Da Redação

download (47)Como o Blog Revista TOTAL publicou com absoluta exclusividade no dia 12 de julho passado, o PSB vive um momento muito complicado por conta dos desentendimentos entre alguns de seus principais líderes no Estado. Naquele noticiamos que o surgimento de uma “bomba” na Imprensa iria provocar um racha na sigla. Por solicitação de nossa fonte, não adiantamos o assunto que agora volta a ser noticiado: o envolvimento do senador Fernando Bezerra Coelho no recebimento de propina feita pela Construtora Odebrecht, como está sendo apurado pela Operação Lava Jato.
O problema é que a parte mais ortodoxa do partido não aceita a forma de agir do senador. Eles não deixam de lembrar que o político é oriundo do antigo Partido da Frente Liberal (PFL) e que é partidário de ações não aceitas pela parte mais radical do PSB, com ênfase para os mais antigos filiados ligados ao ex-governador Miguel Arraes.
Esses socialistas históricos defendem a teoria de que foi o senador que manteve os contatos com os “empresários” que adquiriram de forma até hoje nebulosa, o avião em que o então presidenciável Eduardo Campos estava usando em sua campanha e que foi destruído na cidade de Santos, São Paulo, quando morreram o próprio Campos e outras seis pessoas.
Os defensores da teoria lembram que o ex-governador Arraes sempre fez coligações com setores da Direita, mas enfatizam que ele nunca permitiu que essas pessoas ocupassem cargos de direção ou que tomassem decisões nas questões políticas. Esse grupo vem defendendo a opinião de que FBC seja afastado de funções de decisão do direcionamento do partido. Foram eles, os responsáveis pela decisão de não permitir que ele fosse candidato ao Governo do Estado, convencendo Eduardo Campos a usar a segunda opção: Paulo Câmara.
Com as novas acusações de recebimento através do caixa dois,de R$ 20 milhões da Odebrecht, a posição do grupo Anti-FBC ganha mais força na sigla. Os integrantes da cúpula partidária não querem comentar o assunto, chegando a afirmar de forma não oficial que nada existe contra o senador Fernando Bezerra Coelho.

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Fechar