blog do Magno

geraldo-joao-paulo-748x410No afunilamento do processo eleitoral, as pesquisas de intenção de voto revelam mais do que uma fotografia do momento. Na maioria das vezes, apontam a tendência do eleitor. A pesquisa do Datafolha, divulgada ontem pela TV-Globo, pode indicar essa direção. O prefeito Geraldo Júlio (PSB) largou em segundo lugar, subiu oito pontos percentuais em uma semana e ultrapassou, numericamente, o petista João Paulo, que também cresceu dois pontos, mantendo-se num empate técnico com o socialista.

O levantamento configura a tendência de crescimento de Geraldo como também o sumiço da candidata do DEM, Priscila Krause, assim como a estagnação do tucano Daniel Coelho na casa dos 10 a 11 pontos percentuais. A pesquisa foi excelente para Geraldo, mas péssima para Priscila, que murchou, saindo de 8% para 2%. Se a curva de Daniel for decrescente nas próximas pesquisas está caracterizada a polarização irreversível entre Geraldo e João, conforme se previa.

Como Priscila sumiu, o cenário de segundo turno vai depender agora – e mais do que nunca – do comportamento de Daniel, porque os demais candidatos – Edilson Silva, do Psol e Carlos Augusto, do PV, praticamente não pontuam. O tucano, portanto, pode fazer o diferencial, ser a peça importante no jogo, para não ser decidido logo no primeiro turno. A disputa entre Geraldo e João Paulo, minguando Daniel, ficaria antecipada do segundo para o primeiro turno. Este cenário só ficará mais claro, entretanto, nas próximas pesquisas.

Como teremos pesquisas todas as semanas, seja do Ibope ou Datafolha, através da Rede Globo, a configuração da eleição em um ou dois turnos será desenhada nos próximos dez dias, no mais tardar em 15 dias. O que fica patente, também, é que a disputa no Recife está sendo de gestão, uma medição de forças entre o modelo petista, de João Paulo, e o socialista, de Geraldo Júlio.

A pesquisa Datafolha revela, claramente, este ingrediente. Como Daniel nunca governou a cidade e repete o discurso da primeira campanha que disputou, o que, convenhamos, é ultrapassado e caduco, sem o componente e o charme do novo, está distante de alcançar o patamar da despolarização. Sendo assim, tende a ser arrastado para a jaula dos leões, como Priscila já foi.

 

 

 

 

 

 

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Fechar