IMG-20180418-WA0117
​O jornalismo pernambucano perdeu na semana passada, um de seus mais expressivos profissionais, Calazans Neto, que trabalhou em algumas das mais importantes empresas jornalísticas de Pernambuco e do Brasil, tendo sido presidente da Associação de Imprensa de Pernambuco (AIP), no período de 2055 a 2010 e atualmente, era conselheiro da entidade que congrega os jornalistas pernambucanos.
​Calazans Neto, de 70 anos, faleceu no dia 14 passado, no Hospital Santa Terezinha, onde estava internado por conta de uma infecção pulmonar. O velório aconteceu na capela do Cemitério Senhor Bom Jesus, em Santo Amaro no Recife, e o corpo foi sepultado no Mausoléu da AIP, no mesmo cemitério. Muitos jornalistas lamentaram profundamente o fato, todos reconhecendo a importância de Calazans como profissional de mídia, pois também atuava como Relações Públicas, e enfatizando o seu grande caráter e o extraordinário amigo e colega de trabalho, sempre pronto a ajudar. Também foi lembrada sua condição de grande companheiro nas horas de folga.
​Calazans Neto era um profissional de extrema competência tendo trabalhado no Jornal do Commercio e na sucursal da Editora Abril, contratado pela Revista Placar. Na área comercial, teve brilhante atuação na Revista Veja. Estava trabalhando para o Governo do Estado, onde fazia grande trabalho na Agência Pernambucana de Águas e Clima (APAC), como gerente de Articulação e Comunicação.
​PESAR – A morte de Calazans Neto foi muito lamentada pelos colegas, como Lenivaldo Aragão, que relembrou as grandes coberturas realizadas para a Revista Placar, na época, a principal publicação do País na área esportiva.
​O jornalista Márcio Maia também lamentou profundamente a morte do amigo, acentuando que Calazans era um profissional muito competente e que sabia fazer grandes amigos, sempre presente em todas as ocasiões.

 

O presidente da AIP, Múcio Aguiar, emitiu uma Nota Oficial de Pesar: A AIP manifesta seu profundo pesar pelo falecimento do seu ex-presidente e conselheiro Calazans Neto. Sua partida deixa-nos com p vazio da perda de um amigo e fiel apoiador das causas da Imprensa. Calazans soube ser amigo e promover o bem. Parte um homem de integridade e honra.

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Fechar