IMG-20180403-WA0065

O Estado de Pernambuco terá um grande prejuízo político com a reforma administrativa no Ministério que o presidente Michel Temer (MDB) vai promover por conta do prazo de descompatibilização estipulado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Dois pernambucanos, Mendonça Filho (DEM) e Fernando Bezerra Filho (MDB) serão exonerados, além de Bruno Araújo (PSDB), que pediu afastamento no início do ano. Apenas Raul Jungmann (que deixou o PPS) vai se manter no Ministério da Segurança Pública, onde vem se destacando, tendo desistido de concorrer a uma vaga na Câmara Federal.
Até a próxima sexta-feira, nada menos de 14 ministros serão exonerados a pedidos para disputar cargos eletivos.
O senador pernambucano Romero Jucá (MDB) tem sido um dos mais importantes assessores de Temer e adiantou que os entendimentos estão sendo mantidos com o objetivo de ampliação da base política do presidente da República no Congresso Nacional.

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar