1503_vacinacao_gado_8

Será iniciada na próxima semana, a a campanha de vacinação do rebanho de bovinos e bubalinos contra a febre aftosa em Pernambucano. A vacinação é a única forma de evitar a transmissão da doença, garantindo a imunização de todos os bois e búfalos do Estado. A medida é uma forma de manter o status de Pernambuco como livre de febre aftosa com vacinação, obtido em 2014. A expectativa é que pelo menos 90% do rebanho, que é de mais de 1,8 milhões, sejam imunizados na campanha.

O criador tem até 31 de maio para vacinar e declarar o seu rebanho no escritório da Agência de Defesa e Fiscalização Agropecuária de Pernambuco (ADAGRO) mais próxima. Nessa etapa, animais de todas as idades devem ser vacinados, incluindo os recém-nascidos. É importante que na hora da declaração o produtor, faça sua atualização cadastral, inclusive com o detalhamento do seu rebanho por sexo e idade.

O produtor deverá adquirir a vacina nas casas agropecuárias e declarar a vacinação nos escritórios da Adagro, órgão vinculado à Secretaria de Agricultura e Reforma Agrária (SARA). A dose da vacina custa em média R$ 1,50 e deve ser conservada em gelo. Para evitar o estresse dos animais, a vacina deverá ser aplicada nas horas mais frias do dia, pela manhã ou no fim da tarde.

O produtor que não vacinar ou declarar seus animais pagará multa e ficará impossibilitado de retirar a Guia de Trânsito Animal (GTA), documento necessário para transitar com o animal para eventos agropecuários, enviar animal para abate ou até mesmo vendê-lo para outro proprietário. Este ano a multa é de R$60,00 por animal e R$ 300,00 por propriedade.

INVESTIMENTOS – O Governo do Estado vem investindo mais de R$ 2 milhões por ano no combate à doença e, desde 2007, o estado não registra índice abaixo dos 90% –  mínimo exigido pela Organização Internacional de Epizootias (OIE). “Combater a febre aftosa traz benefícios sociais e econômicos para o Estado, garantido um produto de qualidade e uma pecuária forte, ampliando assim nosso potencial comercial”, relatou o governador Paulo Câmara (PSB), ao avaliar a importância dos investimentos feitos na campanha de vacinação.

Em maio deste ano o Brasil será reconhecido internacionalmente como área livre de febre aftosa com vacinação. O reconhecimento será possível graças à parceria de mais de 50 anos entre o Serviço Veterinário oficial e dos produtores rurais sempre comprometidos com a sanidade do rebanho.

FEBRE – A febre aftosa é uma enfermidade de fácil contágio pelo ar e, apesar de não levar à morte do animal, causa perdas significativas à criação. Além disso, ela é um dos principais entraves à exportação da carne. Os principais sintomas da febre aftosa são feridas na boca, nas glândulas mamárias e no casco.

O diagnóstico é feito ao observar a salivação excessiva e se o animal anda com dificuldade. Por não conseguir se alimentar, ele apresenta enfraquecimento e perda de peso.

O último registro de febre aftosa em Pernambuco foi em 1998.

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Fechar