IMG-20180608-WA0111
Além disso, a Compesa volta a operar o Sistema Jucazinho, que estava em colapso por causa da seca.

Paulo Câmara destacou obras hídricas do Governo de Pernambuco

Os moradores de Caruaru e de dezesseis cidades do Agreste vão ter melhoria no abastecimento de água. O motivo do aumento do fornecimento é a volta da operação do Sistema Jucazinho, localizado em Surubim, a partir de domingo (10), por conta das chuvas que caíram na bacia do rio nas últimas semanas. O manancial estava em colapso desde o mês de setembro de 2016.

O anúncio foi feito pelo governador Paulo Câmara (PSB) depois de reunião com o presidente da Companhia Pernambucana de Saneamento (COMPESA), Roberto Tavares, que apresentou o resultado dos grandes investimentos realizados pelo Governo do Estado para voltar a operar o maior sistema de abastecimento da região, a Barragem de Jucazinho, em Surubim, com as chuvas deste ano. Foram aplicados recursos na ordem de R$ 800 mil.

Paulo Câmara disse que muitos recursos estão sendo encaminhados para a melhoria do abastecimento dágua nas cidades do Interior, depois de seis anos de seca intensa no Estado. “Mesmo com as chuvas, pedi à equipe da Compesa para acelerar os investimentos em recursos hídricos. Trouxemos água da Mata Sul com o Sistema Pirangí, da Mata Norte com o Sirijí, estamos fazendo a Adutora de Serro Azul, acelerando a Adutora do Agreste e está na hora do povo sentir a melhoria do abastecimento no dia a dia”.

Com Jucazinho registrando 7% da sua capacidade total, que é de 327 milhões de metros cúbicos de água, a COMPESA pôde reorganizar o aproveitamento dos recursos hídricos disponíveis para atender vários municípios, conforme pedido do próprio governador.

“Desde o primeiro dia do nosso Governo, decidi priorizar o abastecimento de água, pois enfrentávamos uma longa estiagem. E assim foi feito. O planejamento do Governo, as novas obras que anunciamos e o retorno do período chuvoso estão permitindo que a gente possa reduzir o rodízio e melhorar a vida das pessoas. Já fizemos isso antes e vamos continuar com esse trabalho”, explicou o governador.

Com a volta do Sistema Jucazinho, terão melhorado o abastecimento as cidades de Toritama, Vertentes, Santa Maria do Cambucá, Vertente do Lério, Frei Miguelinho, Casinhas, Surubim, Passira, Cumaru, Riacho das Almas e Salgadinho. De forma indireta. também serão beneficiadas as cidades de Caruaru, Santa Cruz do Capibaribe, Agrestina, Altinho, Ibirajuba e Cachoeirinha.

RODÍZIO – Em Caruaru, a maior cidade da região, será possível aumentar o abastecimento. A cidade passará a receber água por meio de um regime de cinco dias com água e dez dias sem, saindo de um calendário de cinco dias com água e 15 dias sem. A população de Toritama, no Agreste Setentrional, que estava sendo atendida no regime de sete dias com água e 21 dias sem, agora terá um calendário de 15 dias com água e 15 dias sem. Para Vertentes, Santa Maria do Cambucá, Vertente do Lério, Frei Miguelinho, Casinhas e Surubim, o rodízio passou de dois dias com água e 28 dias sem, para sete dias com água e 21 dias sem.

O Governo de Pernambuco e a COMPESA investiram bastante para colocar novamente em operação o Sistema Jucazinho. Os trabalhos foram divididos em duas etapas. Na primeira, foram reativadas quatro estações elevatórias do sistema, que permitiram levar água para as cidades localizadas no tramo Norte e Sul. Também foram executados serviços mecânicos e elétricos de recuperação dos conjuntos de motobombas, dispositivos e equipamentos das unidades do sistema, além de manutenção na rede de distribuição.

Roberto Tavares informou como está sendo feita a captação. “Nesse primeiro momento, estamos captando 150 litros de água, por segundo, de Jucazinho. Já no mês de agosto, teremos condições de ampliar a retirada de água da barragem para 300 L/s melhorando ainda mais o abastecimento em todas essas cidades”.

A segunda etapa dos trabalhos já foi iniciada e prevê, dentro de 60 dias, concluir serviços de melhorias e adequações da Estação de Tratamento de Água (ETA) de Jucazinho, que possibilitarão dobrar o volume de água tratada hoje na unidade – de 150 L/s passará para 300 L/s – aumentando assim a oferta de água para as cidades de Toritama, Vertentes, Santa Maria de Cambucá, Vertente do Lério, Frei Miguelinho, Casinhas e Surubim. “Dentro do nosso planejamento, o volume acumulado hoje em Jucazinho, que é de 22,3 milhões de metros cúbicos de água, é suficiente para atender as cidades pelo período de um ano, ou seja, até o inverno do próximo ano”, explicou Roberto Tavares.
Fotos: Divulgação/Compesa

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Fechar