WhatsApp Image 2017-11-14 at 16.20.08

Os cerca de 70 mil moradores de Riacho das Almas, Passira, Cumaru e Salgadinho, no Agreste, voltarão a ter água nas torneiras até o final deste ano. O retorno do abastecimento nas quatro cidades, só foi possível graças a decisão do governador Paulo Câmara (PSB), quando inaugurou o Sistema de Abastecimento Pirangi.
Na ocasião, ele determinou que fossem realizadas duas obras importantes que estão sendo executadas, simultaneamente e em ritmo emergencial, com investimentos na ordem de R$ 3,4 milhões, por meio da Compesa. O sentido original do Sistema Jucázinho está sendo invertido para levar água do Sistema Prata/Pirangi até essas cidades. Antes, o caminho da água na adutora iniciava em Cumaru e seguia até a Estação de Tratamento de Água (ETA) Salgado, em Caruaru.

As quatro cidades estão sendo atendidas exclusivamente por meio de carros-pipa desde o colapso da Barragem de Jucázinho, consequência de seis anos consecutivos de seca.
CAPACIDADE – Para que essa intervenção tenha sucesso, a Compesa também está aumentando a capacidade de transporte do Sistema Prata/Pirangi com a ampliação das estações elevatórias que bombeiam a água. Haverá um aumento da capacidade de transporte do sistema de 750 litros, por segundo, para 950 L/s, por meio da substituição dos motores e bombas das estações elevatórias.

O presidente da Compesa, Roberto Tavares, disse que estas obras estão sendo executados com recursos próprios da empresa, cerca de R$ 2,6 milhões. “Estamos com intervenções nas três elevatórias de água bruta do Sistema Prata/Pirangi. Com a instalação de conjuntos motor-bomba mais potentes, atingiremos nosso objetivo”.

Para a obra de inversão do fluxo da adutora de Jucázinho é aplicado um valor adicional de R$ 800 mil. “O governador Paulo Câmara nos pediu uma solução para atender esses municípios e caímos em campo. Como Jucázinho continua em colapso e investimos na adutora do Prata/Pirangi, vamos levar essa água para socorrer a população. Estamos exatamente na fase de implantação de tubos para fazer a interligação na adutora de Jucázinho e construindo uma nova estação de bombeamento para permitir que a água chegue até o destino final”, explicou Roberto Tavares.

A Barragem de Jucázinho, em colapso desde setembro do ano passado, fica localizada no município de Surubim. O manancial, que tem a capacidade de acumular 327 milhões de metros cúbicos de água, enfrenta o seu pior cenário, desde o início da operação da barragem pela Compesa, no ano de 2000. Em condições normais, a Barragem de Jucázinho atende uma população de 800 mil pessoas em 15 municípios do Agreste.

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Fechar