dessas pessoas e percebi que muitas famílias chegam de madrugada para raspar mandioca e, por volta das 7h00 ou 8h00 da manhã, muitas estão com fome. Algumas levam a sua marmita, outras não têm o que comer, infelizmente. Eu pude ver de perto o sofrimento delas e perceber o esforço dessas pessoas em manter suas casas, sair cedo para trabalhar e buscar o seu sustento.”

Realizada desde março deste ano, a distribuição da sopa é feita de terça a sexta-feira, por volta das 7h30 ou 8h00 da manhã. Na terça-feira, a distribuição é realizada na casa de farinha de Biu Queixada, no Maria das Neves. Na quarta-feira, a sopa é distribuída em Zé Lorde, nas intermediações da Rua do Cajá e, em seguida, na casa de farinha de Marilene, no Loteamento Sebastião Galdino. Na quinta-feira, na casa de farinha de Antônio Justino, localizada na comunidade Lagoa do Sapo e, depois, é entregue na casa de farinha de Zaqueu, na COHAB. Na sexta-feira, a distribuição é feita na Vila do Ouro, na casa de farinha dos Quindingues e, em seguida, é realizada em outra casa de farinha na COHAB, gerenciada por Zito e Dedé.

IMG-20180802-WA0177

Além da distribuição da sopa não ser limitada, também é feita a entrega de pães, como uma forma de complementar o alimento. A ação é realizada com o apoio de voluntários que participam no preparo e na distribuição. Além da colaboração voluntária, o projeto conta com uma parceria composta pelo Deputado Estadual Isaltino Nascimento e pelo Deputado Federal André Ferreira que, segundo Juliana, não hesitaram em acolher e apoiar a ideia que ela os apresentou.

Questionada sobre o que motivou a escolha da sopa como o alimento que seria disponibilizado pelo programa, Juliana nos respondeu o seguinte: “Porque é um alimento que é rico em nutrientes e dá uma sustança para que as pessoas possam passar o dia trabalhando bem.” Sobre a realização do projeto, ela complementa: “A gente percebe que as pessoas ficam gratas. A gente vê a alegria delas, quando nos recebem… E isso é gratificante! Não há dinheiro no mundo que pague e eu fico muito contente. Eu só peço a Deus que ponha sempre a mão por cima e faça com que a gente consiga manter esse programa por muito tempo

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar