“Um prefeito necessita de muitos apoios na Câmara para ter êxito em sua gestão”

Por Márcio Maia

fd4a2eee61998fa84676d27bec630cbdO vereador Vicente André Gomes (PSB) é um dos mais experientes políticos pernambucanos com muitos trabalhos realizados na Câmara de Vereadores do Recife e na Câmara Federal. Integrante de uma importante família, onde se destacou seu pai, o médico e deputado Moacir André Gomes, conseguiu conciliar o trabalho como médico cardiologista e como parlamentar.

Atualmente, ocupa a presidência da Câmara Municipal do Recife, onde realizou importante trabalho que permitiu ao prefeito Geraldo Julio (PSB) ter seus projetos aprovados sem emendas. Ele disse em entrevista exclusiva ao jornalista Márcio Maia, do Blog Revista TOTAL, que, no regime presidencialista em vigor no Brasil, o gestor público, seja prefeito, governador de Estado ou presidente da República, precisa contar com o apoio da maioria do Parlamento.

Blog Revista TOTAL – Como o sr. vê a atual situação da política brasileira?

Vicente André Gomes – O Brasil vive um momento muito conturbado politicamente falando. O processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) deixou todo mundo muito preocupado porque os dois lados se exacerbaram e aconteceram muitas discussões pesadas com fortes acusações dos dois lados. O plenário do Congresso Nacional viveu momentos complicados com deputados e senadores fazendo acusações graves.

BRT – Com a sua experiência parlamentar, o que deverá acontecer nos próximos meses?

VAG – O presidente Michel Temer (PMDB) terá muita dificuldade para governar. Os aliados do PT vão fazer uma oposição muito forte, tentando obstruir os projetos encaminhados pelo Poder Executivo, até porque serão necessárias medidas impopulares para solucionar a grave crise financeira que atravessamos. O PT vai continuar denunciando que houve um golpe com o único objetivo de afastar Dilma do Palácio do Planalto para que fossem tomadas medidas contrárias aos interesses dos trabalhadores.

BGT – E aqui no Recife?

VAG – O prefeito Geraldo Julio tem tudo para conseguir uma grande vitória nas próximas eleições municipais. Sua campanha está muito bem elaborada, tem o apoio da maioria da população e ele tem se mostrado um político muito competente e eficiente. Para mim, foi uma grande revelação como político, pois já conhecia sua capacidade como gestor público, por ter acompanhado suas ações na grande equipe montada pelo ex-governador Eduardo Campos para transformar Pernambuco em um dos mais desenvolvidos Estados do Brasil.

BGT – O que é mais importante para um gestor público conseguir sucesso?

VAG – Um gestor público tem que ter algumas qualidades para conseguir sucesso ao assumir o cargo. Primeiro, ele deve ter a competência para montar uma equipe de trabalho que esteja sintonizada com o seu programa de trabalho, tenha capacidade administrativa e muita disposição para o trabalho, pois administrar uma Prefeitura como a do Recife não é fácil. O Recife tem muitos problemas e não é fácil resolvê-los, porque infelizmente, a Prefeitura não dispõe dos recursos necessários para solucioná-los. Sendo assim, é necessário que se elejam as prioridades e isso é muito difícil porque todos os setores da sociedade consideram as suas demandas como as prioritárias.

BGT – E a questão política?

VAG – Esse é um ponto no qual o prefeito Geraldo Julio tem se destacado. Nos primeiros dias de gestão, ele procurou as lideranças dos partidos que o apoiaram e começou a conversar. Disse estar disposto a atender todas as reivindicações encaminhadas pelos vereadores e realmente cumpriu a promessa. Durante seus mais de três anos de mandato, não tivemos qualquer problemas para aprovar os projetos encaminhados pelo prefeito, porque ele sempre discutiu as questões e ouviu as opiniões e sugestões dos vereadores. Por isso que hoje, ele tem o apoio da maioria esmagadora dos partidos políticos para sua reeleição. Um prefeito, assim como os governadores e o presidente da República, necessita de uma base parlamentar forte para ter uma boa gestão.

BGT – Na Democracia, alguém pode administrar sem base parlamentar?

VAG – De maneira nenhuma. Podemos citar como exemplo a presidenta afastada, Dilma Rousseff, que, por não ter jogo de cintura para controlar a Câmara Federal e o Senado, perdeu todas as condições de fazer uma boa gestão. Podemos citar os casos que ficaram famosos chamados pela Imprensa de “Pauta bomba”, quando foram aprovados diversos projetos que aumentavam as despesas do Governo Federal, quando ela queria diminuir os gastos. Isto ocorreu porque ela perdeu sua base no Parlamento por não conseguir atender os pedidos dos deputados e senadores para suas bases eleitorais.

BGT – Quais suas grandes realizações como presidente da Câmara de Vereadores do Recife?

VAG – Considero como o ponto mais positivo fazer com que a Cama funcionasse plenamente, realizando as sessões discutindo assuntos relevantes para as comunidades, mantendo as comissões analisando tudo com seriedade e eficiência, e também implantando algumas coisas importantíssimas, como o Portal da Transparência, no qual a população pode acompanhar todo o andamento da Casa. Regularizamos as finanças, com o enxugamento das despesas e até com o congelamento dos proventos dos vereadores. Foram decisões e ações muito sérias e que conseguimos tomar com o apoio do plenário, que as aprovou totalmente.

BGT – Como o sr. analisa as escolhas de Eduardo Campos pelos nomes de Geraldo Julio e Paulo Câmara?

VAG – Eduardo Campos era um político muito sagaz e enorme visão de futuro. Ele percebeu que o eleitorado estava desejando o aparecimento de nomes novos que não tivessem muita ligação com os políticos tradicionais. Então escolheu Geraldo Julio para se candidatar a prefeito, obtendo êxito, e depois Paulo Câmara para concorrer ao Governo do Estado. Também conseguindo a vitória. Os dois, apesar de não terem história na disputa de eleições, tinham vasta experiência na administração pública porque já tinham sido secretários de Estado e sabiam como o sistema funciona.

BGT – Qual o grande desafio do próximo prefeito do Recife?

VAG – Eu tenho certeza que Geraldo Julio vai ganhar a eleição. Aponto que o maior desafio que ele vai encontrar será conseguir as verbas para concretizar todos os projetos que ele tem inclusive, muitos já estão encaminhados e não foram realizados justamente, por falta de dinheiro. O Fundo de Participação dos Municípios teve uma queda muito acentuada e essa situação deverá perdurar por mais alguns anos, como têm dito os economistas especialista no assunto. Mas, com muito cuidado na liberação das verbas, ele conseguirá realizar a maioria do que está prometendo em sua campanha.

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Fechar