politicos-e-dinheiroO Tribunal de Contas do Estado começou a investigar a suspeita de que tenha havido um verdadeiro “trem da alegria”, durante o mês de dezembro passado, na Prefeitura do Cabo de Santo Agostinho, quando teriam sido pagos pelo ex-prefeito Vado da Farmácia (sem partido), quase R$ 6 milhões em supersalários a servidores comissionados.
O valor mais alto teria sido recebido pelo ex-secretário executivo de Finanças, Manoel Luiz Bezerra Neto, que chegou a receber R$ 253 mil. O ex-secretário de Gestão Pública, Luzivan Oliveira, teria recebido R$ 80 mil. Também existe a acusação de que muitos servidores que tinham salários de R$ R$ 3 mil, receberam R% 15 mil.
As denúncias que estão sendo apuradas por uma auditoria especial do TCE, foram feitas pelo prefeito Lula Cabral (PSB), que anunciou está fazendo um completo levantamento das finanças da Prefeitura.
O Ministério Público de Contas acatou o pedido e convocou a auditoria que será comandada pela conselheira Teresa Duere.
O procurador de Contas Cristiano Pimentel disse que os documentos apresentados pela Promotoria indicam fatos graves e serão investigados, uma vez que o TCE não tem como intervir preventivamente.
O prefeito Lula Cabral suspeita que seu antecessor, Vado da Farmácia, tenha feito os pagamentos dos supersalários com o dinheiro recebido do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (FUNDEB), recursos que teriam sido solicitados para pagamento do 13º salário dos professores.

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Fechar