IMG-20180119-WA0060

Lançamento acontecerá no dia 24, no Teatro do Arraial,

dentro da programação do festival Janeiro de Grandes Espetáculos

Homem das ciências exatas e das letras, um dos grandes nomes da literatura brasileira, apesar de pouco conhecido pelo público, o pernambucano Joaquim Cardozo terá sua dramaturgia reunida em livro a ser lançado pela Companhia Editora de Pernambuco (Cepe), na próxima quarta-feira (24), a partir das 18h, no Teatro do Arraial, dentro da programação do festivalJaneiro de Grandes Espetáculos.
O Teatro de Joaquim Cardozo, Obra Completa (552 páginas) reúne as seis peças produzidas entre os anos de 1960 e 1970 (O coronel de Macambira, 1963; De uma noite de festa, 1971; Os anjos e os demônios de Deus, 1973; O capataz de Salema; Antônio Conselheiro e Marechal, boi de carro, 1975), além de textos assinados por dois profundos conhecedores da obra e do universo cardoziano, o escritor e professor de Literatura Brasileira da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Unirio) Manoel Ricardo de Lima e o também escritor, dramaturgo e professor do Departamento de Teoria da Arte e Expressão Artística da UFPE, João Denys Araújo Leite.
Apresentar em único livro os textosteatrais de Joaquim Cardozo é uma oportunidade de entrar em contato comsua escrita atemporal, visual, fonográfica, metafísica, regional, universal, humana e de grande apuro linguístico. “A ideia de reunir o precioso legado dramatúrgico de Joaquim Cardozo é excelente e inteligente. Facilita a consulta, a leitura e o estudo, seja de curiosos, dramaturgos, atores, encenadores e estudantes. O teatro de Joaquim Cardozo sempre ficou em segundo plano ou desconhecido até de estudiosos de sua obra. Vista de raspão ou em fragmentos, essa obra é de uma densidade ímpar, pois reúne ação, teatralidade de alto nível, poesia também altíssima, denúncia sociopolítica e cultural, redimensionamento e reinvenção dos mais belos e ricos aspectos culturais do nosso país em consonância com o mundo, com outras culturas, com o universo”, opinaJoão Denys.
Em seu texto de apresentação, o professordestaca as características modernas do texto teatral cardoziano (“constante utilização das linguagens e dos experimentos cênicos: os mamulengos, a língua das siglas; a orquestração de risos e risadas; a utilização de recursos eletrônicos; as coreografias das

danças particulares; recursos semelhantes à montagem cinematográfica, numa profusa cadeia intersemiótica.”), colocando o autor pernambucano entre os mais importantes nomes da dramaturgia mundial (“O minucioso cuidado em construir a cena por meio da escrita, das poéticas coordenadas cênicas, é um dos indicativos que coloca Cardozo no mesmo patamar dos grandes dramaturgos contemporâneos, do quilate de um Samuel Beckett, Eugène Ionesco, Jean Genet, Harold Pinter, David Mamet, Sam Shepard, Edward Albee”).

Joaquim Cardozo buscou na cultura popular e no imaginário nordestino a base para o seu teatro vigoroso. Três de suas peças (O coronel de Macambira; De uma noite de festa e Marechal, boi de carro) são apresentadas no formato do Bumba-meu-boi e Os anjos e os demônios de Deusestrutura-se no pastoril. Seus outros textos, Antônio Conselheiro e O capataz de Salema (escrito quase todo em versos de sete sílabas), não foram inspirados em manifestações folclóricas, mas não fogem aos temas sempre presentes em sua narrativa, como os conflitos sociais e da condição humana.
“O pensamento de Joaquim Cardozo se abre numa dimensão matemática para o infinito, numa manifestação que brinca com o infinito e também numa arquitetura oscilante diante da desmesura do universo. Por isso ele é um poeta-engenheiro sem marcas fixas e seu pensamento se expande até o poema, o relato, a crítica de arte e arquitetura, as movências do cálculo, os impasses da matemática e da física etc. ”, destaca em seu texto o professor e escritor Manoel Ricardo de Lima.

Poeta, dramaturgo, contista, desenhista, topógrafo, engenheiro civil, professor universitário, editor de revistas de arte e arquitetura, crítico de arte, tradutor e historiador, Joaquim Maria Cardozo foi um homem de muitos talentos. Extremamento inteligente (dominava 15 idiomas, entre o chinês e sânscrito, aprendidos autodidaticamente), influenciou e era admirado por grandes nomes da literatura brasileira, como Manuel Bandeira, Carlos Drummond de Andrade e João Cabral de Melo Neto.
Nasceu no bairro recifense do Zumbi no dia 26 de agosto de 1897. Foi o engenheiro calculista que transformou em obras concretas os projetos arquitetônicos de Oscar Niemeyer, que o considerava o homem mais culto que já tinha conhecido. Com ele, Cardozo assinou (apesar de quase sempre esquecido) façanhas da arquitetura moderna, como conjunto da Pampulha (BH) e de inúmeros projetos de Brasília, entre os quais, o Palácio do Planalto, o Palácio da Alvorada e a Catedral Metropolitana.
Faleceu em Olinda em 4 de novembro de 1978. Treze obras compõe sua bibliografia:Poemas (1947); Pequena antologia pernambucana (1948); Signo estrelado(1960); O Coronel de Macambira (1963); De uma noite de festa (1971); Poesias Completas (1971); Os anjos e os demônios de Deus (1973); O capataz de Salema(1975); Antônio Conselheiro (1975);Marechal boi de carro (1975); O interior da matéria (1976); Um livro aceso e nove canções sombrias (1981, póstumo).
“O Brasil é rico de grandes e geniais dramaturgos, sobretudo os do século XX, mas nenhum se iguala, em sofisticação cênica e teatral, ao dramaturgo-engenheiro. O teatro de Cardozo impacta o mundo por sua qualidade estética. Forma e conteúdo estão amalgamados de tal forma em seus aspectos anti-ilusionistas e socioculturais, que nunca deixam de estar vivos, pulsantes, nos provocando prazer e reflexão. Por tudo isso, a coragem da Cepeem publicar a obra teatral completa de Cardozo é de uma relevância formidável”,afirma João Denys.
Serviço:
Lançamento do livro Teatro de Joaquim Cardozo, Obra Completa

Dia: 24 de janeiro, a partir das 18h

Horário: 18h

Onde: Teatro Arraial Ariano Suassuna

Endereço: Rua da Aurora, 457, Boa Vista

Valor do livro: R$ 40,00 (físico) e R$ 12, 00 (Ebook)

Contatos para entrevistas:

João Denys: 3445.0154 / 9.9159.4305 -joaodenys13@gmail.com

Manoel Ricardo : (21) 9.8003.5732 / (21) 3079.2063 – manoelrl@uol.com.br

Assessoria de Imprensa da Cepe – 3183.2770
Gílson Oliveira – 9.9967.2192 / Roziane Fernandes – 9. 9748.6072

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Fechar