5a4235170cfe6c8e1a47a6d78129885e

O radialismo pernambucano perdeu um de seus mais expressivos profissionais dos últimos 50 anos. Joaquim José da Silva, um simplesmente Gino César, como ficou nacionalmente conhecido ao produzir e apresentar o Repórter Bandeira Dois, a maior audiência do rádio pernambucano no período. Joaquim se transformou em Gino na década de 1960, quando fazia parte do elenco de radioteatro da Rádio Clube de Pernambuco e vivia um personagem italiano.
Na década de 1970, o radioteatro foi extinto da emissora e ele passou a acompanhar Márcio Maia, que redigia o noticiário. Com garra e ousadia, ele substituiu o jornalista que havia se transferido para o Jornal do Commercio, mantendo a qualidade das informações com seriedade, competência e honestidade. Manteve o padrão iniciado por Maia, embora muitos tentaram demovê-lo da ideia da manutenção, com a alegação da necessidade da modernidade. Os recordes de audiência alcançados fazia com os teóricos aceitassem os seus argumentos, inclusive com o famosíssimo bordão “E atenção…”
Além da Rádio Clube, onde iniciou, e Rádio Jornal, onde trabalhava, Gino trabalhou nas Rádios Tamandaré e Olinda. Juntamente com Geraldo Freire, foi líder de audiência em todos os prefixos, levando seus fiéis ouvintes para todas as emissoras.
O radialista vivia apenas para o trabalho com uma enorme disposição, além de torcer pelo Santa Cruz, embora não frequentasse os estádios, e criar passarinhos, dos quais adorava cuidar e ouvir os cantos.
Gino César estava sem trabalhar há algum tempo, pois estava com problemas sérios de saúde, tendo falecido na madrugada de hoje (17), em decorrência de um infarte, no Hospital Hapvida.

Deixe seu comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Fechar